Pular para o conteúdo principal

O Final da 1ª Temporada de Person Of Interest!

Comentários referentes aos episódios: 1x21 "Many Happy Returns", 1x22 "No Good Deed" e 1x23 "Firewall" 

Após 23 episódios de Person Of Interest, você chega a conclusão de que valeu a pena cada minuto passado assistindo a série. Costumo dizer que séries com estrutura procedural, tem como base apenas o entretenimento momentâneo. Dificilmente dá vontade de você re-assistir um episódio de séries com essa estrutura. A maioria, trazem episódios soltos, muitas vezes aleatórios à trama principal, e quando há uma, aliás. Muitas delas, você pode saltar episódios ou assisti-los fora de ordem que não faz a mínima diferença. Person veio pra mudar essa "tradição". A vontade que tenho agora é de re-assistir toda a série. 

A série veio com um enredo interessantíssimo, mesclado com os tais casos semanais, ilustrando muito bem a premissa. A transição entre passado e presente, foi feito de forma fantástica, tipicas das melhores séries dramáticas que usam/usaram dessa estrutura. Unindo todos esses elementos, a reta final adicionou excelentes e dramáticas cenas de ação, típicas dos melhores filmes do ramo e ainda, finalizando com um baita cliffhanger, ansiando-nos ainda mais para a 2ª temporada. Isso sim é um procedural de qualidade. 


Em "Many Happy Returns", vimos o passado recente de Reese e acompanhamos o verdadeiro motivo da sua "desistência de viver". Jessica Arndt. O amor de sua vida. Acompanhamos os momentos que antecederam a morte de sua amada e o ótimo fim dado ao responsável. Apesar de tudo, Reese não é assassino, nunca foi. Ele mata porque é preciso. Ele deu um fim digno ao crápula. Passará o resto da vida preso no México, acompanhado por um ou dois americanos, provavelmente levados por ele. Carter deve ter ficado ainda mais fã de Reese depois que recebeu o telefonema desvendando o ocorrido.

Sara Atkins foi o CPF "sorteado" pela máquina, mas Finch resolveu dar um dia de folga para o aniversariante do dia, Reese. Finch quis mesmo foi mantê-lo longe de Sara, pois, temia que Reese terminasse o caso da mesma forma que terminou com o caso da morte de seu amor. Ao final, vimos que Finch conhece muito bem Reese e investigou pessoalmente sua vida bem antes de "contratá-lo", mas vimos também que ele não sabe de tudo. Não sabe de sua "desova" no México, se não, teria aberto o caso logo de início.


Já em "No Good Deed", entramos a fundo nos mistérios que envolve a Máquina. Viajamos até 2009 e descobrimos as intenções de Alicia, Nathan e Finch, no dilema de confiar ou não a Máquina ao Governo.  Tratava-se do "Plano de contingência" para que pudessem destruir a Máquina caso alguma coisa desse errada no Governo. Finch decidiu deixá-la da forma como construíram, mas foi traído por seu então "fiel" amigo, indo contra o que tinham combinado. Voltando para o presente, descobrimos que Alicia estava em busca do criador da Máquina e acabou descobrindo. Fator preponderante para diversos acontecimentos no season finale.     

Reese queria saber a todo modo, a maneira de como a Máquina se comunica com Finch. Flagrou-o recebendo o novo CPF via celular/orelhão e ficou ainda mais ressabiado. Como sempre tem trabalho pela frente e Reese deixou isso de lado, mas sem deixar de investigar seu chefe. Não descobriu nada além disso, apenas o antigo endereço de Finch e de quebra, seu antigo/atual amor. Grace, interpretada por Carrie Preston (True Blood) - esposa de Michel Emerson - marcou a vida de Finch, mas não tanto quanto a Máquina. Finch teve que forjar sua morte para dedicar-se integralmente à sua nova esposa. A Máquina. Depois disso, Reese quietou um pouco (rs).

