Breaking Bad 5x05 "Dead Freight"


Você é levado a uma tensão absurda para depois, aliviar-se. Quando você acha que tudo está tranquilo, em segundos a série te deixa pasmado, traumatizado, extasiado. Isso é Breaking Bad.

Acompanhamos uma cena inicial onde nada fazia sentido: um jovem nunca visto na série, passeando pelo deserto, caçando insetos de forma corajosa. Esse jovem desconhecido tornou-se o momento de maior perplexidade da temporada. Um inocente assassinado a sangue frio, por estar no lugar errado, na hora errada.

Jesse não consegue viver fora da criminalidade, mas, não consegue deixar de ter um bom coração. Traumatizou-se com os acontecimentos referentes à Combo, Jane, Victor e Brock. Mesmo assim, manteve-se na criminalidade com a conformidade de ser um cara mal, mas, apenas da boca pra fora. O momento de seu desespero que antecedeu a morte do jovem leva-nos a crer que o fato transtornara-o novamente, porém, o desfecho poderá ser ainda mais traumatizante.


Por outro lado, Walter, a cada segundo, torna-se ainda mais autoritário e impiedoso. Não teme mais pelo sangue em suas mãos. Arrisca ser flagrado por seu cunhado. Não teme roubar um trem no meio do deserto. Esse não é o professor de química de um ano atrás. Esse é Heisenberg. Aquele que está lutando para destruir a sua família, saciando seu ego, ao contrário do Walter que conhecemos, que a colocava em primeiro lugar.

Skyler tem lutado contra, e nesse episódio, definiu ainda mais sua posição. Não consigo deixar de dar credibilidade a ela. Tem razão por sua família, mas tem merecimento do "castigo". Independentemente de ter sido levada por situações causadas por Walter, não elimina a sua parcela de culpa. Aliás, em Breaking Bad, não livro a cara de ninguém. Todos os principais envolvidos são culpados.   

Interessante o relato de Lydia: "Achava que eram profissionais!". Esse ramo que escolheram, sempre terá danos colaterais. Mortes de inocentes serão frequentes. Terão que acostumar ou abandonar o trem, literalmente.

Por falar em Lydia... Dávamos como certo o seu envolvimento no caso do barril com rastreador, aliás, descobrimos que todos os barris da Madrigal estão com rastreadores. Falha do "trio fantástico" que não se atentou para esse fato, deixando de verificar os outros barris e já encarceram Lydia, e por pouco, não a mataram. Apesar de que "ninguém" iria sentir a falta da víbora, o fato serviu para descobrirmos que o escritório Houston que estava por trás da implantação amadora do GPS, ademais, Lydia foi útil ao informar o "oceano" de Metilamina disponível para roubo. Isso sim salvou a vida dela. Até quando irá colaborar, é a grande questão. Só está esperando um momento para acabar com eles.

A grande cena do episódio lembrou os grandes filmes de ação. A cena foi literalmente cinematográfica. A produção mais uma vez sobressaiu-se, com diversas tomadas espetaculares de câmera. Existe aquele momento, principalmente em filmes, que sabemos que certa cena sempre acabará bem, mas em Breaking Bad, não dá pra dizer isso.


Essa cena trouxe uma tensão absurda! Tudo estava ocorrendo bem, mas sabemos que a série não é assim. O plano de Jesse era perfeito, mas, não contava com o "bom samaritano". Eu imaginava que iria acontecer algo e Mike acabaria matando os tripulantes do trem. Aconteceu o pior. Eles uniram a primeira cena do episódio com o fato derradeiro. 

Tão sensacional, quanto trágico, termina o excepcional "Dead Freight", deixando a lição de que é impossível agir criminalmente sem sujar as mãos, principalmente, com sangue.
Tecnologia do Blogger.