Pular para o conteúdo principal

Homeland: 2x02/03 - "Beirute is back" / "State of independence"



 Rumo ao Emmy. De novo.

2x02 - "Beirute is Back"


 "Estar errada sobre Brody realmente acabou comigo. Porque eu nunca estive tão certa. E tão errada." 

Em Beirute is Back, Homeland expôs de maneira brutal as torturas as quais nossa própria mente pode nos submeter e mostra o quão difícil pode ser para uma pessoa vencer uma batalha contra si mesmo. 

Sob a fachada do terrorismo, dos conflitos externos e do medo eterno que os americanos possuem desde o 11 de setembro, é na abordagem do conflito interno de seus personagens principais que Homeland encontra suas maiores virtudes e se torna ainda mais diferenciada e competente a cada novo episódio. 

O episódio foi absurdamente competente, completo e genial. Manteve a atenção do espectador o tempo inteiro, trabalhou a história principal mesclando bons diálogos, ação e suspense e ainda ousou bastante ao entregar um final inesperado e que promete alterar muito a estrutura da série daqui para frente. Contudo, foi mais uma vez ao abordar os dramas de seus personagens principais que Homeland novamente excedeu as expectativas. 

A luta que Carrie Mathison trava consigo mesma todos os dias é muito mais complicada e dura e que qualquer ameaça externa ou guerra. É uma batalha solitária e ininterrupta em que é necessária vigilância constante, coragem, bravura e força extremas para superar um inimigo muito mais perigoso e traiçoeiro do que qualquer terrorista a quem ela já enfrentou ou pode vir a enfrentar: sua própria mente. 

O que pode ser pior que viver todos os dias sem poder confiar em seus pensamentos, julgamentos, memórias? Se uma pessoa não pode confiar nem mesmo em si própria, como ela poderia confiar em uma outra pessoa? A vida de Carrie é assim, todos os dias, a todo momento, uma tortura constante a cada segundo. 

Seria ela fraca? Nem um pouco. No lugar de Carrie uma pessoa normal já teria se deixado entregar ou então estaria dopada e internada para não mais ter que lidar com o problema. Ela não. Entregar-se não faz parte do seu vocabulário, de seus valores, ela precisa, tem que lutar até o fim, nem que para isso morra tentando. 

Em Beirute is Back vimos Carrie lutar. Lutar como nunca, arriscar seu pescoço ao máximo em um ambiente extremamente hostil em uma tentativa desesperada de se provar certa, de provar para si mesma e para os demais que ela ainda é confiável. E ela (mesmo sem saber ao final do episódio) conseguiu. 

Já Brody vive outro tipo de conflito. O da dúvida, da culpa, de não ter certeza sobre o que é certo ou errado, se faz parte dos terroristas ou apenas compartilha da dor e da raiva por uma pessoa a quem se afeiçoou e aprendeu a gostar em um momento em que estava extremamente vulnerável. Brody não sabe mais quem é, o que se tornou ou que pretende se tornar e sua mente balança com a pressão que sofre de Nazir, de Jessica e de si próprio. E talvez não tenha tempo de saber, uma vez que seu segredo foi finalmente descoberto por Saul, após este encontrar no material apreendido por Carrie o memory card com a confissão de Brody sobre o atentado que ele não levou a diante. 

Em resumo, Beirute is Back foi um episódio soberbo e um dos melhores de toda a série, pois soube brilhantemente mesclar o suspense da história principal com as aflições de seus personagens principais. E é isso que se espera de uma grande série, que ela proporcione um algo a mais, um toque especial que as tornam diferenciadas e únicas. 

 2x03 - "State of Independence " 


 "I was right!" 

State of Independence tratou claramente de segurar a onda da temporada e prolongar as expectativas dos fãs. É claro que ninguém acha muito agradável quando no auge de um suspense o foco é direcionado para outro ponto, porém Homeland pelo menos foi competente ao realizar esse movimento e soube usar o episódio para desenvolver um pouco mais os dramas pessoais de seus personagens principais. 

O destaque do episódio desta vez ficou para Brody, que ao ser forçado a resgatar o seu contato com Nazir, o "Alfaiate" e levá-lo para um lugar seguro antes que ele fosse capturado, terminou enfrentando uma série de complicações que o fizeram tomar uma medida drástica e mostrar até que ponto ele está disposto a ir para salvar seu próprio pescoço. 

