As Primeiras Impressões de The Voice Brasil


Mais uma vez a Rede Globo dá uma aula de como pegar um programa já pronto e manter a qualidade. Mas espero que também dessa vez, possa superá-lo ao decorrer dos anos.

A versão brasileira do reality sensação do momento, The Voice, estreou no último domingo (23) no Brasil e não decepcionou. Mas também não chegou a empolgar a aqueles que acompanham a versão original do programa. Dá pra notar que a Rede Globo foi fiel ao formato, até demais para o meu gosto. Mas pelo primeiro episódio da versão brazuca, as primeiras impressões foram boas e a tendência de melhora é iminente.

A edição foi excelente, nos mesmos moldes americanos e com qualidade igual ou superior. Explicaram muito bem a regra do programa e sem excesso. Contaram as histórias dos candidatos muito bem, apesar de que a histórias deles não chegaram a emocionar. Escolheram os candidatos pela voz, é verdade. mas a história de vida dura e sangrenta, como é mostrada na versão americana, responsável por emocionar o telespectador diversas vezes no reality, não esteve presente na versão brasileira.


Os jurados estão ainda esquentando. Estão um pouco presos e tímidos. Não pegaram ainda o 'espírito' da competição. Claudia Leite parece a mais tímida, pasmem. A diva do axé por muitas vezes não soube o que falar, justamente ela que é a simpatia em pessoa. Daniel tentou ser engraçado, mas não conseguiu. Seus comentários soaram muitas vezes forçado. Lulu e Carlinhos foram mais emotivos, mas pouco carismáticos. Todos os jurados pecaram na 'lábia' de recrutar cantores, mas acredito que isso deva melhorar com o passar dos episódios.

Um fato que lamento e muito refere-se à escolha das músicas por alguns candidatos. Sinceramente não gostei nada nada da escolha de músicas internacionais na versão brasileira do programa. Poxa, isso tinha que ser regra! 'Proibido cantar músicas internacionais'. Estamos no The Voice Brasil e temos que exaltar a música brasileira. Tudo bem, eles cantaram as canções muito bem, mas eu fiquei super desconfortado com as suas performances. Em The Voice USA, demorou três temporadas para um candidato escolher uma canção fora da língua inglesa e logo no primeiro episódio da versão brazuca. vieram com três ou quatro canções internacionais. Temos que valorizar a música brasileira ou então esse programa não fará sentido. Se eu quiser ouvir canções americanas eu vou ficar apenas com o The Voice USA.

Enfim, as primeiras impressões da versão brasileira de The Voice foram ótimas. Os pontos negativos abordados nessa crítica são fáceis de resolver e tenho certeza que ao passar do tempo, irão superá-los. A Rede Globo é ótima em desenvolver ideias e superá-las e tenho certeza que conseguirão mais uma vez.


Que os jurados sejam mais ousados e que os candidatos cantem muito, mas muito mais, canções brasileiras. 
Tecnologia do Blogger.