Primeiras Impressões de The Following


A mente brilhante de um psicopata e a de Kevin Williamson

Quem já conhece o trabalho de Kevin, sabe que ele quase sempre é bem sucedido no que faz, e com o tempo, foi aprimorando muito mais o seu trabalho, até chegar nesse formato brilhante que é The Following e que comprime em apenas um piloto todas as características que o senhor Williamson sempre preservou, e, talvez, por isso que esta Series Premiere tenha sido emocionante.

Conhecemos um ex-agente do FBI que há pouco tempo atrás foi o responsável pela prisão de um serial killer. Ryder em toda sua performance, demonstra ser um rapaz imprevisível, inconstante. E se olharmos diretamente, vemos que ele em sua singularidade, carrega também a mente de um assassino em série, já que a sua função, por um período, era pensar como um. Porém a frieza que Carroll carrega, é extremamente controversa em Ryder e isso é o que os difere.

E a série a todo tempo tenta mostrar como a mente dos seus personagens centrais são perturbadas e como uma adoração passa a ser um problema atual. Kevin pega aquela idéia de fanatismo, muito comum atualmente, e dá um que a mais em uma série que tinha uma premissa bem simples. Não existe apenas um serial killer, mas sim a capacidade de Carroll de abrir uma seita, apenas por dezenas de fãs que o veneram. Logo, tudo deixa de ser algo unilateral e parte para um ângulo muito maior do que eu estava pensando. A série não vai ser uma busca incansável por Joe, mas sim, uma caçada aos seus seguidores, e é neste ponto que vemos a genialidade do roteiro.

É bastante interessante reparar como Joe atrai fãs, da mesma maneira em que Poe o atraiu, e assim como um fanático, ele distorce as palavras do escritor, para justificar e realizar seus atos, como se estivesse seguindo a ideia do seu ídolo.

Outro ponto positivo é o modo em como as revelações da série são bem aproveitadas e nem um pouco previsível, pelo menos para mim, primeiro porque sabíamos que ele iria atrás da Sarah, mas não que conseguiria matá-la e muito menos que os amigos da vitima era, na verdade, um dos “amigos” de Joe. Porém a partir daí é sugerido que não se deve possuir confiança em ninguém e a partir do momento em que dizem que o seu filho foi sequestrado já sabemos quem foi a autora do ato.

E é maravilhoso ver como a trama corre neste sentido, algo que demoraríamos muito tempo para descobrir em outros seriados, são revelados em questão de minutos, o que quer dizer, que a se a história permanecer assim teremos uma temporada com um ritmo excelente.

E isso é nada mais, nada menos, do que o trabalho de Kevin bem feito. Neste piloto vemos os diálogos inteligentes, características herdada de Dawson’s Creek, ou a linha de terror, bem comum em sua saga de filmes Scream, ou até mesmo as suas sequencias e o clima da série que não se perde em nenhum momento, além do seu desenvolvimento rápido e coeso, algo, que foi, certamente, tirado de The Vampire Diaries. Se todos esses argumentos ainda não o convenceram de assistir The Following, eu apelo e digo: Kevin Bacon não só está como é o Elenco principal, querem algo melhor do que isso?

Tecnologia do Blogger.