The Walking Dead: "I Ain't a Judas" 3x11


Um dos melhores episódios lentos de The Walking Dead. Mas uma dúvida paira no ar: "O que diabos passa pela cabeça do governador?"

Vamos direto ao ponto:

Qual o objetivo do Governador? Resposta simples: Vingança. Rick e sua turma invadiram e detonaram sua comunidade, levando seus prisioneiros e tirando a vida de alguns habitantes. Mas porquê ele não acabou de vez com Rick e sua turma quando ele invadiu e dominou o presídio? Ele poderia ter acabado com todos ali, caso não recuasse. 

Merle iniciou "I Ain't a Judas" descriminando a forma de agir do Governador. Quando ele lançou o carro cheio de walkers ele estava apenas "tocando a campainha". Não seria prepotência, arrogância e negligência demais de sua parte recuar para que pudesse invadir outrora? O pior. As palavras de Merle são verdadeiras contradições quando acompanhamos os acontecimentos posteriores. Ele tem batedores nas estradas, ele pode matá-los a qualquer momento, ele pode matá-los de fome, bla, bla, bla. Uma tremenda baboseira.

Vimos sim, um Governador falido, recrutando crianças e doentes para a guerra. Ele tem armas, mas acho que ele não tem um exército infinitamente superior para brincar com as pessoas que detonaram com sua casa, mataram (de vez) sua filha, arrancaram seu olho e cuspiram na sua cara. Qual a garantia que ele teria que Rick não invadiria sua comunidade novamente?

Sendo assim, seu recuo ainda segue sem explicação plausível e ainda considero um baita rombo no roteiro. Contudo, o que podemos garantir é que ele é extremamente louco e que troca os pés pelas mãos a todo momento. Ele está sendo um "vilão" decepcionante.


Confirmo após a cena final do episódio, quando ele recebe Andrea de volta com os braços abertos. Ele "libera" a saída de Andrea, diz pra ela não voltar e a recebe de volta sem hesitação. Qualquer um desconfiaria de Andrea. Ela é amiga antiga dos sobreviventes e óbvio que eles iriam dar a versão deles do fatos. Sabendo disso, Andrea se tornaria uma inimiga mortal, tanto é que se tornou mesmo, estando a beira de matá-lo. A sorte e o coração de Andrea salvou a vida do imbecil do governador.

Por falar em Andrea, personagem principal do episódio, a loira finalmente reencontrou seus "amigos" e colocou roupas sujas para lavar, aliás, eles surraram sua roupa e jogaram a verdade em sua cara. "Escolheu uma cama quente a uma amiga", alfineta Michonne. Um "chupa Andrea" veio em minha mente. Ela saiu dali aparentemente decidida a seguir os conselhos de Carol, mas infelizmente, naturalmente e obviamente deu pra trás.


Mas Andrea foi responsável por fazer do lento "I Ain't a Judas" um ótimo episódio, como disse, mas um turminha no final apareceu para apimentar os próximos episódios. Tyrese e sua turma, expulsos da penitenciária, se aliaram ao Governador - aquele que tem um exército (só que não) - e já soam como "cavalo de Troia" de Walking Dead. Tudo leva a crer que Tyresse provará sua fidelidade ao se debandar para o lado do sobreviventes no final. Anotem aí e me cobrem.

Já poderia terminar a review, mas não posso deixar de mencionar o momento "Glee" em Walking Dead. Foi fofo, sem críticas.

Trailer Legendado do próximo episódio: "Clear" 3x12

Tecnologia do Blogger.