Doctor Who - Christmas Special: "The Snowmen"



"Muito bem, Clara Oswald. É hora de descobrir quem você é."

Antes de começar essa review preciso fazer uma afirmação que eu sei que muita gente pode discordar mas vou fazer mesmo assim: Steven Moffat foi a melhor coisa que aconteceu a Doctor Who desde a série clássica, e vou explicar o porquê. Desde o revival da série em 2005, grande parte dos melhores episódios da série foram escritos por ele. Vamos fazer uma breve recapitulação dos episódios do Moffat no início da série.

1a temporada: The Empty Child/The Doctor Dances: O melhor episódio duplo da temporada, em que somos apresentados ao Capitão Jack Harkness e passamos a ter medo de crianças com máscaras de gás perguntando pela mãe (are you my mummy??).

2a temporada: The Girl In The Fireplace: Um dos melhores episódios com personagens históricos da série (no caso, Madame de Ponpadour).

3a temporada: Blink: Precisa dizer alguma coisa sobre esse episódio?? Uma verdadeira obra-prima da série, que todo whovian que se preze venera e sabe as falas finais do Doctor de cor: "Don't blink, blink and you're dead. Don't turn your back, don't look away and don't blink. Good luck".

4a temporada: Silence In The Library/Forest of The Dead: Só pelo fato de ser o início (e ao mesmo tempo o fim) da história da River Song já faz desse episódio um marco.

Depois disso, Russel T. Davies, que era o showrunner da série saiu, e o Moffat entrou no lugar dele, o que foi a melhor coisa que poderia ter acontecido. A partir da 5a temporada a série alcançou um nível de excelência inigualável à grande maioria das séries atuais. As histórias se tornaram muito mais complexas, indo além do padrão Doctor X alguma coisa para criar situações com significado maior, como na 5a temporada em que o próprio Doctor era o ser terrível que deveria ficar preso na Pandorica para proteger o universo, ou na 6a em que os Silence querem matar o Doctor para que a pergunta mais antiga do universo não seja respondida (Doctor Who?). Fora também que a série também ganhou qualidade cinematográfica: efeitos visuais de ponta, fotografia de cinema (não por causa do HD, mas por ser de cinema mesmo) e episódios dirigidos por profissionais mesmo, que sabem como utilizar uma câmera.

Salvo isso, agora podemos falar sobre The Snowmen, um dos especiais de Natal mais esperados de todos os tempos (e com razão).



Houve muita especulação por esse episódio, principalmente pela nova Companion: Clara. Todos entraram em polvorosa quando viram que era a mesma atriz que fez a Oswin Oswald, a "Garota do Suflê", que conhecemos no 1o episódio da temporada Asylum of The Daleks. É óbvio que nos apaixonamos por ela de primeira, e depois que descobrimos que ela na verdade foi transformada em um Dalek e se sacrifica para salvar o Doctor, ela já entrou para o clube dos personagens mais amados da série.

Mas aí, a mesma atriz (Jenna-Louise Coleman) é chamada pra interpretar Clara, a governanta vitoriana que seria a nova Companion, e aí as teorias começaram, dizendo que era a mesma personagem, etc... Eu não pensei que fosse possível. Pra mim a Oswin era apenas um teste para a Jenna ser aprovada como companion (todas as outras tiveram participações assim antes de se tornarem companions, com exceção da Billie Piper, pois ela foi a primeira do revival). E eu fui assistindo o episódio com essa ideia na cabeça, até a Clara perguntar se na TARDIS tinha cozinha pois ela gostava de fazer suflês. WHAT?! Como assim?? Meu coração começou a disparar, já imaginando na explicação genial do Moffat, até que chega o fim do episódio e ela morre, soltei outro WHAT?! A mesma personagem morrendo 2 vezes?? E com as mesmas últimas palavras para o Doctor: "Run you clever boy, and remember". O triste vai ser ter que esperar até abril pra descobrir quem é Clara Oswin Oswald, A Mulher que Morreu Duas Vezes, mas o meu lema é: In Moffat We Trust! Tenho certeza que será algo brilhantemente genial (talvez até mais genial que a River).


Mistérios de companion à parte, o episódio foi fantástico. Ver o Doctor de luto pelos Pond foi algo triste mas ao mesmo tempo super interessante de se ver, pois ele nunca sofreu tanto uma perda, pois eles eram a família dele (os sogros no caso rs), e poder ver a esperança sendo trazida de volta à ele através da Clara me deixou com os olhos marejados. E as referências à série clássica foram um verdadeiro presente. Eu não consegui pegar todos pois ainda estou na 1a temporada, mas deu pra pegar muita coisa: a abertura no estilo oitentista da série, com o rosto do Doctor aparecendo no espaço (chorei de emoção *-*), a TARDIS hiper clássica com os escritos em Gallifreyan, e também a data de nascimento da Clara, 23 de novembro, que é o mesmo dia em que a série estreou em 1963, com o episódio "An Unearthly Child". Esses foram os que eu peguei, quem tiver lembrado de mais alguns pode comentar.

Outra coisa que me deixou felicíssimo foi a volta dos parceiros do Doctor: Lady Vastra e sua companheira Jenny (o melhor casal lésbico EVER!) e do comandante Sontariano Strax e sua cabeça de batata. O Moffat percebeu o quanto a história se engrandece com uma equipe, e eu espero que continue assim pois dá muito certo.

Acho que o único "defeito"do episódio foi o mal aproveitamento dos Snowmen, que nem chegam a ser uma ameaça em si, pois eu esperava que eles fossem se tornar grandes vilões como os Angels. Acabou que só forma pano de fundo para a história rolar, mas não é algo que prejudique o episódio, de forma alguma, eu só penso que eles poderiam ter sido melhor aproveitados.

Concluindo, tudo que eu tenho a dizer é que estou satisfeitíssimo com o rumo da série e tenho certeza que podemos esperar o melhor dessa 7a temporada. Como diria nosso amado Doctor: GERONIMOOO!!!
Tecnologia do Blogger.