Person of Interest "Flesh and Blood" 1x19



Mais um desse e eu largo Person Of Interest. 

Comecei assistir o episódio muito animado, devido aos elogios que li nas redes sociais. Quebrei a cara feio. Resolvi assistir esse episódio de Person com mais dedicação, atentando-me aos mínimos detalhes. Não sei se esse problema é costumeiro na série, pois, sempre assisti-la com o intuito de entreter-me, ver boas brigas e tentar desvendar a trama principal da temporada. Aquela quase que inexistente. 

A premissa foi muito boa. Cinco CPF´s escolhidos pela máquina, pertencentes a cinco seres humanos dispensáveis na sociedade. Já dava pra perceber que eles não iriam salvar todos e a morte de alguns seriam inevitáveis. As duas primeiras mortes foram bem construídas, digna do que a série sempre mostrou. O envolvimento da HR em favor de Elias foi outro ponto positivo e trouxe instigação ao episódio, mas infelizmente parou por aí. 

O início, meio e fim do episódio foi ok, mas a forma como construíram isso foi deplorável. Primeiro, não é possível que Reese até hoje acha que a máquina escolhe os CPF´s aleatoriamente. Sempre desconfiava da manipulação de Finch, mas agora, tenho certeza. Escolher cinco CPF´s de uma só vez? Cinco chefes de famílias criminosas de Nova York. Qualquer um aceitaria o conselho de Reese e deixariam-os lavarem suas próprias roupas sujas. Aposto que tem gente inocente correndo risco de vida por lá, mas não! Finch prefere intrometer na guerra dos concorrentes de Elias. Porquê? Dinheiro não é. É o quê então? Isso é uma das coisas que prendem-me até hoje na série. 

Os detalhes que incomodaram-me muito. 


Reese abrindo o peito e indo em direção a uma metralhadora? Aí não, né Reese? Você não tem colete no rosto. 

A cena de Elias jovem matando aqueles dois capangas foi péssima! Papinho de herói e de repente ele detona aqueles dois capangas? Tudo bem ele ter saído vivo, mas os roteiristas poderiam ter criado uma forma menos forçada. 

Fiquei revoltado com Carter não ter recebido Elias e seus capangas a bala assim que eles derrubaram aquela porta. A porta caiu e eles começaram a conversar?! Ridículo! 

Tão como o velho traidor desarmando Fusco antes do acontecido. Pra quê aquilo naquele momento?

Totalmente forçada a prisão de Elias. Simples assim? Um telefonema, reforços "confiáveis" e eles abaixaram as metralhadoras tranquilamente. Isso é o tal crime organizado diferente? 

Peraí? O prisioneiro fazendo uma chamada via telefone móvel durante sua ida para a cela? Onde é que existe isso? 

Pra não falarem que só falei mal do episódio, concordo que houve coisas boas, mas as ruins, superaram e muito. Adorei a trilha sonora, principalmente nas cenas de ação de Reese. Fusco é o ótimo alívio cômico da série, paralelamente com Finch.

O episódio focou-se em Elias, desvendando sua mentalidade, ilustrado com flashsback que quase fizeram-nos ter dó do sujeito. Acabou que mesmo com seus planos fracassados, ele acabou rindo por último. Espero não vê-lo mais na série e que os últimos episódios da série foquem nos mistérios que envolvem Finch, porque se não,...tchau.

Nota: 5/10
Tecnologia do Blogger.