Alphas – S02E11 If Memories Serves




Por Cinthia Mendonça

Olá meu povo!!! Preparados para a review de Alphas dessa semana? Então vamos lá!!

E como a primeira cena foi de arrasar, eu pergunto: Quem não amou ver Kat com aquela roupa e o “ar” de agente da Polícia Federal ( FBI é só pra Fringe!) detonando todos que chegavam pela frente???? Hahahaahhahahah, só sei que eu amei muito! Adoro esse tipo de cena. Parece-me que a temporada de caça à Parish só está começando... Ao lado de Hicks, Kat sai em busca de uma possível pista de um esconderijo de Parish, mas chegando lá, encontra um Alpha com poderes ainda não definidos, mas que gerou uma bela desconfiança nessa que vos escreve. E quem é o ator que faz o Alpha esqusito, hein, hein, hein???? Sean Astin!! Êeeeeeeeeeeee!!! Muitos de vocês o conhece por seu trabalho em O Senhor dos Aneis e alguns outros por seu trabalho em Os Goonies, filme clássico! Adorei a novidade!


As cenas que se seguiram foram bem interessantes. Hicks e Kat descobriram a habilidade de Mitchell ( Sean Astin) e a mesma os fizeram ficar intrigados sobre as suas memórias. Primiero Hicks, tem uma experiência com as memórias de Parish ao tocar Mitchell, depois é a vez de Kat que pede que o mesmo descubra as memórias perdidas de sua mãe. O resultado foi um desastre para Kat. O episódio segue com a senadora, que foi induzida por Nina descobrindo a faça dela e Dr. Rosen para conseguir informações e as tentativas de desvendar as pistas sobre Parish pela equipe. E quem diria que a grande fraqueza de Parish são os seus sentimentos?!! Aquilo que nos torna humanos, que nos faz viver e levantar todos os dias. Achei muito legal! Qualquer coisa diferente disso seria um grande desfavor a esse anti-herói que eu adoro! Heheheheh. Com essas informações nas mãos, vamos esperar pra ver como Rosen e sua equipe chegarão em Parish. 

That’s all povo!!! Até semana que vem! 

 Ponto alto do episódio: O mega fora que Dr. Rosen deu na senadora hipócrita. In love! 

 Ponto baixo do episódio: As cenas de Gary no hospital com a mãe. Totalmente improdutivas.
Tecnologia do Blogger.