The Killing – 2x10 – 72 Hours


Quando a vida pessoal dos investigadores é mais interessante que o caso principal, o que fazer? Sim, isto acontece em The Killing, tudo relacionado à Linden seu antigo caso e seus traumas me interessam mais que os possíveis suspeitos do caso “Rosie Larsen”. Este episódio foi o que eu esperava, desde quando foi citado sobre o caso relacionado ao desenho das árvores, queria uma explicação, um episódio flashback, qualquer coisa para suprir minha curiosidade, e deu certo.

Todas as perguntas que Linden respondia no hospital psiquiátrico eu imaginava uma cena, uma após a outra. Desde quando ela perdeu seu casamento para fechar o caso, acho que todos desconfiaram que não fosse apenas emocional, tinha alguma coisa a mais relacionada. Sua história de abandono foi o que mais marcou, não foi um simples abandono, foi uma tortura. Abandonada no escuro, sem ninguém por perto, uma criança de cinco anos, essa é a semelhança com Rosie e o menino dos desenhos, nos dois casos, as morte envolviam um grande medo, e as vítimas ficaram presas em lugares escuros.

O garoto dos desenhos não morreu, mesmo assim ele era uma vítima. Por falar no garoto, durante o desabafo de Linden, pensei em uma possibilidade que havia pensado na temporada passada, será que Jack é o menino do antigo caso de Linden? Olhando pelo lado de que aquela criança não tinha seus pais e foi para a adoção, poderia ser uma ótima aposta. Mas por outro lado, Jack tem pai e nunca apresentou nenhum sinal de trauma psicológico, logo descarto.

Stan quer se redimir para ele mesmo e para os filhos, ele quer uma vida nova, se desculpar com as pessoas que magoou ou teve algum atrito. Terry voltou para os garotos, tenho quase certeza de que se Mitch não voltar rápido, a imagem de mãe vai ficar com a tia. O momento mais emocionante do episódio foi Stan ligando para Rosie, bem no fundo ele tinha alguma esperança dela atender a ligação. A evolução do personagem demorou e oscilou entre as temporadas, mas finalmente veio.

Richmond e sua interminável campanha conseguiram mais um passo, apenas um, pois parece que está engatinhando (sem trocadilhos com sua condição, =D). Gwen achava que tinha uma carta na manga com o prefeito, mas nada deu certo, então ela teve que improvisar, aquele vídeo foi bem natural e uma ótima sacada, por isso ela é bem disputada no meio político.

Cheguei à conclusão que o chefe de polícia não é mau caráter, ele é pau mandado e inocente o suficiente para se deixar levar pelas tramóias do prefeito. Holder descobriu que está tudo ligado, o prefeito, Janek e o pai de Jasper (que eu nunca lembro o nome). Todos estão armando uma coisa muito maior que um simples assassinato, mas no que depender de Linden essa “turminha da pesada”, vai todo mundo para a cadeia.

OBS1: Ansioso pela finale, quero saber logo do assassino de Rosie e se a série for renovada, eles podiam tratar mais de Linden, a coitada vive largada, explorar mais do passado da personagem seria interessante.

OBS2: Tive uma imagem muito negra sobre o antigo caso, ainda mais quando ela diz acreditar que o assassino está à solta, não foi à última vez que ouvimos sobre ele, certeza de que em uma possível terceira temporada ele virá à tona.

OBS3: Chef  Jackson mandou arrumar o décimo andar, encobrindo tudo e fazendo Linden passar por louca e Holder mentiroso.

Tecnologia do Blogger.