Dexter: "Do You See What I See?" 7x11


Você vê o que eu vejo? 

Conspiração: palavra que define o ótimo "Do You See What I See?", episódio que mostrou que não se pode subestimar a insubestimável, em questão, atende pelo nome de Debra Morgan. Vamos ir direto ao assunto:

Alguém engoliu a história de que Hannah tentou matar Debra? Espero que não, né gente. Não sei se ficou claro para vocês, mas pra mim ficou claro que Debra forjou as provas para incriminar Hannah. Debra sempre quis a morte de sua cunhada, quando já não mais conseguira prendê-la. Debra tornou-se obcecada por Hannah por diversos motivos: amor à Dexter, proteção à Dexter e exercimento da profissão. Aparentemente as duas primeiras opções são as que estão deixando ela louca, pois, facilmente aceita forjar provas para livrar a cara do BHB, mas se nega a aceitar que seu irmão esteja apaixonado por uma assassina. O problema não é a assassina e sim a paixão. Meio óbvio, não?

O pior é que Dexter, cego pela confusão, caiu como um bobo nessa história. É como Hannah disse: ela não erra. Não seria idiota a esse ponto. Se quisesse matar Debra, ela estaria morta, sem deixar vestígios. Hannah não deixaria provas irrefutáveis como "veneno na garrafa de água". Acontece que quando um mentiroso fala a verdade, ninguém acredita, ainda mais, o sempre desconfiado Dexter.

O pior ainda é que Dexter não só acreditou em sua irmã como jogou seu amor atrás das grades com provas irrefutáveis. Oh my Dexter.

Apesar de tudo, todo criminoso merece pagar pelos seus crimes. Não lamento a prisão de Hannah, como não lamentaria a prisão de Dexter.


Claro que tudo que disse é referente à minha visão do episódio. Posso quebrar a cara no season finale, porém, modéstia a parte, você que lê as reviews da série aqui no blog, sabe que tenho acertado minhas teorias, inclusive o desfecho das investigações de Laguerta. Assim que o tal Estrada apareceu no episódio, ficou claro que ele não estava lá sendo inserido para um final feliz para Dexter. As investigações de Laguerta estavam apertando Dexter, mas esbarrando em sua "perspicácia" para fuga. Mas quando a Laguerta põe algo na cabeça, sai de baixo. Ela consegue, sempre foi assim.

Os momentos onde Dexter coloca suas vitimas envolvidas sempre são momentos mágicos, nostálgicos, mas o clima que sucedeu a emboscada de Estrada, preludia um fim não feliz para Dexter. Felizmente para ele, sua vitima deu com a língua nos dentes e sem querer, alertou-o do perigo iminente, dando ele tempo para fuga. Nosso serial killer passou apertado nesse episódio mas não passará pelo próximo.

Como sempre tem alguma coisa pra estragar o episódio e como sempre quem estraga é o irritante personagem Quinn, vimos ele mais uma vez na boate como se nada tivesse acontecido. Aquela boate onde matara o dono; aquela boate onde agia um grupo de criminosos "perigosíssimos"; aquela boate onde trabalhava uma mulher que jurava amá-lo. Ah, pelo amor... não aguento mais olhar para a cara do personagem. Quero a morte dele já! Pra ontem!

Mas a despedida parece que vai ser do outro lado, o lado bom da delegacia. Batista está se aposentando, infelizmente. Ele que deveria estar ocupando o cargo maior daquela espelunca, escolhera dirigir um restaurante para o resto da vida, infelizmente. Espero que isso não se confirme.


Enfim, o episódio termina convidativo, com a expectativa de um season finale eletrizante. Pelo $%$#@@$ cheio de spoilers exibido após "Do You See What I See?", "Surprise, Motherfucker!" deverá juntar tudo de podre que ocorreu nessa temporada, com assuntos pendentes de toda a série, para que sirva de gancho para a última temporada de Dexter. A atual temporada não está perfeita e nem lembrou o bom e velho Dexter das primeiras temporadas, mas até agora, eu considero muito boa, podendo ser ótima dependendo do season finale.

Estamos na torcida!
Tecnologia do Blogger.