Pular para o conteúdo principal

American Idol Top 3: Os finalistas são anunciados.


Como escolher entre três fenomenais cantores? Qualquer resultado geraria desconforto em um jogo desconfortável. A eliminação é dura, mas é necessária. No American Idol você tem que matar um leão por semana. O programa não admite falhas, mínimas sequer. Contudo, o eliminado desse top 3 saiu sem falhas. Sim, isso é possível porque isso é American Idol. 

Não esperava a saída de Joshua. Nunca foi o meu favorito, mas sempre reconheci o seu valor. No post "American Idol 2012 - Já escolhemos os vencedores!", eu não inclui-lo entre os três melhores da competição, mas naquela ocasião, ainda não tinha visto ele cantado "It's A Man's Man's Man's World", simplesmente, a melhor apresentação ever de todo reality. Perdi as contas de quantas vezes os jurados aplaudiram-o de pé. Parei de contar quando chegou a doze. O cantor, declarado o mais emotivo do Top 3, não me conquistava em 100% por as vezes, parecer que causaria uma explosão em sua voz. Num certo momento, achava que iria desafinar, mas não. O resultado era sempre deslumbrante. Quando dei-me conta de que essa passagem era natural e ele não desafinaria de jeito algum, comecei a relaxar e curtir suas apresentações, dignas de muito louvor. A história mostra que os eliminados da competição fazem bem mais sucesso do que os vencedores. Dessa vez, também não vai ser diferente. Regularidade e momento. Dois aspectos que fez com que Joshua chegasse aonde chegou, contudo, achei pouco. 

Jessica Sanchez e Phillip Phillips são os meus favoritos desde o início, mas mesmo assim, aceitaria tranquilamente a saída de um dos dois, ao invés de Joshua. Foi escolha do público americano. Não dá para culpá-los. Qualquer um dos três que saísse seria uma pena. A saída de Joshua não chega a ser impactante, mas surpreendente, pelo menos assim, mesmo com a saída de um dos meus favoritos, sei reconhecer que tecnicamente ele foi o melhor desse TOP 3. 

Mas, porém, contudo, todavia, Jessica Sanchez e Phillip Phillips merecem a final. São pérolas raras da música que brotam poucas vezes nessa vida. Continuo torcendo para que Jessica leve o prêmio. Se ficar com Phillips, tudo bem, está em boas mãos, mas Jessica tem que ganhar porque além de ser uma menina super-mega-hiper talentosa, ela não tem medo de nada. Cantou Whitney pouco depois de sua morte e arrebentou. Não teve medo de cantar talvez a melhor música já feita - Bohemian Rhapsody/Queen na noite especial dedicada a banda. Teve a ousadia de cantar para o monstro sagrado do Rock Steven Tyler I - "Don't Wanna Miss a Thing" - e arrebentou. Ao contrário de Phillips, que muitas vezes, titubeou e ficou ali com um (ótimo) feijão com arroz. 

Sendo assim, que vença Jessica, mas independente do resultado, nós saímos vencedores por acompanhar esses magníficos artistas por meses, quiçá, por anos. Vai depender muito das apresentações finais de ambos, pois, como disse, eles tem que matar um leão por semana. Qualquer deslize pode ser fatal. Se os dois forem perfeitos, dá Jessica na votação final.

Diz aí! Foi injusto, não foi. Quem vai vencer a competição? A final será na próxima quarta, com transmissão simultânea aqui no Brasil pelo canal Sony.

Comentários

  1. Na boa, em que tipo de mundo alguém como Philhip Phillips vira finalista num programa que tem  Joshua Ledet como competidor? A diferença é simples: um é um cantor mediano, cheio de altos e baixos, sem nenhum diferencial impactante, um estilo de performance absolutamente incrível ou genial. É uma versão batida de cantores teens que agradam as patéticas fãzinhas americanas. O outro é um monstro. Um cantor que excede qualquer tentativa de compreensão tamanha sua capacidade vocal, criativa, inventiva e performática. Um cara de 20 anos que parece cantar há 52. Um intérprete que se superou a cada apresentação em todo o show, jamais caindo na mesmice ou permanecendo na zona de conforto. Uma voz como nenhuma outra, uma emoção inimaginável, um cantor que nos arrebatou a cada aparição com a força de sua interpretação, com os olhos expressivos, o canto de entrega visceral. Uma final dele com a Jessica seria arrepiante, de adrenalina pura; seria uma competição acirradíssima, empolgante, arrepiante. Agora, uma finalzinha morna e sem graça. Até porque não tem comparar o talento também abismal de Jessica Sanchez com essezinho aí. Uma pena.

    ResponderExcluir
  2. philips ficar na final foi a maior prova de como os americanos são como os brasileiros
    na hora de votar em algo . totalmente idiotas ...

