Pular para o conteúdo principal

Especial: Cinco Principais Semelhanças entre LOST e Fringe


Às vezes deparo-me com discussões nas redes sociais, onde fãs de Fringe detratam Lost e vice-versa. Democraticamente, cada um tem o direito de expor a sua opinião, mas em se tratando dessas duas séries, fico um pouco estarrecido com tudo isso. Assisti Lost, assisto Fringe, gosto das duas e considero-as séries irmãs.

Sendo assim, resolvi apontar cinco semelhanças importantes que ilustram essa "irmandade" mencionada.

1 - Criação:

Ambas são obras de J.J Abrams. Literalmente irmãs, não é verdade? Abrams é persona conhecida no mundo das séries e do cinema, mas foi em Lost que seu nome tornou-se famoso. Sua história já é vasta e extensa. Quando Fringe surgiu, as comparações com Lost foram grandes, mas Fringe soube caminhar com as suas próprias pernas, saindo dessa de "Novo Lost", tornando-se apenas Fringe. Atualmente, Abrams não tem presença constante em Fringe, tal como também não teve em LOST. Abrams foi Diretor, Produtor e Roteirista em diversos episódios em ambas séries e deixou-as nas mãos de Damon Lindelof, Carlton Cuse (LOST); Jeff Pinkner e Jeff Pinkner (Fringe) o desenvolvimento e finalização das séries.      

2 - Trilha Sonora: 

Ambas orquestradas pelo gênio do meio musical, Michael Giacchino. Considero as trilhas de Giacchino, um personagem a parte. Esteve presente em todas as temporadas de Lost e estará presente em todas as temporadas de Fringe. Giacchino já venceu vários prêmios, como um Emmy, três Grammy, um Golden Globe e um Oscar. Aonde J.J.Abrams vai, Giacchino vai com ele. Tecnicamente os sons não são iguais, óbvio, mas nota-se em vários momentos em cenas de Fringe, a entonação que os fãs de Lost acostumaram a acompanhar. Se tiverem a oportunidade de ouvir as trilhas sonoras separadas dos episódios de ambas as séries, entenderão o que estou dizendo. Muitas vezes, somos incapazes de definir de que série é tal trilha, caso estejamos ouvindo-as aleatoriamente.      


3 - Respostas:

Aí vem o tema mais polêmico. Considero que Lost foi vitima de críticas injustas quanto a isso. Dar respostas é meio complicado no mundo das séries. Todos querem, e quando elas vêm, já não precisavam mais ou julgam irrelevantes. A semelhança nesse quesito é a simplicidade. Ambas trouxeram mistérios instigantes, aguçando nossas curiosidade. Devido a isso, teorias eram criadas aos montes e independente da resposta dada, sempre haveria gente reclamando. Muitos esperavam algo mirabolante ou de outro mundo e outros muitos, não aceitavam a simplicidade. Vou citar dois exemplos:
  • Lost - A resposta dada aos mistérios dos sussurros: Hurley, em um diálogo com Michael, após a sua volta "espírita" a ilha, revelando que os sussurros eram barulhos emitidos pelos "espíritos" que passaram por ela (6ª temporada).
  • Fringe - O Obervador September em um diálogo com Peter, revelou que eles estavam na time-line de sempre e que a Olívia da ocasião, era mesmo a Olívia de sua vida. (4ª temporada).
Claro que existiram momentos em que as respostas foram complexas, mas em um todo, tanto Lost quanto Fringe, trouxeram respostas simples aos principais mistérios

4 - Presente, Passado e Futuro:

É a marca do trabalho de J.J.Abrams. Não foi ele quem inventou (óbvio), mas seu trabalho em Lost e em Fringe foi baseado no claro presente, passado e futuro. Há um adendo em Fringe que é os universos paralelos, porém, o presente só faz sentido na série se juntarmos o passado da trama, somado com o futuro já mostrado. Em Lost, víamos a trama sendo desenvolvida através do passado dos personagens, levando a um final ilustrado pelo o que todos eles buscavam. Em Fringe, o passado dos personagens revelaram inúmeros mistérios, contudo, após o fim da 4ª temporada, a série tende-se a desvendar-se no futuro. Esses aspectos são base de ambas as séries, principal fonte para o delírio do espectador, fazendo-nos viciar por ambas.  