Henry Peck, o CPF do episódio, esteve ligado diretamente aos mistérios que envolve a Máquina. Mesmo sem saber, ele estava perguntado sobre a máquina, levantando suspeitas e tendo então, sua vida ameaçada. Por sua sorte, teve todo o aparato comandado por Reese, manteve-se vivo, soube de toda a verdade relacionada à Máquina e ainda recebeu uma gorda poupança de Finch para sumir no mundo, salvando de vez a sua vida. Só assim mesmo para se livrarem de uma pessoa capaz de escrever 78 páginas justificando uma multa de trânsito.

Contudo, deixou caminho aberto para Alicia, pois, praticamente a entregou Finch de mãos beijadas.


Então chegou a vez de "Firewall" - Season Finale de Person - para acabar de vez com nossos miolos. Episódio conduzido cinematograficamente. Dessa vez, o flashback foi de poucas horas. Iniciamos o SF já ouvindo o anúncio da prisão de Reese, contudo, foi apenas palavras jogadas ao vento ditas pelo chefe do FBI. Não é fácil pegar Reese comandante, principalmente com o "Quarteto Fantástico" em ação. Chequei a conclusão de que Carter, Fusco, Finch e Reese agindo juntos são imbatíveis! Cercaram o prédio de todas as maneiras, mas ele conseguiu fugir. Cada um com sua parcela de mérito e nós só assistindo, literalmente pirando com tudo isso. Sensacional! 

Claro que a máquina não daria folga e ordenaria um CPF. Caroline Turing - uma psicóloga ameaçada por poderosos, mas tudo não passava de uma armação. A princípio, pensávamos que Alicia que manipulara TuringAlicia investigava Finch nos mínimos detalhes e acabou chegando até ele, com o objetivo de desligar a máquina. Alicia era apenas uma vítima da Máquina, ou melhor, de sua sabedoria a respeito. Provavelmente seria uma aliada de Finch, caso não tivesse levado uma bala na cabeça, atirada por Turing.

Sua vida era uma farsa. Turing  - "A Super Usuária" - se colocou em "perigo" para conseguir capturar Finch. Era a pessoa por trás da HR. Agora que conseguiu o que queria, vamos ter que descobrir seu principal objetivo, mas, na próxima temporada de Person. É claro que terá relação com a Máquina. Sempre tem. Que Setembro venha o mais rápido possível!

Nota: 10/10  

PS: Desculpem a review um pouco superficial, embasando três episódios. É a falta de tempo desse que vos escreve. Prometo que na próxima temporada, teremos reviews de Person individuais, porque ela merece e muito.

Comentários

  1. Bacana as reviews e gostei de você ter finalmente (kkkk) der tado nota 10 para os episódios, mas vou descordar de você com relação a Finch e sua noiva. Pô, cara, até eu que sou homem achei linda aquela cena que ele fala da mulher, dá pra ver como foi difícil pra ele escolher entre estar presente na vida dela e se afastar não por escolher a máquina, mas sim pra manter a integridade da amada. O cara vai lá com frequência ver a mulher de longe, sofre com a distância, cuida dela e não deixa faltar emprego pra ela. Pra mim ficou muito claro naquela cena onde ele desabafa com Reese, que ele escolheu a mulher e não a máquina, justamente porque todo mundo que chega perto da máquina, como ele próprio, tá condenado... foi um gesto de amor incondicional da parte dele e pode apostar que eles ainda vão se reencontrar em algum episódio futuro e isso é o mais bacana, já pro Reese o negócio é a Zoe Morgan mesmo kkkk... sobre a root, ainda bem que era uma vilã nova, nunca achei que era ninguém que já tinha aparecido na trama e fiquei satifeito com a nova identidade bandidesca da série. Person of Interest foi a melhos estréia da Fall pra mim, eu acho que POI é uma série que tem traços procedurais, não chega a ser uma série procedural, daí o ritmo fantástico dela, da história tão envolvente. Parabéns pelas reviews, em setembro "tamo de vorta" kkkk... abraços! 

