The Vampire Diaries: 4x03/04 "The Rager" / "The Five"




Uma nova, mus-cu-lo-sa, e mais uma vez questionável mitologia em TVD.

TVD é uma série esperta. Ela arruma mitologias do fundo do baú, assusta todo mundo quando anuncia suas novas estratégias de morte, e no final quem era pra morrer sempre dá um jeito de viver de novo. Assim foi quando descobrimos que havia um jeito de matar os Originais. Quem não se lembra do episódio onde Elena e os Salvatore tentaram matar Elijah durante o jantar? Quem não se lembra que foi só tirarem a adaga e lá estava o vampirão todo supimpa de novo? É assim que caminha a humanidade -- e a sobrenaturalidade -- nesta série.

Pois agora que vieram com esta história dos Cinco e da cura, já estou com um pé atrás. Primeiro que ter "cura" para vampiro invalidaria tudo na série, especialmente se fizessem Elena voltar a ser humana. Ninguém, ou quase ninguém, é vampiro porque quer. A razão da existência vampiresca reside justamente no fato de que os mortos-vivos não têm outra escolha.

E é aí que também entra a sina de ensinar a protagonista a "ser uma vampira". Sinceramente, tem horas que me pergunto porquê Elena é a principal em TVD. Não tinha uma personagem menos chata para o posto?

Já cansou -- cansou mesmo -- ela ficar caçando a quem culpar ao invés de perceber que é infinitamente estúpida por natureza. Vira e mexe ela recorre a Damon, que sempre está lá para ela, e no final a moçoila chuta o traseiro do pobre coitado. Toda-santa-vez. E toda santa vez ela repete: não quero ser como você. Agora me diz: como assim, Elena? Você não quer ser como Damon? Então quer ser como quem? Como Stefan?

O tempo de Damon ser o mal do pedaço já passou. Ele não é mais vilão, não causa mais mal à ninguém. Ainda por cima, existe o fato de que ele é vampiro por culpa de Stefan e, diferente do irmão, ele aprendeu a ser um vampiro feliz ao invés de sair estripando gente por aí. Ele aprendeu a se alimentar em humanos e deixá-los vivinhos da silva. O que mais Elena pode querer? Não é nem questão de qual dos dois irmãos ela quer levar pra cama. Enquanto o que ela adora não pode ver sangue humano sem sair arrancando cabeças, o que ela maltrata pode ensiná-la a viver feliz mesmo tendo que ir contra seus (insuportáveis) "sentimentos". Afinal, agora ela não tem outra escolha.

Mas de que adianta dizer isto para Elena, certo? Vai ser sempre a mesma coisa enquanto durar este período de aprendizagem dela. Agora vamos ver até quando Damon vai aguentar essa ladainha infernal.

Depois de sair Alaric, eis que temos o professor Shane. E como é regra que todo professor de TVD não seja apenas um professor normal, Shane tem seus laços com o sobrenatural e também com a história dos Cinco. Como vimos no final de "The Five", ele é relacionado à Connor e, aparentemente, sabe muito mais sobre a origem deste do que o próprio caçador.

Aliás, foi muito engraçado a captura de Connor. Até "The Rager" estava muito estranho que uma pessoa normal pudesse ter tanta vantagem sobre vampiros como ele tinha. Mas já no final do episódio, diante da reação de Klaus ao ouvir sobre a tatuagem invisível, percebemos que "pessoa normal" não era exatamente uma expressão apropriada para ele.

Então em "The Five" a cena inicial já mostra o momento em que cinco homens são feitos caçadores de vampiros por uma bruxa. O feitiço envolve muito músculo, fogo mágico, espadas e tatuagens invisíveis. As tatuagens, como mais pra frente revela Rebekah, formam um mapa que leva à cura do vampirismo. E depois, com o relato de Connor, descobrimos que a cada vez que o caçador mata um vampiro, mais um pedaço da tatuagem/mapa se revela em seu corpo.

Mas vamos abrir aqui um parêntese para Rebekah. Que menina azarada, hein. Primeiro ela se envolve com um ultimate caçador de vampiros que enfia uma adaga nela e em toda a sua família. Depois ela se envolve com Stefan, cujo hobby era decapitar mulheres e fazer uma listinha com o nome delas. Achei bom que antes de Klaus colocar a irmãzinha para dormir (de novo), ela ainda se achou na posição de fazer um discurso sobre o amor... logo ela que agora está a fim de Matt, o rapaz que ela tentou matar a pouquíssimo tempo atrás. Não resta dúvida nenhuma de que todos os homens do planeta agradecem Klaus por tê-los livrado dessa loira que é literalmente uma gelada.

Só que agora é que as coisas começam a se complicar de verdade -- exatamente como a gente gosta. Nem Bonnie, nem Damon nem ninguém sabe qual é a do professor Shane. Mas ele não só sabe qual é a de cada um deles como foi ele quem mandou Connor fazer sua despoluição em Mystic Falls. Além disso, ele já achou um jeito de entrar no meio do grupo usando sua inocente fachada de bom professor ao se aproveitar da fraqueza de Bonnie e de sua necessidade por um mentor.

Talvez esteja aí o novo vilão da série. Bem que poderiam ter deixado apenas a chatice de Elena ser a vilania do ano, mas TVD foi esperta e arrumou algo que pode ser interessante de fato. Sei que não é muito legal já começar quebrando a graça da coisa, mas devo dizer que fui muito com a cara (lavada) de Shane. Claro, boa coisa ele não é. Mas boa coisa também não eram Damon e Klaus quando chegaram em Mystic, e olha só como os dois são uns docinhos hoje.


Observações:

- Adorei que Elena preferiu Damon a Caroline porque Carola é "muito boa" em auto-controle. Dá para entender completamente porque Stefan estava, carinhosamente, tentando matar a namorada enquanto ela dava essa desculpa esfarrapada.

- Rebekah, tentando se desculpar, dá uma nova caminhonete para Matt. Vale, gente? Uma caminhonete por uma morte? Parece uma troca justa, né.

- Rebekah foi tirar uma soneca, Klaus foi fazer turismo atrás da cura. Então é hora de quem voltar? Katherine Bitch!

- Então quer dizer que além de visualizador de tatuagens e fantasmas invisíveis, e de potencial caçador, Jeremy também tem talento pra desenhar? E eu aqui me perguntando porque ele não fez nada de útil até hoje...

- Opa! Jeremy caçador? Jeremy? Sério, TVD?
Tecnologia do Blogger.