Especial: O Outro Lado de Person Of Interest


"O Outro Lado": nova coluna do Viciado em Série que será composta por críticas referentes àquelas séries aclamadas por 'muitos', mas que também não agrada a todos. Vamos postar textos opinativos escritos por aqueles que não estão satisfeitos com a série em questão.

Série de estreia: Person of Interest

Eu não posso chegar aqui e dizer que Person of Interest é uma péssima série e que ele deveria ser banida da TV. Claro que não. Só um louco diria isso. Acontece que a série não é tudo isso que dizem, principalmente dito por fãs fanáticos por séries policiais mecanizadas pela CBS. A série veio com um grande potencial mas está sendo estragada por estar sendo "comercial" de mais.

A audiência da série continua gigantesca, claro. Séries com essa estrutura procedural tem muito mercado nos Estados Unidos, principalmente na CBS. Sendo assim, sinto que estão tentando alongá-la ao máximo. A sua segunda temporada está sendo procedural demaaaaaaaais, diferente (não muito) da primeira temporada, onde desenvolviam um pouco mais a trama principal (quase inexistente). Esses episódios com "início, meio e fim" deixam-me muito incomodado quando não tocam mais afundo na premissa da série, que, veio para nos dar motivos para assisti-la.

Quando isso não acontece, a série se torna uma clássica série policial. Bandidos versus mocinhos, e como sempre, os mocinhos sempre saindo vencedores.

Muitos dos casos são bons. Apenas bons. Dá pra você se entreter, passar o tempo, vendo umas porradas daqui e boas resoluções dali, mas... só. Person veio com uma premissa espetacular com a "Maquina salvadora de CPFs", mas vai ficar só nisso? Não dá pra ficar 22 episódios assistindo casos e mais casos onde sempre sabemos o que vai dar. Sempre sabemos que Finch e John irão se dar bem no final, salvando vidas, salvando suas peles. Sempre. Eu disse sempre. 

Sempre disse que os casos transpareciam insolucionáveis em certo momento e que sempre somos surpreendidos no final. Nessa atual temporada isso não está acontecendo. Casos óbvios com resoluções óbvias, soando para mim muita, muita "encheção de linguiça" 

Person é uma série muito, mais muito comercial e pela audiência que tem, deverá se tornar ainda mais. Ela pode adquirir novos telespectadores a todo momento, pois, basta a dona CBS montar um vídeo (olha ele aqui!) com alguns minutos recapitulando a série e pronto. Qualquer um pode pegar a série no meio da segunda temporada e entender tudinho.


Você pode assistir episódios aleatoriamente que não faz muita diferença.

Essa grande quantidade de episódios procedurais, quase aleatórios, trazem outro problema: os personagens. Os personagens irrelevantes. Sem pesquisar, duvido que você lembra o nome da doutora que praticamente protagonizou o sétimo episódio da 2ª temporada. Ninguém lembra. Acompanhamos os principais personagens da série e só. Isso não seria problema se o roteiro não fosse baseado em muitas falas expondo demais o nome dos desconhecidos personagens. Poxa, acabamos de conhecer os irrelevantes personagens! Como vamos ficar gravando o nome deles para assimilarmos à trama?

Independente das 'justificativas' mencionadas acima, eu sei que muita gente gosta desse tipo de série. Eu sei que os meus pontos negativos podem ser pontos positivos para alguns. Reitero que a série não é ruim, mas é para um publico específico que gosta de séries policiais, alias, a maioria dos telespectadores americanos são adeptos a esse estilo de série.

Eu fico por aqui. Paro no "Critical" 2x07. Sinto muito Michael Emerson. Interessei-me pela série devido a sua presença. Desculpe-me àqueles que acompanharam as minhas reviews da série aqui no VS na primeira temporada. Não dá pra acompanhar episódios aleatórios 100% à trama principal. A vida é muito curta. 
Tecnologia do Blogger.