Primeiras impressões de "Go On": a nova série de Matthew Perry


Não que seja uma obra prima da comédia, mas “Go On” pode ser divertida.

Satirizando tragédias da vida real, baseando em acontecimentos vividos por integrantes de um grupo de apoio. A estrutura da série baseia-se nisso, dando margens para diversos plots que poderão ser inseridos. Provavelmente seguirão com casos semanais relacionando algum participante, com é claro, participação direta do personagem principal da série.

Estou falando de Ryan King, interpretado por Matthew Perry, eterno Chandler Bing de Friends. Seu personagem vive a pele de um cômico locutor esportivo, que recentemente ficou viúvo. Ele não demonstra aparentemente, mas suas algumas de suas atitudes acabam culminando em  10 seções obrigatórias de terapia em um grupo de apoio para voltar ao trabalho. Daí nasce a série.

A série não traz nada de novo. Tanto piadas, quando estrutura de cenário, já foram visto em outras séries. Cheguei a ficar um pouco incomodado com os relatos de tragédia dos integrantes ao som de uma trilha sonora irritantemente alegre. Mas compreendi que esse era o propósito. Acredito que o elenco e bons personagens deverão sobressair-se para segurar o interesse do público.

Comédia tem disso: é preciso assistir dois ou três episódios para bater o martelo a seu respeito. Algumas, não conseguimos nem passar do piloto. Não é o caso de Go On.


O Piloto tratou de apresentar alguns personagens, porém, fica claro que essa é a série de Matthew Perry. Ele estará em todos os lugares. Tudo será baseado em sua vida, fato que poderá ser um tiro no pé, caso não caia no gosto popular. Seu passado ajuda, mas o presente é tão importante quanto. A princípio, passou no “teste”. Aguardemos os próximos episódios.

A série teve seu episódio inicial adiantado pela NBC, levando a emissora a obter bons números de audiência. A sequência da temporada está marcada para iniciar no dia 11 de Setembro. 

Tecnologia do Blogger.