The Walking Dead: "Killer Within" 3x04


É...

Morre a personagem mais odiada de The Walking Dead. Uma grande surpresa, convenhamos.

Sinceramente achei desnecessária a morte de Lori. Tudo bem que era uma personagem antipática e na maioria das vezes irritante, mas era uma importante personagem da série, que vai embora sem fechar totalmente as lacunas que abriu. Querendo ou não, ela era a esposa do protagonista da série. Estava em atrito com Rick devido aos últimos acontecimentos na temporada passada, mas ir embora sem resolver essa situação de forma mais clara foi lamentável.

Todos torciam para uma reconciliação, ou não?

Talvez esse seja esse mesmo o objetivo dos produtores: Lori vai embora da série causando o maior impacto, na frente de seu filho e de forma brutal. Deu sua vida (não tinha outra opção) para salvar um filho que nunca saberemos se é de Rick ou de Shane. Uma morte diferente das que vimos na série, mas uma morte provável, devido às circunstâncias que ocorrera naquele mundo. Para ficar ainda mais impactante, Carl foi o autor do tiro de misericórdia. Realmente TWD, dessa vez você pegou pesado.

"Atrás de um grande homem, sempre existe uma grande mulher." Lori não chegou a ser essa tal grande mulher do grande Rick. Infelizmente não teve tempo hábil para isso.

O fato culminou em uma dramática cena: Rick consternou-se ao ver Carl e Maggie com seu novo filho nos braços. Uma cena arrepiante e muito comovente. Realmente TWD, você me fez chorar.

Tudo isso aconteceu após o domínio da penitenciaria, ou melhor, após acharem ter limpado o local. Rick deve estar bem arrependido de não ter assistido os walkers detonarem aquele crápula vingativo, ou melhor, de não ter metido bala em todos aqueles sobreviventes assim que o viram pela frente. O carinha detonou aquela 'ninhada' de walkers, conseguiu escapar e botou fogo na penitenciaria. Não queria estar na consciência de Rick. Ninguém queria. Ele já se transformou após o season finale da temporada passada e agora passará por uma nova transformação. É o Rick 3.0.

Começamos a acompanhar os dois ambientes da temporada simultaneamente. Enquanto o bicho pegava literalmente na penitenciaria, o Governador seguia mansamente tentando passar a lábia (pra não dizer outra coisa) em Andrea, que segue tentada a continuar na comunidade. Michonne, sempre perspicaz, já sacou "qual é" a do Governador em poucas verificações naquele local, sabendo de que o quão longe estiverem daquele local, mais seguras estarão. O magnata não vai deixar eles simplesmente irem embora, ainda mais que Merle está tentado a ir procurar seu irmão.

Os roteiristas parecem ter relacionado os principais problemas da série em uma prancheta e estão fazendo de tudo para não repeti-los, além de é claro, corrigi-los. Deve estar mais ou menos assim:


Apesar de achar desnecessária a morte de Lori, não vou reclamar (muito) dela ainda, pois, confio que a morte dela terá uma justificativa maior no decorrer da trama. Quanto a morte de T-Dog, já vai tarde (apesar de que o personagem estava melhorando).

O que dá pra afirmar é que a temporada está indo muito bem, obrigado. Em quatro episódios, a série deve ter mostrado e com bem mais rapidez, facetas importantíssimas para o desenvolvimento de uma boa série. Está cada vez mais intrigante, cada vez mais difícil de esperar o próximo episódio. Estamos começando a nos importar com os personagens. Essa é a grande vitória da 3ª temporada de Walking Dead até o momento.

Por Fábio Lins
Tecnologia do Blogger.