    ResponderExcluir
  2. Ô Agnaldo, eu também adorei aquela cena! kkk Principalmente pela participação de sua esposa - na vida real. Mas ele escolheu a Máquina oras! Foi duro, mas ele poderia sumir no mundo com ela, mas não! Com certeza esse é o pensamento dela. Com certeza também poderão e deverão se encontrar mais pra frente e resolver isso. Foi um ótimo plot adicionado na série. Valeu pelo coment, abraço ;)

    ResponderExcluir
  3. Ué, mas se ele se manda com a Grace aí não tinha série rsrsrs! Eu concordo com o Agn quando diz que o que o Finch fez foi mais pela Grace do que pela Machine, ele diz pro Reese que a máquina é um virus e pega todo mundo em sua volta e que ele é o primeiro que tá infectado e correndo risco, tanto que se lascou mesmo, os problemas físicos dele deve ser sequela de algum atentado contra ele e Ingram, mas concordo com você quando disse que o pensamento dela seria outro bem diferente, que os dois podiam ter dado no pé e vivido juntos. O que o Finch vez foi a mesma coisa que o Reese, ambos acharam para bem das mulheres se afastarem, mas é obvio que na visão delas, isso é uma baita mancada e aí que entra todo o drama da separação do Reese e Jessica e do possível reencontro de Finch com Grace. Mulher nenhuma vai aceitar essa desculpa facilmente, como dizem por aí, elas são de Venus a gente de Marte rsrsrs. Gostei da review mesmo sendo tripla, mas concordo que PoI precisa delas individuais, é muita informação por episódio. Valeu!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

Especial: TOP 5 séries que você não deve assistir com a sua mãe

Olá, leitores! Hoje não é um dia qualquer, não é um simples domingo onde você, caro leitor, comerá um pedaço de pizza do sábado à noite no almoço, porque hoje é o dia das mulheres da vida de cada um de vocês, das mulheres que consideram sagradas. Hoje é dia das mães! O Viciado Em Série não poderia deixar de prestar sua homenagem, contudo, decidido a fazer algo diferente do bom e velho “TOP 5/10 Mães de Séries/Filmes”, segue o "TOP 5 Séries Que Você Não Deve Assistir Com a Sua Mãe".
5º Lugar - Game of Thrones

Uma série da HBO para maiores de 18 anos cheia de nudez, cenas de sexo, incesto, orgias, guerras, violência de todos os tipos, entre outras situações embaraçosas. Game of Thrones, definitivamente, não é o tipo de série para você assistir ao lado da sua querida e sagrada mãe, afinal, qual filho não fica constrangido diante uma cena de sexo em um filme aleatório sendo assistido junto dela? Agora imagina uma cena dessas entre dois irmãos... Pois é, MELHOR NÃO! 
4º Lugar – Tr…

TOP 5 Séries Melhores que Game of Thrones

— Vikings: "Gosto de Game of Thrones porque tem muita luta medieval, sangue..."

As lutas medievais de Vikings são muito mais intensas, extremamente constantes na série. A série também vem de uma adaptação, só que dá história da humanidade, quando exploradores, guerreiros, comerciantes e piratas nórdicos invadiram, exploraram e colonizaram grandes áreas da Europa e das ilhas do Atlântico Norte a partir do final do século VIII. A série também é muito mais viciante, sem a morosidade de diálogos vistos na série da HBO.

— Banshee:  "Gosto de Game of Thrones porque tem muitas cenas de sexo e nudez"

As cenas de sexo de Banshee são extremamente mais explícitas. Nudez é cotidiano na série, inclusive nudez frontal. E a nudez de Banshee não são como em Game of Thrones, que praticamente mostra a nudez de prostitutas, personagens secundários. Em Banshee os atores principais estão nessas cenas. Banshee também ganha no quesito violência, sangue, ação, além de ter roteiro original.

— …