True Blood: 5x03 "Whatever I Am, You Made Me"



"Let me walk the world with you, Mr. Northman... or watch me die.

True Blood segue acertando e dando destaque a Pam, uma das melhores e mais interessantes personagens. Neste episódio vimos o início de sua jornada com Eric e como ela foi transformada. Confesso que me impressionou demais aquele Eric nobre, cheio de códigos de honra e sabedoria para compartilhar, natureza até aqui sempre associada a Bill. 

Bill, aliás, era um jovem vampiro sem rédeas quando conheceu Mr. Northman. Junto com sua insana criadora, tudo o que os dois queriam era, usando as palavras de Roman, "comer, trepar e matar". Ainda por cima, quando William é pego no flagra por um vampiro bem mais velho, as presinhas ameaçam partir para a briga, mesmo sabendo que sairiam dela esmagadas. Ô passado que condena, viu. 

No entanto, um relacionamento que começa com o pé esquerdo não necessariamente tem que ficar mal a vida toda. Os dois rosnaram bastante ao se verem pela primeira vez, mas hoje até compartilham o amor pela mesma mulher e pegam a mesma chanceler da Autoridade... não há nada mais BFF que isso. A chanceler em questão é Salome que, como dissemos na review passada, é a mulher que pediu a cabeça do profeta João Batista numa bandeja. 

Longe de ser apenas uma mulher fatal, Salome teve o imenso, árduo e exigente trabalho de levar os dois para a cama a serviço da Autoridade. Enquanto fazia sabe-se lá o que com os corpinhos deles, a irresistível sedutora averiguava se suas “vítimas” eram do Movimento Sanguinista, o grande temor de Roman. 

Além de interrogadora de métodos inovadores, ela também é a mentora de Nora, sendo este o motivo pelo qual ela sofria tanto ao ver a irmã de Eric sendo penalizada. Acontece que Nora confessou acreditar “que os vampiros foram feitos a imagem de Deus, que o populismo é uma abominação, e que Lilith se erguerá do Sangue e arrancará as malditas cabeças blasfemas dos chancelers e dançará em seus estercos”. Só que como essa confissão veio depois da vida de Eric ser ameaçada, fica complicado saber se é verdade ou mentira. 

Salome, no entanto, parece suspeita quanto a isso. Sendo ela a mentora de Nora, ela não teria percebido algo de errado com sua aprendiz? E mais: em sua conversa com Roman, ela sugeriu que era hora dele mudar um pouco sua postura, pois “sua rejeição da bíblia de vampiro, seu foco sobre a integração sobre tudo, separou vampiros de todo lugar”. Discurso muitíssimo suspeito, especialmente vindo da rainha da dissimilação, que pode muito bem se aproveitar de sua proximidade com o Guardião para persuadi-lo sem que ele nem veja. 

Ainda dentro da Autoridade, o novo recruta para o posto de Nan Flanangan é ninguém menos que Newlin. Isso explica ele ter ido na TV falar mil maravilhas a favor dos vampiros e de ele ter tanta certeza que Bill não é mais rei. Mas o melhor mesmo foi ver Roman dando um chega-pra-lá no bebê vampiro que, mal saiu das fraldas, e já se achava no direito de esnobar os humanos. Bem feito!

Falando em bebê vampiro, Tara até que merecia elogios como vampira recém-transformada. Apesar dela ter perdido metade do cérebro com o tiro de Debbie, ela está sendo uma vampira com princípios, que se recusa a sair atacando desconhecidos ou amigos. O problema é que esta consciência impede-a de enxergar uma vida normal, ou pelo menos uma vida, nesta nova condição. E enquanto isso, Sookie e Lafa saem correndo desesperados atrás dela, cada vez mais arrependidos de terem-na submetido a algo que ela despreza.

