Grey’s Anatomy – 8x22 – Let the Bad Times Roll


Carpe Diem(Viva o momento)

Todo início de post parece clichê, mas é a mais pura das verdades. Episódio ótimo, muito bom, foda e eu não tenho palavras para descrever a temporada, basicamente isso. Foi tenso do início ao fim, a expectativa de saber quem iria passar/reprovar e a pressão dos testes, tudo isso resultou em um final que me fez rir e arrepiar.

Foi legal ver nestes dois últimos episódios como os atendentes do SG se viram sem nenhum de seus queridinhos. Novos residentes chegam para visitar o hospital e Bailey atuando como puxa saco, há uns tempos atrás ela iria torturar todos eles pra aceitarem o emprego. Hunt e Teddy estão se aproximando novamente, e a culpa deste milagre está dividida entre Bailey que salvou o mundo jogando toda a verdade na cara de Teddy e de Cristina que mantém os dois em contato.

O caso da semana não é simples como os outros, que depois da cirurgia vão para casa curados ou morrem na mesa, este é diferente porque mexe com os sentimentos de Arizona, a durona da pediatria. Tim é um velho amigo que foi como um irmão substituto, em tempos difíceis que nossa pediatra passou, mas que trouxe um grande problema pra ela. Tornou-se comuns casos assim, de pessoas que esperam a enfermidade chegar a último estágio pra ir ao médico.

Tim mal chegou e vai embora desta pra uma melhor, levando um pedaço de Arizona com ele, mas em todo este drama pode ter um ponto bom, vamos explorar um lado da personagem que nunca foi mostrado antes, sua dor em relação à morte do irmão e agora do grande amigo. Não foi só Arizona quem desabafou no episódio, chegando ao fim da temporada e Lexie finalmente conseguiu se declarar para Mark, nesta declaração não foi só ela quem se sentiu mais leve, durante toda aquela cena eu fiquei tonto/assustado de tantos “EU TE AMO” que ela disse. Espero que Mark saiba reconhecer o esforço que ela fez, chutando a oftalmologista (nada contra ela).

Vamos agora a melhor parte do episódio, os testes. Foi pura tensão, desde o primeiro momento, ou primeira fase, todos estavam nervosos, até Cristina como deusa que é. Karev conseguiu chegar, não a tempo da primeira etapa, mas arrasou nas restantes e ainda deu um sermão para os avaliadores. Mer foi foda, se segurou nas duas primeiras e na última colocou tudo pra fora, literalmente. Avery e Kepner depois de uma rapidinha no banheiro, ficaram mais aliviados para a última, mas antes Jackson se segurou, contrário de Kepner que fez rodízio de pizzas e ainda gritou com seus avaliadores.

No final foi gratificante saber que todos estes anos em residência finalmente eles conseguiram passar. Clima de comemoração, todo mundo feliz (devo confessar que pulei com Avery e Yang), mas depois fiquei triste por Kepner, é uma personagem complicada, em algumas situações faz rir (exemplo claro foram os testes) e em outros nos fazem odiar de tamanha lerdeza, mas no fim nenhum deles merecia reprovar, claro, minha opinião.

OBS1: Não tivemos Diva Zola, só uma referência, mas presenciamos sua fiel companheira Diva Sofia, linda e educada em sua refeição matinal.

OBS2: Ri muito alto dos atendentes juntos na mesa e observando os supostos novatos cheirando pão e sendo metidos de nariz em pé.

OBS3: Derek seguiu o conselho de Bailey, ficou cheio de metáforas durante o episódio. Guardem isso “O teste é um espelho”.

OBS4: Ri muito nos testes de Cristina, ela arrasou e ainda discutiu com o avaliador que era médico nos tempos onde se iluminava a sala de cirurgia com velas. Ri berrando.

Tecnologia do Blogger.