 E esse ponto parece ser "aquele que for necessário". Com Jessica no seu pé, ao telefone e pressionado pelo barulho que o desesperado alfaiate fazia, Brody não pensou duas vezes no que fazer para proteger seu verdadeiro eu de sua esposa e, de um momento pro outro, desistiu de salvar o alfaiate a qualquer custo e torceu o pescoço do cara sem dó. E assim a verdadeira personalidade de Brody vai ficando cada vez mais clara não só para os espectadores, mas também para ele próprio. 

No outro lado, tivemos Carrie indo do êxtase à decepção total ao ser impedida por Estes de participar da reunião que tratou sobre o relatório que ela mesma elaborou. No fundo ela pensava que depois do que fez em Beirute, David daria o braço a torcer e perdoaria suas atitudes intempestivas do final da temporada passada e a readmitiria na CIA. 

 Ledo engano. Além de ser excluída da reunião e passar vergonha na frente de todos, Carrie ainda foi obrigada a ouvir da David que não iria recuperar seu emprego. Foi a gota d'água para ela. De repente aquela Carrie forte e lutadora fraquejou e simplesmente decidiu acabar com tudo e tomar uma overdose de remédios para acabar com o sofrimento. Para ela já tinha dado, tinha feito tudo o que podia para superar toda aquela situação, mas seu limite tinha sido atingido. Porém, quando já esperávamos que Carrie fosse ser salva por alguém na última hora, eis que essa batalhadora e incrível mulher repentinamente encontrou forças no fundo de sua alma e colocou para fora todos os remédios que havia tomado, bem a tempo de receber de Saul a notícia de que ela esteve certa todo o tempo em relação a Brody e assim renascer das cinzas. 

Assim, o final de State of Independence deixa Homeland exatamente no mesmo lugar que a série estava após Beirute is Back, porém agora certamente pronta para desenrolar a trama a partir da grande descoberta de Carrie e Saul. A maneira como as coisas vão se desenrolar de agora pra frente e como Carrie, Saul e David irão lidar com a situação a partir do próximo episódio é o que deverão dar a tônica para a temporada. E eu tenho a impressão que essa tônica será fantástica.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

Especial: TOP 5 séries que você não deve assistir com a sua mãe

Olá, leitores! Hoje não é um dia qualquer, não é um simples domingo onde você, caro leitor, comerá um pedaço de pizza do sábado à noite no almoço, porque hoje é o dia das mulheres da vida de cada um de vocês, das mulheres que consideram sagradas. Hoje é dia das mães! O Viciado Em Série não poderia deixar de prestar sua homenagem, contudo, decidido a fazer algo diferente do bom e velho “TOP 5/10 Mães de Séries/Filmes”, segue o "TOP 5 Séries Que Você Não Deve Assistir Com a Sua Mãe".
5º Lugar - Game of Thrones

Uma série da HBO para maiores de 18 anos cheia de nudez, cenas de sexo, incesto, orgias, guerras, violência de todos os tipos, entre outras situações embaraçosas. Game of Thrones, definitivamente, não é o tipo de série para você assistir ao lado da sua querida e sagrada mãe, afinal, qual filho não fica constrangido diante uma cena de sexo em um filme aleatório sendo assistido junto dela? Agora imagina uma cena dessas entre dois irmãos... Pois é, MELHOR NÃO! 
4º Lugar – Tr…

A Fantástica Última Temporada de The Killing

(Com spoilers)

Uma aula de como encerrar uma série.
The Killing recusava a nos deixar. Sofreu dois cancelamentos e foi resgatada duas vezes. Lutou contra os números de audiência, única coisa que interessava para o AMC, e conseguiu sobrevida graças à sua qualidade, prontamente reconhecida pelo Netflix. Ajudou na produção da terceira temporada e bancou sozinha a sua quarta, pois, felizmente, acreditou na série e não nos deixou órfãos, depois daquele excepcional cliffhanger.
Terminamos a terceira temporada presenciando Linden matar cruelmente (e merecidamente) Skinner, aos gritos de "NÃO" de Holder. Tempos depois fomos noticiados que não veríamos mais nada além daquilo, pois o AMC decidiu cancelar a série, fato que trouxe muita tristeza para o seu telespectador. É uma crueldade que fazem com o telespectador, mas é, infelizmente, uma prática comum na TV, pois não respeitam nada além de lucro, e deixam de contar uma história sem mais nem menos, se lixando para seus clientes. 
E a …