Spartacus - War of the Damned - S03E02 - Wolves At The Gate


Mostre bondade a um animal e ele será leal a você para sempre. Mostre somente o chicote e não se surpreenda quando mostrar os dentes.

 Atenção: Spoilers abaixo para quem não viu o episódio ainda.

A invasão da cidade acabou ocorrendo antes do que eu imaginava, Spartacus não esperou nem bater uma brisa de inverno para invadir Sinuessa en Valle e tomar a cidade para seus rebeldes, fiquei surpreso com a rapidez com que os roteiristas apresentaram esse plot e pela cidade escolhida, historicamente faz sentido eles escolherem essa cidade, porém, esperava que eles resolvessem invadir Cápua, uma volta para aonde tudo começou seria legal, não? Mas a invasão de tal cidade não deixou de ser menos épica, com ajuda de Diotimus, antigo escravo de Valle, Spartacus pôde formular um plano para invadir a cidade. O plano deu certo, apesar de ter certeza que daria, eu cheguei a pensar que Attius iria trair Spartacus e Ganicus, felizmente, não foi o que aconteceu. Ele cumpriu bem a tarefa dele e possibilitou a invasão de toda a tropa rebelde. A cidade é muito bem protegida e com certeza dará um bom abrigo aos rebeldes contra o inverno e contra a campanha de Crassus.

Durante a invasão da cidade, Spartacus percebeu que ele não tem todo o controle dos rebeldes, enquanto ele der o que eles querem, eles vão cumprir suas ordens, porém, eles claramente discordam de muitas coisas e isso pode ser um problema no futuro. Por exemplo, a vingança contra TODOS os romanos, nem todos os romanos são ruins, há aqueles que mereçam a morte sangrenta, mas também há aqueles que só querem continuar com suas vidas e que são contra a forma como os Romanos tratam seus escravos, mas não tem poder suficiente para impedir. É o caso de Laeta, esposa do governante da cidade, foi ela quem disse a frase que encabeça a review e concordo plenamente com ela, mas como  as esposas de antigamente, ela deve somente servir às vontades do marido e nada pode fazer para impedir as crueldades feitas com os escravos. Spartacus quer se não proteger, pelo menos impedir que pessoas como Laeta sejam assassinadas juntamente com as pessoas que merecem tal destino, porém, a maioria do seu exército pensa diferente, eles querem matar todos os Romanos que aparecerem pela frente, crianças, mães, idosos, enfim, todos. Isso pode gerar um conflito dentro do grupo, ainda mais depois que Spartacus protegeu Laeta, talvez esteja surgindo um romance entre ela e Spartacus? Quem sabe... Ela não pareceu sentir tanto ódio quanto eu pensei que sentiria quando Spartacus matou seu marido, de certa forma, ela sabia que ele merecia. Além disso, ficou claro que se fosse pela vontade de Spartacus, muitos dos Romanos ali sairiam vivos, ou pelo menos presos, não mortos. Gostei muito dela, por sinal, tem pano para ser uma ótima personagem e talvez um bom interesse romântico para o Spartacus.


Spartacus sempre foi recheado de personagens profundos e interessantes, porém, nessa temporada vemos que é mais constante, só nesse segundo episódio tivemos três novos bons personagens: Caesar, Laeta e a Kore (escrava de Crassus), esses três personagens tem grande potencial para desenvolverem boas tramas.

Caesar é o famoso Julio Cesar, tão retratado em diversos filmes sobre Roma, em Spartacus ele é um jovem Caesar, com um nome nobre herdado da família, mas sem poder nenhum, já que gastou tudo ao longo de sua vida, ele foi convocado por Crassus para ajudá-lo a acabar com a rebelião escrava, com a promessa de glórias, dinheiro e poder, Caesar aceita pensando que vai ser o comandante ao lado de Crassus, ai que ele se engana... Crassus resolveu dar esse cargo ao filho mais velho, Tibereus. Tibereus mostrou ser um Gaius mais novo e que, acredito eu, vai ter o mesmo fim que ele. Caesar pensa como eu e por isso ficou indignado de ser colocado abaixo de Tibereus, ele pensou, e eu sinceramente também pensei, que ele seria o braço direito de Crassus, mas Crassus resolveu dar a chance ao filho e ai nasce um novo conflito, entre Caesar e Tibereus, os dois vão analisar o exercito de Spartacus juntos, Crassus vai só depois, veremos como vai ser a interação dos dois. Mas pelo o que foi mostrado de Caesar, mesmo com as promessas de Crassus de que ele vai ter poder, dinheiro e fama se cumprir as ordens dele, ele não vai aceitar receber ordens de Tibereus.

O outro conflito é entre a esposa de Crassus e Kore, esse ainda não está muito claro. Com certeza a esposa desconfia que Crassus tenha alguma amante, pois ficou claro que ela queria ir para o acampamento de guerra não para “ficar em companhia de seu marido e confortá-lo”, como ela alegou, e sim para ficar de olho nele e impedi-lo que “pule a cerca”, porém, ou ela não sabe ou finge que não sabe, mas essa traição acontece embaixo de seu teto. Crassus não deixou a esposa acompanhá-lo, mas vai levar a escrava como companhia, o que com certeza irá causar a ira dela, se ela descobrir.


Vimos também o quão poderoso é Crassus, que sem ajuda de ninguém, reuniu um exercito gigantesco e que irá bater de frente com o exercito de Spartacus. Além disso, ele e Caesar são exímios estrategistas, Spartacus que se cuide.


Já do lado rebelde, Spartacus conseguiu abrigo, alimento para passar o inverno, um pouco de tranquilidade e segurança, mas até quando?
Pois Crassus está chegando... E promete fazer do exercito de Spartacus um mar de sangue.
E sinceramente, eu mal posso esperar para ver o embate entre esses dois exércitos.
Tecnologia do Blogger.