Pular para o conteúdo principal

Modern Family - S04E04 - The Butler's Escap


Achei a abertura deste episódio meio sem graça, mas, e apesar de não ter sido, na minha opinião, o melhor episódio desta quarta temporada, manteve o bom nível a que já nos temos habituado.

The Butler's Escape dividiu-se entre música, magia...e o ressonar de Glória.
Comecemos pela dupla mais engenhoca e trapalhona da série - Phil e Luke (ou diremos Lukini ?). Afinal o garoto não é completamente desprovido de inteligência e tem um incrível talento para a magia. Phil deposita então imensas esperanças no futuro brilhante do filho, comprando-lhe toda uma panóplia de instrumentos mágicos e contratando um professor à altura do dom de Lukini. A questão, pertinente, que se colocou foi - e se as melhores intenções dos pais, próprias de quem deseja um futuro brilhante para os seus filhos, não vai ao encontro dos desejos dos herdeiros? Pois é, parece que Luke Lukini não está assim tão interessado na magia quanto Phil.


Para o lado de Jay as coisas também não vão melhores. Se todos os homens deste planeta lhe invejam a sorte de ter Glória como esposa, nesta episódio acho que muitos desses retiraram, ainda que momentaneamente, esse desejo inicial. É que Glória tem passado as noites a ressonar, fazendo com que Jay e Manny permaneçam noites em claro sem conseguir dormir. Só que Jay não sabe como explicar isto a Glória de forma directa e sem rodeios; contrariamente Manny não aguenta e explica à mãe o que se passa, fazendo com que Jay saia com a ficha limpa.


Precisando de uma noite de sono tranquila Jay inventa uma desculpa para passar uma noite num Hotel em San Francisco. Mas acabou descoberto, pouco tempo depois, com Glória a ir diretamente ao Hotel e dando-lhe um valente tapa na cara, visto que pensava que este a andava a trair. Explicadas as coisas Jay acabou por ter a sua noite tranquila, sem ruídos extras, contudo não foi no Hotel. Glória como latina orgulhosa que é, resolveu ficar ela no Hotel, deixando Jay em casa com Manny.

Quanto a Cam e Mitch. Já todos sabemos o quão insuportável pode ser Cam quando está entusiasmado. Agora imaginemos Cam entusiasmado + música + um piano + uma sala de aula + alunos pré-adolescentes. Foi no mínimo desastroso ver Cam apresentar a "amiga música" com o seu medley meio teatral a umas crianças incrédulas com o que se passava diante do seu olhar. Definitivamente não foi uma aula conseguida.


Já Mitch ficou com a responsabilidade de cuidar da Devil Lily e de organizar as tarefas da casa. Achei super engraçada a cena em que Mitch está ao telefone com Cam enquanto faz as compras para a casa. Cam conhece perfeitamente o marido para compreender que este perdeu Lily no supermercado, ajudando-o a encontrá-la, dentro da arca frigorífica, apesar de Mitch continuar a afirmar que tem Lily ao pé de si. É a tal cumplicidade, que tenho vindo a referir, que este casal possui. Conhecem-se verdadeiramente!
Já em casa Cam está triste porque o seu dia não correu como o esperado; já Mitch parece  que cumpriu com tudo, tratando de Lily e da casa de forma impecável. É aí que vemos Claire de uma lado para o outro , de berbequim em punho, fazendo sinais para que Mitch conte a verdade. Claire esteve magnifica e deu muita gargalhada vê-la com aquele olhar meio louco de quem já tratou da casa toda e ainda teve tempo de fazer tranças no cabelo de Lily.  No entanto Mitch não conseguiu contar a verdade e teve mesmo que ser Claire a intervir, dizendo a Cam que Mitch também falhou nas tarefas que tinha acordado para esse dia. No final a reacção não foi a esperada, visto que o casal se abraça, já que de uma forma pouco comum se sentiram unidos numa espécie de fracasso.

Voltando a casa dos Dunphy - o equilíbrio necessita ser restaurado. Alex anda a monopolizar a casa em jogos cerebrais, fazendo todos os elementos da família sentirem-se ignorantes ou desvalorizados. Foi então que Claire percebeu o que se estava a passar. Alex perdeu a sua força oposta - Haley. Foi então, de forma genial, que colocou Alex a falar com Haley através da telinha do pc. O resultado foi hilariante. Haley deu uma valente sova cerebral a Alex, colocando a garota no seu lugar.


P.S- os números mágicos de Luke Lukini foram fantásticos. Desde a cena em que disse que não queria fazer magia e lançou uma bombinha, evaporando-se em seguida. Até à resolução do número mais difícil que Phil lhe propôs.



Sempre que Claire entrou também fez magia, mas de uma forma menos literal. A cena do telefonema entre a mesma e Jay, onde insiste em perguntar quantos quilos é que Glória engordou foi super cómica. E as expressões que faz enquanto Phil fala do futuro brilhante que Luke pode ter enquanto mágico? Muito boas mesmo. Julie Bowen é sem dúvida uma excelente actriz de comédia. 

Por Ana Sustelo

Postagens mais visitadas deste blog

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

Especial: TOP 5 séries que você não deve assistir com a sua mãe

Olá, leitores! Hoje não é um dia qualquer, não é um simples domingo onde você, caro leitor, comerá um pedaço de pizza do sábado à noite no almoço, porque hoje é o dia das mulheres da vida de cada um de vocês, das mulheres que consideram sagradas. Hoje é dia das mães! O Viciado Em Série não poderia deixar de prestar sua homenagem, contudo, decidido a fazer algo diferente do bom e velho “TOP 5/10 Mães de Séries/Filmes”, segue o "TOP 5 Séries Que Você Não Deve Assistir Com a Sua Mãe".
5º Lugar - Game of Thrones

Uma série da HBO para maiores de 18 anos cheia de nudez, cenas de sexo, incesto, orgias, guerras, violência de todos os tipos, entre outras situações embaraçosas. Game of Thrones, definitivamente, não é o tipo de série para você assistir ao lado da sua querida e sagrada mãe, afinal, qual filho não fica constrangido diante uma cena de sexo em um filme aleatório sendo assistido junto dela? Agora imagina uma cena dessas entre dois irmãos... Pois é, MELHOR NÃO! 
4º Lugar – Tr…

A Fantástica Última Temporada de The Killing

(Com spoilers)

Uma aula de como encerrar uma série.
The Killing recusava a nos deixar. Sofreu dois cancelamentos e foi resgatada duas vezes. Lutou contra os números de audiência, única coisa que interessava para o AMC, e conseguiu sobrevida graças à sua qualidade, prontamente reconhecida pelo Netflix. Ajudou na produção da terceira temporada e bancou sozinha a sua quarta, pois, felizmente, acreditou na série e não nos deixou órfãos, depois daquele excepcional cliffhanger.
Terminamos a terceira temporada presenciando Linden matar cruelmente (e merecidamente) Skinner, aos gritos de "NÃO" de Holder. Tempos depois fomos noticiados que não veríamos mais nada além daquilo, pois o AMC decidiu cancelar a série, fato que trouxe muita tristeza para o seu telespectador. É uma crueldade que fazem com o telespectador, mas é, infelizmente, uma prática comum na TV, pois não respeitam nada além de lucro, e deixam de contar uma história sem mais nem menos, se lixando para seus clientes. 
E a …