The Walking Dead: "Sick" 3x02


The Walking Dead fechou um importante arco da história em apenas dois episódios. Resolveram pisar no acelerador, para o bem geral dos viciados em séries.

Foi a principal reclamação da temporada passada. Evolução (quando tinha) muito lenta. Nem digo pela destruição desenfreada de walkers, que vimos nos dois primeiros episódios da nova temporada, mas sim, pela construção e resolução dos fatos, sem enrolação, mesmo tendo espaço para isso. Chacina de walkers não é o mais importante na série, mas é sempre bom assistir. Traz entretenimento e suspense. Para termos uma ideia, em episódios passados, passávamos um episódio inteiro sem ao menor ver um walker se quer. Olha que a nova temporada terá 16 episódios e se continuar nesse ritmo, a série entrará para o hall das melhores séries de drama da atualidade.

A procura de um novo lar. Esse foi o objetivo mais urgente dos infectados sobreviventes, após a invasão da fazenda, na temporada passada. Encontraram um 'paraíso', mas, habitado. A princípio encontraram 'apenas' milhões de walkers, mas no final do episódio passado, depararam com sobreviventes. 10 meses dentro de um refeitório, sem saber de nada do que estava acontecendo. Poderiam manter os sobreviventes até o fim da temporada, mas resolveram já encerrar esse plot, que serviu principalmente, para mostrarmos a nova versão de Rick. Um líder sem nenhum tipo de escrúpulo, capaz de tudo para manter seu grupo protegido. Antes que aparecesse um Shane 2.0, foi logo enfiando-lhe um facão no meio de seu cérebro e já cortando o mal literalmente pela raiz, enquanto corria para deixar outro inimigo, encurralando-o para a morte. É o fim de mais uma versão de 'Os Outros'. É o início de um novo Rick.

Enquanto ele e sua turma lidavam com 'Os Outros', Hershel precisava ser salvo. Interessante assumirem que a presença de Hershel combatendo os walkers era desnecessária, fato que comentei na review passada. Mas não houve tempo para reclamação e sim, deveriam agir rápido para salvar a pessoa mais importante do grupo, depois de Rick. Em meio a muita dúvida, emoção, medo, suspense e travessuras do pirralho, Hershel abriu os olhos, dando muitos pontos positivos para Lori, uma das principais responsáveis para o o seu 'ressurgimento', abrindo espaço para uma possível e provável reconciliação com Rick.

Hershel mesmo mordido, não se transformou em um walker, devido a rapidez da amputação feita por Rick. Não deixa de ser um fato novo para nós e gerará inúmeros precedentes. Poderão e deverão vir novos amputados por aí.

Mais uma fez eles tiveram espaço para enrolar a trama e não a fizeram. Ótimo.

Ação, emoção, evolução, suspense, cliffhangers. Elementos que sobraram no início da 3ª temporada de The Walking Dead. Foi simplesmente tudo que pedimos em temporadas anteriores, que está sendo muito bem construída nessa atual. Claro que o ritmo tende-se a diminuir, pois, pelo lucro e pela audiência que a série proporciona, não sairão demonstrando rapidamente os maiores mistérios da série.

Estamos na 3ª temporada e pelo andar da carruajem, deverá chegar até a décima, no mínimo. Se forem no mesmo no nível apresentado nesses dois primeiros episódios, eu e ninguém deverá se importar, ou estou enganado?  

Por Fábio Lins
Tecnologia do Blogger.