Once Upon a Time: "Child of the Moon" S02E07




Olá, leitores! Como estão passando nessa sexta feira fria? Está boa para assistir um filme, beber um vinho, não? Enfim, vamos falar de coisa boa, vamos falar de Amanhecer parte 2... Brincadeira! Eu disse que era coisa boa e que eu saiba, Amanhecer, não está incluído nessa categoria. Enfim, parar de fazer polêmica e começar a review deste maravilhoso sétimo episódio.

Este episódio foi mais centrado na Ruby e, mais uma vez, associando presente e passado. No presente, Ruby está para enfrentar sua primeira lua cheia desde que a magia voltou. Como perdeu sua capa, não tem como impedir de que se transforme, assim, opta por ser presa para que não acabe machucando alguém. E se tem o ponto de virada quando, no dia seguinte, descobre-se que ela conseguiu se soltar e Billy, rapaz que havia a chamado para sair na noite anterior, está morto. Com isso, podemos ver claramente, que toda a culpa por aquelas mortes que ela cometeu no passado, de certa forma, retornam ao seu consciente. Já passados vinte e oito anos que ela não se transforma, acabou por perder a habilidade de, como mostrado nas cenas do passado da personagem, controlar o lobo.

Ao decorrer do episódio, descobrimos que no passado, Ruby encontrou sua mãe, assim, mostrando que, na verdade, sua avó havia mentido sobre a morte desta. Ao ser levada por Quinn, um lobo, para o local onde reside sua matilha, Ruby encontra sua mãe, aparentemente, a líder destes. Sua mãe lhe ensina a aceitar quem ela é e a controlar sua transformação. Mas quando Snow lhe encontra, pois esta não apareceu no local que marcaram, os guardas da rainha acabam por achar o esconderijo dos lobos e matam Quinn. Anita toma a decisão de matar Snow, mas Ruby faz a sua escolhe e esta escolhe Snow, assim, defendendo a amiga e acabando matando sua mãe. Mostrando que não importa se uma pessoa é seu sangue ou não, família é com quem o coração está, quem esteve do seu lado não importando o quê e te aceita tal como é. Isto é ser família!

Bom, no presente, Charming, sem desistir por momento algum de Ruby, vai em busca de quem matou Billy e descobre que tudo não passava de parte da vingança de Spencer. Mesmo tendo conseguido convencer a todos a caçar Ruby, o bem sempre vence no final e Charming consegue chegar a tempo de provar que Spencer está por trás da morte de Billy. Além disso, o príncipe, faz Ruby, que neste momento está na pele de lobo, a compreender que ela não é um monstro e que, pode sim, ainda controlar a si quando está transformada. Once Upon a Time sabe trabalhar bem esses conflitos internos que cada personagem enfrenta e de certa forma, dá para associar aos conflitos que nós, meros mortais, enfrentamos no dia a dia.

Enquanto isso, em paralelo a trama Ruby vs si mesma e Charming vs Spencer, temos Henry enfrentando seus pesadelos. Regina chama Mr. Gold para ajudar e ele diz que aquela situação faz parte do fato de Henry ter adormecido pela maldição, pois a alma navega para outro mundo, um mundo entre a vida e a morte, e já que Aurora passou pelo mesmo, ambos estão voltando para este lugar durante seus preciosos sonos. Entretanto, Mr. Gold deu a Henry um colar que o ajudará a conseguir controlar tudo o que acontece quando for para lá e, aparentemente, este será um meio de comunicação entre ele, sua avó e sua mãe. Pela promo do próximo episódio, as coisas irão começar a esquentar nesse seriado.

Nota¹: Corra, Ruby, corra, seja livre!
Nota²: Quando o Charming estava achando que não teria mais chance de trazer Emma e Snow de volta...
Nota³: Estou sentindo falta da Regina nos episódios, ela está aparecendo bem pouco.

Bom, espero que tenham gostado do episódio e da review. Até a próxima!
That’s all folks!
Tecnologia do Blogger.