The Following - 01x02: Chapter Two


Um episódio dedicado a Denise

Sabe aquelas séries que possuem o dom de serem boas, seja pela sua produção, sua equipe, seu roteiro, pois é, The Following é aquela série de TV aberta que consegue ter uma produção excelente, um roteiro magnífico  e uma direção interessante. Certo, ainda estamos no segundo episodio, mas isso não interfere diretamente na qualidade em que a série vem possuindo, atributos que merecem e devem ser elogiados, afinal, pode ter saído da mente de Kevin Williamson, mas a equipe não é formada por apenas ele.

No segundo episódio, The Following, vem com a mesma proposta inicial, mas tirando um pouco o foco de Joe e passando a se concentrar nos seus seguidores e o verdadeiro motivo deles estarem o venerando. E uma explicação lógica surgiu a partir daí. Joe recolhe pessoas fracas, com problemas, machucadas ou feridas pela situação em que se encontram e as tratam como se elas fossem especiais. Pode ser meio estranho, contudo para alguém solitário, esta, talvez, seja a coisa mais amorosa.

A série revelou um pouco sobre a vida de Denise, ou melhor, de Emma, uma menina que tinha que se contentar com a sua própria mãe a depreciando, até que aparece o homem que a trata diferente e ainda a apresenta a um sonho, que para Emma eram inalcançáveis. A atitude da garota parte então, de uma provável infância e adolescência tentando se sentir alguém melhor, encontra nas obras de Joe e no próprio autor, um motivo para, como ele mesmo diz viver. Era por então, de se imaginar que a menina se encantasse com o escritor.

E a série continua ganhando pontos na formação da mente dos seus personagens, que são bastante complexos, e não é apenas Joe ou Ryder. O próprio grupo da seita possuem mentes um tanto confusa, embora o flashback de Emma tenha sido o primeiro, é de se esperar que com o tempo venha ocorrendo vários outros. E talvez seja muito importante, porque neste episódio, mesmo após ter matado a própria mãe, Emma conseguiu causar, pelo menos, uma  pequena comoção.

E apostar em vilões já uma característica de Kevin Williamson, que sempre os trás de forma carismática, não como alguém comum, mas alguém que desenvolve uma personalidade muito mais humana, do em várias outras séries, Joe e Emma foram a representação desse modelo. O próprio Jordy, em sua total falta de experiência e normalidade, consegue passar muito mais pena, do que o próprio sentimento de ódio.

Outra coisa interessante é observar que Joe é totalmente destemido e frio, isso transparece em sua expressão, mesmo até quando Carrie revela que o “trocou” por outro homem, pior, quando agarra a ex-mulher que ele dizia amar pelo pescoço em uma mera tentativa de matá-la. Além disso, Carrol está realmente tentando contar a história de Ryder, programando uma sequencia, até chegar no clímax que foi o sequestro, ou quase, de Carrie.

Está mais que óbvio que Ryder se preocupa com a ex-mulher de Joe, e com qualquer vitima que tenha passado pelas mãos de Joe. E é por isso que Carrol brinca com o ex-agente,  porque sabe que em sua mente, querendo ou não, Ryder sempre tentará ser o herói da história. O importante, é que Ryder realmente traz um lado heroico, ao mesmo tempo que traz um outro que se esconde atrás das frustrações e das bebidas.

Partindo para revelações, algo muito estranho ocorreu quando eu vi a cabeça se movendo, algo parecido com um grito, mas não foi um, foi um ruído de susto que surtiu da minha garganta. E como não? Se o suspense continua perfeitamente aliado com o lado policial do episódio, o que é importante, The Following não apenas deixar você preso na tela, como causa apreensão pelo destino dos seus personagens.

A outra revelação foi da agente que, até então, mostrou-se traidora. Como não foi algo explanado, é bem prematuro dizer que ela fez parte da seita, ou apenas tenta ganhar a confiança de Joe, se for a segunda opção, eu acredito na impossibilidade da missão, porque o Joe conhece muito bem a mente humana.

Por fim, Billy, que mesmo depois de termos descoberto que não era gay, continua tendo uma atitude um tanto duvidosa neste quesito, já que o seu ciúmes vive aflorando por causa da pobre Denise. O que se torna um problema, um covil de psicopatas, um sentindo algo ruim sobre o outro, não pode vim coisa boa daí.

The Following fez dois episódios excelentes, embora o ritmo do segundo tenha sido mais calmo do que o primeiro, isso não interfere, de forma alguma, no desenvolvimento da série que continua sendo bastante surpreendente, The Following faz muito bem o que propôs e ainda um pouco mais, não é a toa então, que tenha sido a série mais aguardada da Mid Season.


Tecnologia do Blogger.