30 Rock: "Governor Dunston" S07E02




Olá, queridos leitores! Como estão hoje? Bom, quero ir direito ao assunto e falar desse segundo episódio de 30 Rock que eu simplesmente amei.


Bom, ano de votação nos Estados Unidos e é claro que isso não iria passar em branco em uma série da Tina Fey. Como, acredito eu, todos sabem, Fey, apesar de ser sido criada por pais republicanos, é democrata e ela não tem medo de deixar isso de forma clara em seus roteiros. Esse episódio foi escrito por ela juntamente com Robert Carlock que trouxeram uma referência à própria Fey em relação a 2008.

Então, no episódio, com Jack tentando boicotar a NBC, ele pede a Lemon que não faça nenhum episódio envolvendo política, pois esse tipo de conteúdo costuma dar audiência para os programas de comédia (SNL que o diga). Mas algo inesperado acontece, Paul Ryan, republicano, se retira da corrida presidencial, ele concorria a vice-presidência, e quem assume é um homem chamado Bob Dunston que seria uma espécie de Tracy mais velho. O povo se mobiliza comentando que ele deveria imita-lo e Liz, não resistindo, vai em direção oposta ao conselho de Jack. Em 2008, quando foi anunciado que Sarah Palin estaria concorrendo a vice-presidência pelo partido republicano, ocorreu certa mobilização da população querendo que Tina Fey a personificasse na série Saturday Night Live, pois as duas são parecidíssimas. Sem contar que, nessa época, Fey já era considerada uma das melhores comediantes do país. Enfim, foi um sucesso só, como todos sabemos, e eis o ponto que queria chegar em relação a essa referência “indireta” que foi feita na série, e espero vê-la de Sarah Palin novamente em algum momento. Mas voltando ao episódio, quando Cooter Burger retorna a série, Jack entra em conflito em relação a continuar ajudando seu partido ou boicotar a NBC para conseguir melhorar seu cargo. Concluindo, quando ele joga isso para Lemon, que finalmente descobriu um meio de tornar o sexo divertido devido ao TGS estar passando todos os dias e ela ter que se organizar, ela acaba escolhendo sua vida pessoal e continuando com a personificação de Tracy como Dunston. Nem Jack esperava por essa...

Paralelamente a isto, Jenna conhecia a mãe de Kenneth, Pearline (Catherine O'Hara) e seu padrasto, Ron (Bryan Cranston). Enquanto ela tentava descobrir o gosto deles para fazer um CD que pessoas do mesmo tipo comprassem, um conflito interno ocorria. Kenneth, claramente, super protetor com a mãe descobre que ela e Ron estavam casados há sete anos, entretanto, quando Jenna insulta seu padrasto, ele o defende dizendo que apenas família pode xingar um ao outro. Isso é pura verdade, não? Eu, por exemplo, implico com meus irmãos, chamo disso e daquilo, mas se alguém de fora o fizer, não aceito. Definitivamente, a cena não era de Jenna dessa vez e sim, da família de Kenneth. E ficou bem claro que o rapaz teve a quem puxar.

Espero que futuramente tenhamos mais sobre política, pois adoro o senso de humor da Fey quando o assunto é este.

Nota¹: Só eu achei que o Criss ficou com a maior cara de brasileiro com aquele cabelo cortado?
Nota²: Liz Lemon indignada com a cesta que ela ganhou contendo peras. Por favor, mais disso.
Nota³: E mais Liz Lemon e organização.

Espero que tenham gostado do episódio e da review. Até a próxima!
That’s all folks!
Tecnologia do Blogger.