    ResponderExcluir
  3. Achei justa a final. 
    É verdade que Joshua era o que mais se destacava, mas por conta da potência de sua voz.
    Para nós, brasileiros, ele parece ainda mais extraodinário, visto que dentre os cantores daqui, nenhum tem aquele talento. Mas, para mim, seria um desafio ouvir um CD inteiro do Joshua sem se cansar.
    Realmente ele cantando James Brown foi muito bom, mas acho que foi melhor quando cantou Queen. Questão de opinião...
    Acontece que no mesmo programa que ele cantou James, Phillip cantou Damien de uma maneira incrível. Como disse o Steven: "Eu poderia ouvir aquilo por horas, sem me cansar.".
    E a Jessica cantou Jennifer Holliday absurdamente bem. A partir daí, qualquer um poderia ganhar. Minha torcida, apesar da falta de ousadia, ainda vai pro Phillip porque ele canta um estilo que eu prefiro.

    ResponderExcluir
  4. Concordo muito contigo e você terminou dizendo realmente o que falta em Phillip e sobra em Jessica e Joshua. Ousadia. Por isso torcia para Joshua na final, mas de qualquer forma é uma boa final sim. Que vença que tiver mais ousadia nessa terça. Abraço 

    ResponderExcluir
  5. Discordo do comentário feito por Luiz Filho. Sinceramente, eu acredito que o Phil Phillips merece estar na final do american idol. Pelas seguintes razões: Pessoa que tem identidade e independentemente de todos os pedidos feitos pelos jurados no decorrer do programa para ser mais melódico manteve suas origens. Não cantou músicas para agradar o público, tentou sempre ser autêntico e criativo no estilo musical que aderiu. Tem um vocal muito bom. Ele foge do senso comum quando tenta impor sua marca em musicas as vezes consagradas, ou em musicas que ele não gostou da versão original e deu "a sua versão" philipsada para a mesma.

    E mais, além de músico é compositor e instrumentista, coisas que tanto Joshua quanto Jéssica não são. Ambos serão sempre depedententes de uma banda ou de compositores para dar arranjos em músicas que acredito que nunca irão compor.

    Na minha opinão, Jessica é incrível, mas tirando a sua linda vóz pouco contribuirá para o cenário musical. No mesmo perfil dela temos musas consagradas que com vozes lindíssimas, são mais belas e mais carismáticas. Joshua por sua vez, vai arrazar com seu vocal incrível. Sua presença de palco é sensacional. Uma pena muito grande ele não ido para a final com o Phil.

    De todos dos canditados, eu pagaria ingressos para ver o Phill Phillips, o Joshua e o Colton Dixon. O resto eu iria ver se tivesse tempo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

Especial: TOP 5 séries que você não deve assistir com a sua mãe

Olá, leitores! Hoje não é um dia qualquer, não é um simples domingo onde você, caro leitor, comerá um pedaço de pizza do sábado à noite no almoço, porque hoje é o dia das mulheres da vida de cada um de vocês, das mulheres que consideram sagradas. Hoje é dia das mães! O Viciado Em Série não poderia deixar de prestar sua homenagem, contudo, decidido a fazer algo diferente do bom e velho “TOP 5/10 Mães de Séries/Filmes”, segue o "TOP 5 Séries Que Você Não Deve Assistir Com a Sua Mãe".
5º Lugar - Game of Thrones

Uma série da HBO para maiores de 18 anos cheia de nudez, cenas de sexo, incesto, orgias, guerras, violência de todos os tipos, entre outras situações embaraçosas. Game of Thrones, definitivamente, não é o tipo de série para você assistir ao lado da sua querida e sagrada mãe, afinal, qual filho não fica constrangido diante uma cena de sexo em um filme aleatório sendo assistido junto dela? Agora imagina uma cena dessas entre dois irmãos... Pois é, MELHOR NÃO! 
4º Lugar – Tr…

A Fantástica Última Temporada de The Killing

(Com spoilers)

Uma aula de como encerrar uma série.
The Killing recusava a nos deixar. Sofreu dois cancelamentos e foi resgatada duas vezes. Lutou contra os números de audiência, única coisa que interessava para o AMC, e conseguiu sobrevida graças à sua qualidade, prontamente reconhecida pelo Netflix. Ajudou na produção da terceira temporada e bancou sozinha a sua quarta, pois, felizmente, acreditou na série e não nos deixou órfãos, depois daquele excepcional cliffhanger.
Terminamos a terceira temporada presenciando Linden matar cruelmente (e merecidamente) Skinner, aos gritos de "NÃO" de Holder. Tempos depois fomos noticiados que não veríamos mais nada além daquilo, pois o AMC decidiu cancelar a série, fato que trouxe muita tristeza para o seu telespectador. É uma crueldade que fazem com o telespectador, mas é, infelizmente, uma prática comum na TV, pois não respeitam nada além de lucro, e deixam de contar uma história sem mais nem menos, se lixando para seus clientes. 
E a …