Tamanha confusão levou Sookie a revelar para Alcide o destino que teve Debbie. A essa altura, não tinha mais o que inventar, não fazia sentido ela evitá-lo tanto justamente quando Russel is coming. Alcide não deve somente acobertá-la como também impedir que os pais (especialmente o pai) da falecida namorada chegue na fadinha. Mas isso vai dar trabalho, viu. O gênio do senhor Gordon Pelt é do mesmo estilo estourado do da filha.

Andy segue com sua investigação do sumiço da loba e já foi interrogar Sookie... ainda bem que a espertinha leu os pensamentos do xerife e descobriu que sua maior preocupação era a foto (traumatizante) de seu traseiro no Facebook. Pelo menos este "infortúnio" deu um pontapé no namoro dele e de Holy... não que isso nos interesse... mas aqueles dois já tiveram azar demais na vida, coitados. É hora de terem um pouquinho de amor.

Quem está precisando demais de amor é Hoyt. O pobre rapaz chutado taca um delineador nos olhos, veste a jaqueta que Jessica deixou para trás, e vai no Fantagsia... pronto para ser comido - e comido vivo. Ninguém define melhor a palavra desespero.

Nesse meio tempo, Jason tem uma crise de identidade e fala não para uma Jessica praticamente nua. Sim, Jason disse NÃO, não quero, obrigado. Aparentemente, o garanhão de Bon Temps percebeu o "grande vazio" dentro de si depois de reencontrar (e re-pegar) sua antiga professora e primeira mulher. Menino Jason perdeu a virgindade muito novinho e diz que não aproveitou muita coisa da vida, motivo pelo qual ele agora será "amigo" da ruiva mais linda de True Blood. Vai entender.

E já que estamos falando da ruiva, o que foi aquilo dela sair correndo disparadamente atrás de um homem cheiroso? Contando que ele queria roupa para "16 irmãs" e tinha um cheiro de "algodão doce, pão que saiu do forno e sexo", certamente deve ter fadinhas soltas em Bon Temps. E isso deve deixar a vampiraiada louca.

O título do episódio, Whatever I Am, You Made Me, pode se referir a Jason e sua professora, a Tara e Pam, mas, especialmente, a Pam e Eric. A forma como ela conheceu Eric, como ela o obrigou a transformá-la, a ter com ela um "compromisso maior que qualquer casamento, mais profundo que qualquer laço humano", é tudo o que ela tem e o que ela é. Ela está sofrendo tanto que até durante o sono ela chora. É também deste vínculo tão profundo que deve vir seu ódio por Sookie, principalmente quando ela vê seu criador preferir e cuidar da fada justamente quando era com ela quando se conheceram.

Ainda assim, não é muito inteligente da parte dela atacar Sookie. Não só porque a fadinha agora sabe usar seus feixes de luz, mas também porque Eric não aprova nadinha disso. E nem adianta ficar culpando a moça pelo sumiço do criador não. Até porque, enquanto isso, ele está se divertindo com sua mais nova aquisição tecnológica: o iEstaca, que só com um clique enfia uma estaca de madeira em seu coração. Ele não poderia estar se divertindo mais do que isso, Pam. Acalme-se que logo, logo ele cansa da brincadeira e volta. 


Observações:

- Salome é suspeita demais para mim. E ainda somando o fato de ela ser traumatizada com sua família, que era mais selvagem que os vampiros... está aí um prato cheio para odiar os humanos e vê-los só como comidinha.

- Alguém precisa falar para Salome que dizer "quero ser sua amiga" e tirar a roupa em seguida são ações contraditórias!

- Terry viajou e não tem data de volta. Vá com Deus e fique por lá.

- A "herança" de Jesus para Lafa queria colocar alvejante na comida do Merlotte's. Não acho que tinha esse ingrediente na receita...

True Quote:

Pam: Um vampiro com honra. Não é uma contradição?
Eric: Não mais do que uma puta inteligente. E aqui estamos.
Tecnologia do Blogger.