Pular para o conteúdo principal

Damages: S05E03E04




"Failure Is Failure" S05E03 - "I Love You, Mommy" S05E04

Olá, queridos leitores! Sumi por uns dias, mas estou de volta. Eu viajei no último final de semana de julho, me atrasei em todas as séries e acabei não podendo fazer a review do terceiro episódio de Damages a tempo. Então, vamos lá, fazer um resumo desses dois episódios.

Bom, várias coisas aconteceram tanto no terceiro quanto no quarto, porém achei estes dois episódios mais parados. Foram ótimos, claro, mas com menos clima de tensão do que os dois primeiros, tirando o final do quarto que foi um, perdoem-me a palavra, puta cliffhanger.
Enfim, o terceiro episódio girou em volta do depoimento da Rachel e da relação de Ellen com sua família, mais especificamente, sua mãe. Tivemos a versão do McClaren sobre seus dois encontros com Naomi Walling e tivemos a versão de Rachel. Uma questão não solucionada, pois não sabemos quem está contando a verdade. Rachel mente no depoimento ao falar sobre a última vez que falou com sua mãe e Ellen consegue, assim, ter uma forma de fazer com que o juiz suspeite da veracidade de toda a história que a menina contou. Bom, nesse episódio, quem ganhou foi a aprendiz.

(Aviso aos navegantes: Começarei a partir de agora a fazer um mix dos dois episódios. Preparem-se!)

Nesse mesmo episódio nós tivemos a oportunidade de conhecer um dos financiadores de McClaren, porém seu nome ainda não foi revelado. Esse mesmo financiador apareceu no quarto episódio quando Simon lhe diz que Ellen conseguiu "vencer" no depoimento e para pedir dinheiro para que ele pudesse comprar a informação do Samurai Seven (Bill Camp), porém esse mesmo recusa fazendo com que Simon e Gitta recorram a Ellen. Apenas uma peque nota: Ellen é bastante manipulável. Enfim, continuando, Ellen consegue o empréstimo necessário para comprar a informação e Patty também aceita pagar meio milhão pelo documento. Entretanto, é aí que entra o puta cliffhanger que eu disse antes, Patty recebeu a informação primeiro e o Samurai Seven espera até que a Parsons chegue para lhe vender uma outra cópia. No momento em que ele iria entregar o pen drive, este mesmo é golpeado e aquele que lhe golpeou foge com o seu carro botando fogo no mesmo com o Samurai dentro. No começo, eu cheguei a acreditar que ele tinha fugido, mas depois não era nada daquilo. Damages sempre surpreende, sempre nessa linha de nada é o que parece. E eu tinha achado que havia sido a Patty que ordenou o ataque, mas o homem estava falando uma língua desconhecida pela minha pessoa e deixaram bem claro que ele não estava falando com a Hewes. Agora fica a pergunta: Para quem este matador trabalha?

Tivemos o drama da Ellen com a mãe que está se separando do pai e não tem muitas condições de se manter sozinha. Ellen é quase a salvadora da família, não? Paga basicamente tudo para a irmã e agora irá pagar para a mãe. E quero ver como ela irá fazer agora com essa dívida de meio milhão.
No episódio quatro, Patty Hewes foi para frente das câmeras para tentar conseguir com que o CVM libere os servidores de Princefield e ao mesmo tempo, ela usa isso para que o juiz Richard Gearheart emita uma ordem de silêncio fazendo com que nenhuma das duas possa ir para frente das câmeras novamente. Parsons, não satisfeita, usa Michael Hewes para difamar Patty em uma entrevista. Agora eu me pergunto como tudo isso irá se resolver, pois tenho certeza que a Senhorita Hewes não gostou nem um pouco disso. Fui a única que notou certo tom de ameaça quando Michael disse que não iria esperar para sempre? Sim? Não? Okay.

Outro detalhe que ficou no ar, é quando Kate aparece no apartamento da nossa querida advogada, ao final do terceiro episódio, dizendo que ele está morrendo e quer falar com ela. Quem seria ele? Alguém arrisca um chute?

Patty deveria agradecer a sua linda neta que não se esqueceu do ninja com a espada na tela do notebook. Catherine é tão lindinha que eu fico encantada toda vez que ela aparece.

Nota¹: Não teve flashforward nos últimos dois episódios, apenas aquele que foi solucionado no próprio episódio.
Nota²: A Patty é meio vidente, não? Já reparou que ela sempre tem esses sonhos aleatórios, complexos, mas que sempre servem de metáfora para algo que irá acontecer futuramente?! Inclusive, adoro essas tomadas dos sonhos.
Nota³: E o novo associado da Patty, hein? O que acharam do Jake Stahl (Tim Guinee)?

Ah, já pararam para imaginar como seria Patty Hewes na Suprema Corte? Bom, eu, particularmente, adoraria ver isso.

Então, queridos leitores, cheguei ao fim do “resumão”. Espero que tenham gostado dos episódios, da review e perdoem-me se por acaso eu acabei esquecendo de mencionar alguma coisa importante. Até a próxima!
That’s all folks!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

Especial: TOP 5 séries que você não deve assistir com a sua mãe

Olá, leitores! Hoje não é um dia qualquer, não é um simples domingo onde você, caro leitor, comerá um pedaço de pizza do sábado à noite no almoço, porque hoje é o dia das mulheres da vida de cada um de vocês, das mulheres que consideram sagradas. Hoje é dia das mães! O Viciado Em Série não poderia deixar de prestar sua homenagem, contudo, decidido a fazer algo diferente do bom e velho “TOP 5/10 Mães de Séries/Filmes”, segue o "TOP 5 Séries Que Você Não Deve Assistir Com a Sua Mãe".
5º Lugar - Game of Thrones

Uma série da HBO para maiores de 18 anos cheia de nudez, cenas de sexo, incesto, orgias, guerras, violência de todos os tipos, entre outras situações embaraçosas. Game of Thrones, definitivamente, não é o tipo de série para você assistir ao lado da sua querida e sagrada mãe, afinal, qual filho não fica constrangido diante uma cena de sexo em um filme aleatório sendo assistido junto dela? Agora imagina uma cena dessas entre dois irmãos... Pois é, MELHOR NÃO! 
4º Lugar – Tr…

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

A Fantástica Última Temporada de The Killing

(Com spoilers)

Uma aula de como encerrar uma série.
The Killing recusava a nos deixar. Sofreu dois cancelamentos e foi resgatada duas vezes. Lutou contra os números de audiência, única coisa que interessava para o AMC, e conseguiu sobrevida graças à sua qualidade, prontamente reconhecida pelo Netflix. Ajudou na produção da terceira temporada e bancou sozinha a sua quarta, pois, felizmente, acreditou na série e não nos deixou órfãos, depois daquele excepcional cliffhanger.
Terminamos a terceira temporada presenciando Linden matar cruelmente (e merecidamente) Skinner, aos gritos de "NÃO" de Holder. Tempos depois fomos noticiados que não veríamos mais nada além daquilo, pois o AMC decidiu cancelar a série, fato que trouxe muita tristeza para o seu telespectador. É uma crueldade que fazem com o telespectador, mas é, infelizmente, uma prática comum na TV, pois não respeitam nada além de lucro, e deixam de contar uma história sem mais nem menos, se lixando para seus clientes. 
E a …