Pular para o conteúdo principal

The Good Wife: 4x04 - Don’t Haze Me, Bro




Apesar dos comentários de que esta temporada de The Good Wife estava começando morna “Don’t Haze Me, Bro” provou que a série não perdeu nada de sua essência. O quarto episódio dessa temporada fundamentou melhor os caminhos que a serie quer trilhar e foi cativante ver as tramas finalmente se alinhando.

De inicio, Eli Gold foi um dos grandes destaques do episódio dessa semana, porque agora ele tem um grande problema em mãos e apesar de todos os esforços para prova que a historia de que Peter teria dormido com uma auxiliar de sua campanha era falsa (com a ajuda da sempre fantástica Kalinda) viu todo seu trabalho ir pelo ralo com a ameaça de que um blog anarquista que publicará a matéria.

Mesmo que a historia não seja verdade e que haja provas quanto a isso, o dano que isso pode causar a campanha de Peter é gigantesco. Eli sabe disso, mas até o ponto em que ele consiga contorna a situação o estrago poderá ser determinante na campanha. Acredito que tal boato sobre a traição de Peter é muito mais do que um simples artigo de revista e sim um grande ataque a campanha de Florrick elaborado pelos assessores de campanha de Mike Kresteva (personagem do sempre irritante Matthew Perry) afinal a estrutura da historia parece ter sua assinatura.

 E no sentido de prejudicar a campanha de Peter a estratégia parece estar funcionando já que uma das suas principais financiadoras, Maddie Hayward (Maura Tierney) já começa a demonstra hesitação o que leva mesmo Alicia a intervir, de uma formar meio amadora e descuidada é verdade, entretanto a situação já começa a ficar complicada. Mas estou cativado a saber se essa amizade que ela nutre com Alicia é legitima ou só acontece por interesse.

Em relação a Kalinda, finalmente tivemos um tempo no desenvolvimento do seu arco, que na verdade não se desenvolveu em nada até agora. Sabemos que ela tem um relacionamento conflituoso com Nick, porem tivemos muito poucas informações sobre isso e admito que foi até um alivio não ter que aturar os dois neste episódio.


O caso da semana girou em torno da morte de um universitário em uma das típicas confraternizações universitárias que não acabam bem (historia comum se pensarmos sobre isso), e apesar dos esforços de Jared Andrews (John Glover, o eterno Lionel Luthor de Smallville) em desviar o caso para não responsabilizar a Universidade pela negligencia, Diana estava extremamente motivada e conseguiu refutar todas as tentativas do advogado de transformar a morte do rapaz em um crime de ódio.

A propósito, foi extremamente satisfatório ver Diana agir do modo como fez neste episódio, ela é uma personagem muito interessante e estava começando a sentir falta desse seu lado forte, certamente isso será determinante para a recuperação da “Lockhart & Gardner”.

Mais que um ótimo episódio ‘Don’t Haze Me, Bro’ conseguiu efetivamente consolidar os objetivos da temporada e comprovar que The Good Wife ainda não perdeu o fôlego. Também tivemos cenas interessante envolvendo Jackie Florrick e Cary Agos, mas isso é assunto para desenvolvermos mais adiante quando seus arcos forem finalmente consolidados.

Promo do próximo episódio:

Postagens mais visitadas deste blog

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

O Fim de Sons of Anarchy

"Papa's Goods" 7x13 [Series Finale] (Com spoilers)
Quando a morte é a última e única saída.
E Jax encontrou na morte a solução para tudo, mas Sons of Anarchy continuará viva, até em breve criarem um remake, ou até mesmo, continuar com a série, pois margem de sobra deixaram pra isso.
O fim de Sons of Anarchy tratou de mostrar o fim de Jax Teller, aquele se tornou protagonista da série, mas nem sempre foi assim. As primeiras temporadas eram comandadas por Clay, que revesava o papel principal com Jax, mas nem de longe as ações que ambos exerciam eram o mais importante da série.
Sons se destacou pelo conjunto de personagens e por ações em conjunto, alinhado às situações nada pacíficas da família Teller. Portanto, com o fim de Jax Teller, a série termina, mas, diferente da maioria das séries, o enredo sobreviveria "tranquilamente" sem Jax.
Ademais, a saída para "resolver" tudo foi a morte. Jax "morreu", mas foi para o "outro mundo" de a…

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

TOP 5 Séries Melhores que Game of Thrones

— Vikings: "Gosto de Game of Thrones porque tem muita luta medieval, sangue..."

As lutas medievais de Vikings são muito mais intensas, extremamente constantes na série. A série também vem de uma adaptação, só que dá história da humanidade, quando exploradores, guerreiros, comerciantes e piratas nórdicos invadiram, exploraram e colonizaram grandes áreas da Europa e das ilhas do Atlântico Norte a partir do final do século VIII. A série também é muito mais viciante, sem a morosidade de diálogos vistos na série da HBO.

— Banshee:  "Gosto de Game of Thrones porque tem muitas cenas de sexo e nudez"

As cenas de sexo de Banshee são extremamente mais explícitas. Nudez é cotidiano na série, inclusive nudez frontal. E a nudez de Banshee não são como em Game of Thrones, que praticamente mostra a nudez de prostitutas, personagens secundários. Em Banshee os atores principais estão nessas cenas. Banshee também ganha no quesito violência, sangue, ação, além de ter roteiro original.

— …