5 - Forma de assistir:

Só Lost e Fringe para mudar o jeito do telespectador de assistir TV. Acontece com menos intensidade com Fringe do que aconteceu com Lost, acredite, mas o estilo é o mesmo. Você assiste os episódios de forma alucinada, pausando, voltando, parando, pensando, respirando. Impossível você assistir o episódio apenas uma vez. Lost fez com que o telespectador, após assistir o episódios, corressem para a internet para debater os principais assuntos; ler reviews alucinadamente, comentando com veemência os assuntos defendidos; ouvir podcasts especializados; e por aí vai. O episódio não duravam 40 minutos. Duravam uma semana. Fringe resgatou um pouco o legado que Lost deixou, mas não conseguiu obter a metade da "guerra" online que a série estabeleceu, porém, mesmo assim, também ajudou na mudança estrutural de assistir TV. Lost e Fringe não fariam sucesso sem a internet.

Sendo assim, qualquer post Lost versus Fringe é contraditório. Ambas são séries que ficarão para a história, devido a esses quesitos mencionados acima, além de muitos outros. É como se fosse numa família, onde exista duas irmãs que seguiram o mesmo rumo, mas cada um enaltecendo o que tem de melhor, sem deixar de honrar as suas origens.  
   

Postagens mais visitadas deste blog

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

Especial: TOP 5 séries que você não deve assistir com a sua mãe

Olá, leitores! Hoje não é um dia qualquer, não é um simples domingo onde você, caro leitor, comerá um pedaço de pizza do sábado à noite no almoço, porque hoje é o dia das mulheres da vida de cada um de vocês, das mulheres que consideram sagradas. Hoje é dia das mães! O Viciado Em Série não poderia deixar de prestar sua homenagem, contudo, decidido a fazer algo diferente do bom e velho “TOP 5/10 Mães de Séries/Filmes”, segue o "TOP 5 Séries Que Você Não Deve Assistir Com a Sua Mãe".
5º Lugar - Game of Thrones

Uma série da HBO para maiores de 18 anos cheia de nudez, cenas de sexo, incesto, orgias, guerras, violência de todos os tipos, entre outras situações embaraçosas. Game of Thrones, definitivamente, não é o tipo de série para você assistir ao lado da sua querida e sagrada mãe, afinal, qual filho não fica constrangido diante uma cena de sexo em um filme aleatório sendo assistido junto dela? Agora imagina uma cena dessas entre dois irmãos... Pois é, MELHOR NÃO! 
4º Lugar – Tr…

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

A Fantástica Última Temporada de The Killing

(Com spoilers)

Uma aula de como encerrar uma série.
The Killing recusava a nos deixar. Sofreu dois cancelamentos e foi resgatada duas vezes. Lutou contra os números de audiência, única coisa que interessava para o AMC, e conseguiu sobrevida graças à sua qualidade, prontamente reconhecida pelo Netflix. Ajudou na produção da terceira temporada e bancou sozinha a sua quarta, pois, felizmente, acreditou na série e não nos deixou órfãos, depois daquele excepcional cliffhanger.
Terminamos a terceira temporada presenciando Linden matar cruelmente (e merecidamente) Skinner, aos gritos de "NÃO" de Holder. Tempos depois fomos noticiados que não veríamos mais nada além daquilo, pois o AMC decidiu cancelar a série, fato que trouxe muita tristeza para o seu telespectador. É uma crueldade que fazem com o telespectador, mas é, infelizmente, uma prática comum na TV, pois não respeitam nada além de lucro, e deixam de contar uma história sem mais nem menos, se lixando para seus clientes. 
E a …