Previously on: The Good Wife 4.08 - 4.13


Depois de uma terrível seqüência de episódios, The Good Wife finalmente mostra evidencias de um desenvolvimento promissor.

The Good Wife sempre foi uma série prestigiada pela sua recusa ao comodismo, mesmo em casos da semana ela conseguia ser inventiva e agregar algo interessante a todo o conjunto. O fato é que o inicio da 4ª temporada decepcionou e as tramas rasas e repetitivas que conduziram a série até o 10º episódio mostraram pouco do brilhantismo habitual do show.

Porem ao retornar neste ano a série voltou a agradar e gradualmente vai desenvolvendo sua historia de forma mais coesa e ousada. Nos três últimos episódios tivemos alguns desenvolvimentos dignos de nota. Isto, é claro, não significa que a série está isenta de falha, algumas ainda persistem. Mas vamos por partes.


A grande promessa da temporada era que saberíamos um pouco mais sobre Kalinda, mas a trama do seu marido abusivo pouco rendeu e no fim quase nada foi acrescentado a personagem. De fato Kalinda parece até um pouco mais apagada neste retorno. Creio ser consenso que a ideia de entregar um plot a personagem foi mal executada e até o momento não sabemos que fim teve Nick. Ao que tudo indica podemos nunca saber que aconteceu ao rapaz.

Outro grande problema que aflige a série é iniciar mais sub tramas do que pode desenvolver, deixando apagados personagens como Cary e Eli, este ultimo, agora sob investigação, parece carregar a mais interessante historia da temporada, seja pelo fato de sua trama ser algo inédito (que não envolva a campanha de Florrick nem a falência da empresa) ou seja por trazer de volta Elisabeth Tascioni, a melhor das coadjuvantes da série.


E sobre os coadjuvantes vale dizer o quão desgastado está Louis Canning, o personagem de Michael J. Fox já não acrescenta nada de muito produtivo a série, particularmente já não vejo a necessidade de trazer de volta o personagem que já não traz nada de interessante a série.

Mas após insistir em alguns erros, The Good Wife também traz ares de renovação, o principal deles é o fato de que Alicia finalmente está se tornando uma mulher mais agressiva. O foco finalmente se volta para ela, e se por um lado a centralização da personagem deixa algumas tramas pouco encaminhadas, por outro é gratificante ver que a personagem começa a se liberta um pouco de suas amarras.

O programa passa a efetivamente ser sobre ela e finalmente começamos a ver que a personagem deixar de ser a mulher presa as suas convicções éticas sendo capaz de até mesmo recorrer a ameaças para vencer um caso.

The Good Wife ainda pode se desenvolver de forma mais organizada. A pressa em expandir a historia de seus personagens - como o movimento de trazer o pai de Cary ou mesmo a já citada trama de Kalinda – provaram-se equivocados, acredito que a série deve agora focar-se em resolver o que está em aberto antes de tentar trazer algo novo, caso contrario correrá o risco de falhar novamente.

Novamente, deve-se também ressaltar que os últimos episódios têm recuperado a forma da série, mas ainda há um longo caminho a ser percorrido, só nos resta torcer para que os roteiristas não deem passos em falsos. 
Tecnologia do Blogger.