Entendendo o Final de Fringe


Série boa é assim: mesmo após o fim, dá o que falar. Em se tratando de Fringe então... Bom, Fringe trucidou nossos miolos por cinco anos, mas seu fim não deixou grandes questões. Ficaram alguns aspectos interpretativos, mas praticamente sem relevância. Porém, resolvi escrever um post tentando esclarecer alguns pontos que ficaram confusos para alguns. Vamos lá!

O sinal de Shhhh (silêncio) de Michael.

Michael é um Observador que pode ser tudo, menos burro. Quando Olivia, desesperada, pediu a sua ajuda, o sinal serviu para passar tranquilidade à Olivia, pois, Michael sabia que eles estavam no caminho certo. Michael quis dizer: "Calma, fique tranquila. Vai dar tudo certo".

Porque Michael se entregou aos Observadores?

Pelos mesmos motivos acima. Michael sabia que se seguisse naquele trem, o plano de alguma foram iria dar errado. Ele sabia que precisava se entregar aos Observadores para que pudesse ser resgatado por Olívia, forçando-a viajar quatro vezes pelos universos, ademais, fazendo com que ela recebesse doses cavalares de cortexiphan para que pudesse matar Windmark no final. O sorrisinho visto quando foi resgatado deixou isso bem claro.

Porque os Observadores invadiram?

Eles imaginavam que eram a raça superior devido serem imensamente superiores intelectualmente. Eles precisavam dominar o mundo e fazer dele o lar perfeito, com oxigênio poluído, pouca (ou nenhuma) vegetação e entre outros. 

O plano:

O plano deu certo, mesmo por linhas tortas. No final a máquina montada por September não foi usada (não integralmente devido a ausência do reator roubado pelos observadores), mas a linha de transporte dos Observadores (o cubo) serviu para o plano. A time line foi resetada. A série terminou em 2015 com Peter, Olívia e Etta juntos. 

Os Observadores foram extintos?

Os Observadores não existem mais, pelo menos da forma que conhecemos. Provavelmente existirão Observadores como Michael, inteligentes e com sentimentos, mas não sabemos quais seus planos e como vivem a partir da criação (2167). A tendência é de que sejam Observadores do "bem". Nem tem como saber se eles resolveram viajar ao passado para observar e relatar, como os tradicionais observadores faziam. Em suma: eles existem mas não interferiram diretamente no passado, culminando na não invasão. 

Walter morreu?

Não. Walter "viajou" para 2167 com Michael e lá viveram para o resto de suas vidas. A partir de 2015 Walter e Michael desapareceram, pois, não poderia haver dois Walters, por exemplo, vivendo em duas épocas. A "natureza" tratou de consertar o tempo após essa data. Um paradoxo foi criado forçando a "natureza" corrigir o tempo. Walter inexiste a partir de 2015 para Peter, Olívia e companhia.

Olívia lembra de Walter após 2015?

Não. Mesmo com o fim, muitos ainda alimentam teorias de que devido ao Cortexiphan, Olívia lembraria de Walter. Mas eu estou considerando o fim da série. Naquele parque a série acabou. Walter inexiste completamente a partir dali.

Onde foi parar William Bell.

Na 5ª temporada, preso no âmbar. Em 2015, vivendo sua vida "normal", como sempre. Tal como Nina, Broyles, Astrid e todos que conhecemos.

Mas se os Observadores não existiram, September nunca teria salvado Peter e Walter no lago.

Olhando por esse lado, Walternativo encontrou a cura de seu Peter porque não teria sido interferido por September. Essa interferência fez com que a fórmula de cura desse errado, levando Walter ao desespero, culminando em buscar o Peter do lado B. Porém, segundo Walter, as mudanças devido ao plano acorreram a partir de 2015. Antes disso, nada significativo ao desenvolvimento da história que conhecemos mudou.

A carta com a Tulipa Branca.

A carta simboliza que Walter está bem, vivendo no futuro. Ao abrir a carta, Peter estranha, mas em seguida tem uma espécie de "Déjà vu". Então a série acaba. Acaba em tese, pois após isso Peter vai ao laboratório e não encontra Walter. Ele "sumiu" da face da terra, como bem diz Walter na fita gravada à Peter. Sendo assim, Peter tem um relapso de Walter mas após esse sentimento, esquecera completamente dele, como também Walter deixa claro na fita. Se houvesse uma continuação, até poderiam desenvolver esse tema, com Peter lembrando algumas vezes de Walter, porém, a série acabou. Peter, Olivia e Etta viveram felizes para sempre e sem qualquer vestígio de Walter. 

Fringe ganhará um filme?

Não alimente isso. Isso é conversa. Não é impossível mas é muito, muito improvável. Fringe foi uma série que "não deu dinheiro" e para um tema desse ir para o cinema, principalmente servindo de continuação, a série teria que ter feito um grande sucesso referente à audiência e números financeiros. Não é o caso. Claro que se perguntarem para qualquer ator ou integrante da produção sobre a possibilidade de haver um filme, vão dizer que é possível e que apoiariam a ideia, contudo, só isso não basta.

Alguma tese a ser acrescentada? Deixe nos comentários e vamos debatê-la.
Tecnologia do Blogger.