Dexter: 'Run' 7x04


Fechado o primeiro arco da temporada. Satisfeitos?

Quando a temporada passada terminou, a única coisa que passava em nossas cabeças era como Deb e Dexter iriam se relacionar. Claro e felizmente, não estou falando da relação carnal entre os irmãos, plot que felizmente foi 'apagado' da série, mas sim, da relação Detetive x Serial Killer. Pois bem. 'Run' mostrou que se correr, nem sempre o bicho pega, mas se ficar, tem que comer.

Eu sempre critiquei os roteiristas veementemente, mas, tal como Deb, fico feliz com o desfecho. Palavras nenhuma dobrariam Deb, mas os fatos jogados em sua cara, foram irrefutáveis e fariam qualquer um rever seus conceitos, mesmo esses severos quantos o de Deb. Existe gente que merece a morte, tanto na vida fictícia, quanto na real. Eu sou a favor da pena de morte, mas também, a favor da justiça com as próprias mãos. Sou a favor de Dexter. Ganhamos mais uma adepta. Ganhamos Deb.

Mas há efeitos colaterais. Sempre há. Isso é assunto para os próximos episódios.

O interessante nessa fase foi vermos Deb cobrando os erros de Dexter, fazendo o papel do telespectador, perguntando e afirmando o que faríamos se estivéssemos de frente do personagem. Vivemos assuntos na série que tivemos vontade de esmurrar Dexter mas não pudemos. Quem não teve vontade de 'matar' Dexter quando negligenciou Trinity, causando a morte de Rita? A descoberta do 'segredo' por Deb fez com que feridas fossem reabertas, consequentemente, a chance de cobramos de Dexter. Cobramos, ouvimos, refletimos, seguimos em frente.

Mas a série ainda peca em coisas bobas. O barman se matando ali foi meio... forçado. Não tinha garantia nenhuma que ajudariam a sua família e morrer assim, com uma arma carregada em mãos? Eu no lugar dele morreria atirando. Uns dois ali eu levava comigo. E outra: interessante o labirinto que Speltzer montou. Parecia estarmos em um game de terror, mas achei a fuga de Dexter fácil demais e também, pouca luta corporal e pouco sangue derramado. Speltzer tinha Dexter nas mãos, mas o deixou escapar pelo térreo? Após acessar uma porta destrancada?

Sei lá, posso estar sendo exigente demais, mas eu exijo de onde há capacidade de retorno e por isso, vou continuar exigindo a perfeição de uma série que já foi perfeita.  

Quatro episódios se passaram e considero bem mais pontos positivos do que negativos. Conseguiram fechar um bom arco de forma satisfatória. O que virá, serão efeitos colaterais das últimas ações de Dexter, com a cumplicidade de Deb. Construíram plots que, se bem trabalhados, poderão render bons frutos, terminando com dignidade a penúltima temporada da série.

Quem viver e não tiver rabo preso com Dexter, viverá (ou não).

PS: Vale ressaltar as excepcionais atuações de Michael C Hall e Jennifer Carpenter. Ambos estão excelentes! Incrível como Carpenter evoluiu ao longos dos anos. Começou bem insossa, mas veio crescendo muito, e nessa temporada, ela está impecável. Acredito que uma indicação ao Emmy seria merecedora. Já C Hall não é novidade. Ele apenas está mantendo o excelente nível que fez com que figurasse entre os melhores atores de drama da atualidade. Já considero-o entre os três melhores. A cena nesse episódio onde ele 'imita' o Speltzer foi algo conturbadoramente espetacular.

Tecnologia do Blogger.