Alphas: The Quick and the Dead S02E02



C. Thomas Hawell (Eli Aquino) em Alphas com uma habilidade que eu considero imprescindível para nós humanos, que é o aguçar dos sentidos. Que incrível poder escutar, ver, sentir, saborear, tudo em grande escala, um dia... um dia... Mas voltando, é assim que começa o episódio, com cenas que me deixaram com vontade de aguçar todos os sentidos, apesar do desespero dos iniciantes em não conseguirem dominar cada um. O mais legal é que esse Alpha se move tão rápido quanto os vampiros de True Blood. Fico me perguntando se existe alguma relação entre eles.... Nesse episódio, as coisas voltam ao normal e os good alphas estão às voltas, novamente, com seus casos de Alphas novatos (aqueles que ainda não sabem que são alphas e se acham freaks.)e as investigações costumeiras. O meliante dessa vez é um cara que envelhece precocemente e acredita que médicos estão por trás de todo o seu sofrimento. Ele ainda não sabe que possui certas habilidades e entra em desespero, sequestrando os tais médicos e tentando entender o que acontece com ele. Ao observar Dr. Rosen e sua equipe, ele resolve que a hora de sequestrar o próprio chegou e numa quebra de confiança por parte de agentes do governo, é morto sem obter respostas.


Bom mesmo foi ver o relacionamento de Hicks com Dani Rosen, que infelizmente termina acabando por conta do poder de persuasão de Parish sobre ela. Impressionante o que as pessoas estão dispostas a abrir mão em nome de alguma causa que elas acreditam ser verdadeira e legítima, mesmo que as evidências provem o contrário. A chata da Nina ficou pra trás! Todo aquele dramalhão que ela vive é completamente desnecessário, os roteiristas fazendo um péssimo trabalho com essa personagem... mas enfim... Pronto! Tirando o relacionamento de Hicks com Dani Rosen, o episódio não teve nada de novo e nenhuma boa virada de roteiro. Morno e pobre de acontecimentos. Esperamos ver nos próximos, a dinâmica imposta na primeira temporada e no episódio anterior ( para ler a resenha, clique aqui), cheio de cenas legais.

Ponto alto do episódio: Colocar sangue novo, C. Thomas Hawell, mesmo que em pequenas doses. Ponto baixo do episódio: Explorar a doença de Gary ao invés de sua habilidade, que é uma das mais interessantes.

Tecnologia do Blogger.