Dexter: "Argentina" 7x08


Amarrando as pontas, com cuidado para não se enforcar.

Quando surgiu o plot 'incesto' em Dexter, provavelmente nenhuma pessoa em sã consciência aprovou o rumo que a série poderia seguir. Felizmente na temporada passada, esse assuno não andou muito, dando fechamento exclusivo para o caso principal - o serial killer em nome de Deus - jogando literalmente a sujeira para debaixo do tapete.

A atual temporada começou de forma diferente, bombástica e ousada. Não existia mais o amor, mas sim, o medo. Deb enfrentou e ainda enfrenta o dilema de ser irmã de um serial killer e ainda "optou" por acobertar seus crimes. Por amor? Com certeza, mas que tipo? Isso nem ela sabe, mas o que nós sabemos é que mesmo não concordando com essa escrota inserção na sub-trama, entendermos que uma resolução era necessária. 

Ela veio. Veio para abrir os olhos de Dexter para o momento e para dar uma satisfação aos telespectadores. O que seria da série se esquecessem dessa "pedra no sapato"? Não esqueceram, deram um bom seguimento com um gancho para a eliminação do assunto, mas espero que finalize esse assunto e fique por aí mesmo. Não tem nada de amor e sim, stress alto da Tenente Deb, fazendo-a confundir as coisas. Deb sempre tem problemas com seus namorados. Acho que no fim da série, poderiam adicionar um caso homossexual à ela. Quem sabe ela... (especulação total)


Confusão. É a palavra que ilustra o lado idiota do personagem Dexter. Quando ele faz aquelas caras... Bom, todos sabem que ele sempre acaba entrando em enrascadas, mas sempre sai bem no fim da história. As vezes, elas tiram um pedaço dele (Rita), claro, mas Dexter sempre se sobressai. A história se repete e a sensação de que "esse filme eu já vi" sempre vem. Ele está literalmente apaixonado pela loira assassina, não pela beleza física (e que beleza!), mas, pela afinidade extrema, pelo mesmo "ramo" de trabalho e a pela beleza interior de Hannah, apesar de que Dexter não é Arquiteto (aquele que se preocupa com beleza interior rs). 

Mas dessa vez ele não vai escapar ileso, isso é verdade. Alguma coisa podre está preparado para ele. Não digo "apenas" pela queda mundial de sua máscara, que está bem encaminhada pelas investigações de Laguerta, mas pela perda ou perdas iminentes. Alguém vai morrer. Alguém importante para Dexter vai morrer e olha, ele ainda está ajudando. Família unida e completa. Parabéns pelo feito, Dexter! (Só que não)

O desenrolar de toda essa trama está sendo muito bem feito, apesar dos pesares mencionados por mim em reviews passadas. Dessa vez, parece que os 'novos' roteiristas assistiram as temporadas anteriores para escreverem os episódios. Estão trazendo muita coisa do passado da série para ser confrontado nesse presente, e isso traz uma nostalgia impagável. Isso foi a maior riqueza trazida para essa temporada.


Ademais, as sub-tramas estão mais enxutas. Não estão perdendo muito tempo com plots Batista/Laguerta/Quinn. Os personagens secundários estão aparecendo pouco mas quando aparecem, trazem algo relevante à trama. Aí sim! Nem está mais tedioso assistir os assuntos relacionados à Quinn. Inseriram um caso paralelo interessantíssimo orquestrado pelo ótimo vilão gay (WHAT?) Sirko e jogaram o personagem Quinn lá para ser odiado por nós, que culminará com a tão esperada morte do personagem no final. Espero que isso realmente aconteça.

Quanto ao nome do episódio, "Argentina", serviu apenas para revelar o sonho de fuga de Hannah, que talvez possa dar uma ideia para o final. Não me surpreenderia se no final da temporada, ela e Dexter fugirem para lá, ambos caçados por seus crimes em série. Será?
Tecnologia do Blogger.