O Final da 1ª Temporada de Person Of Interest!

Comentários referentes aos episódios: 1x21 "Many Happy Returns", 1x22 "No Good Deed" e 1x23 "Firewall" 

Após 23 episódios de Person Of Interest, você chega a conclusão de que valeu a pena cada minuto passado assistindo a série. Costumo dizer que séries com estrutura procedural, tem como base apenas o entretenimento momentâneo. Dificilmente dá vontade de você re-assistir um episódio de séries com essa estrutura. A maioria, trazem episódios soltos, muitas vezes aleatórios à trama principal, e quando há uma, aliás. Muitas delas, você pode saltar episódios ou assisti-los fora de ordem que não faz a mínima diferença. Person veio pra mudar essa "tradição". A vontade que tenho agora é de re-assistir toda a série. 

A série veio com um enredo interessantíssimo, mesclado com os tais casos semanais, ilustrando muito bem a premissa. A transição entre passado e presente, foi feito de forma fantástica, tipicas das melhores séries dramáticas que usam/usaram dessa estrutura. Unindo todos esses elementos, a reta final adicionou excelentes e dramáticas cenas de ação, típicas dos melhores filmes do ramo e ainda, finalizando com um baita cliffhanger, ansiando-nos ainda mais para a 2ª temporada. Isso sim é um procedural de qualidade. 


Em "Many Happy Returns", vimos o passado recente de Reese e acompanhamos o verdadeiro motivo da sua "desistência de viver". Jessica Arndt. O amor de sua vida. Acompanhamos os momentos que antecederam a morte de sua amada e o ótimo fim dado ao responsável. Apesar de tudo, Reese não é assassino, nunca foi. Ele mata porque é preciso. Ele deu um fim digno ao crápula. Passará o resto da vida preso no México, acompanhado por um ou dois americanos, provavelmente levados por ele. Carter deve ter ficado ainda mais fã de Reese depois que recebeu o telefonema desvendando o ocorrido.

Sara Atkins foi o CPF "sorteado" pela máquina, mas Finch resolveu dar um dia de folga para o aniversariante do dia, Reese. Finch quis mesmo foi mantê-lo longe de Sara, pois, temia que Reese terminasse o caso da mesma forma que terminou com o caso da morte de seu amor. Ao final, vimos que Finch conhece muito bem Reese e investigou pessoalmente sua vida bem antes de "contratá-lo", mas vimos também que ele não sabe de tudo. Não sabe de sua "desova" no México, se não, teria aberto o caso logo de início.


Já em "No Good Deed", entramos a fundo nos mistérios que envolve a Máquina. Viajamos até 2009 e descobrimos as intenções de Alicia, Nathan e Finch, no dilema de confiar ou não a Máquina ao Governo.  Tratava-se do "Plano de contingência" para que pudessem destruir a Máquina caso alguma coisa desse errada no Governo. Finch decidiu deixá-la da forma como construíram, mas foi traído por seu então "fiel" amigo, indo contra o que tinham combinado. Voltando para o presente, descobrimos que Alicia estava em busca do criador da Máquina e acabou descobrindo. Fator preponderante para diversos acontecimentos no season finale.     

Reese queria saber a todo modo, a maneira de como a Máquina se comunica com Finch. Flagrou-o recebendo o novo CPF via celular/orelhão e ficou ainda mais ressabiado. Como sempre tem trabalho pela frente e Reese deixou isso de lado, mas sem deixar de investigar seu chefe. Não descobriu nada além disso, apenas o antigo endereço de Finch e de quebra, seu antigo/atual amor. Grace, interpretada por Carrie Preston (True Blood) - esposa de Michel Emerson - marcou a vida de Finch, mas não tanto quanto a Máquina. Finch teve que forjar sua morte para dedicar-se integralmente à sua nova esposa. A Máquina. Depois disso, Reese quietou um pouco (rs).

Henry Peck, o CPF do episódio, esteve ligado diretamente aos mistérios que envolve a Máquina. Mesmo sem saber, ele estava perguntado sobre a máquina, levantando suspeitas e tendo então, sua vida ameaçada. Por sua sorte, teve todo o aparato comandado por Reese, manteve-se vivo, soube de toda a verdade relacionada à Máquina e ainda recebeu uma gorda poupança de Finch para sumir no mundo, salvando de vez a sua vida. Só assim mesmo para se livrarem de uma pessoa capaz de escrever 78 páginas justificando uma multa de trânsito.

Contudo, deixou caminho aberto para Alicia, pois, praticamente a entregou Finch de mãos beijadas.


Então chegou a vez de "Firewall" - Season Finale de Person - para acabar de vez com nossos miolos. Episódio conduzido cinematograficamente. Dessa vez, o flashback foi de poucas horas. Iniciamos o SF já ouvindo o anúncio da prisão de Reese, contudo, foi apenas palavras jogadas ao vento ditas pelo chefe do FBI. Não é fácil pegar Reese comandante, principalmente com o "Quarteto Fantástico" em ação. Chequei a conclusão de que Carter, Fusco, Finch e Reese agindo juntos são imbatíveis! Cercaram o prédio de todas as maneiras, mas ele conseguiu fugir. Cada um com sua parcela de mérito e nós só assistindo, literalmente pirando com tudo isso. Sensacional! 

Claro que a máquina não daria folga e ordenaria um CPF. Caroline Turing - uma psicóloga ameaçada por poderosos, mas tudo não passava de uma armação. A princípio, pensávamos que Alicia que manipulara TuringAlicia investigava Finch nos mínimos detalhes e acabou chegando até ele, com o objetivo de desligar a máquina. Alicia era apenas uma vítima da Máquina, ou melhor, de sua sabedoria a respeito. Provavelmente seria uma aliada de Finch, caso não tivesse levado uma bala na cabeça, atirada por Turing.

Sua vida era uma farsa. Turing  - "A Super Usuária" - se colocou em "perigo" para conseguir capturar Finch. Era a pessoa por trás da HR. Agora que conseguiu o que queria, vamos ter que descobrir seu principal objetivo, mas, na próxima temporada de Person. É claro que terá relação com a Máquina. Sempre tem. Que Setembro venha o mais rápido possível!

Nota: 10/10  

PS: Desculpem a review um pouco superficial, embasando três episódios. É a falta de tempo desse que vos escreve. Prometo que na próxima temporada, teremos reviews de Person individuais, porque ela merece e muito.
Tecnologia do Blogger.