Game of Thrones - Season Premiere - 2x1 "The North Remembers"


Olá leitores, meu nome é Rogério de Souza, tenho 26 anos, sou Designer e casado com a colunista (produção posso chamar ela de colunista do site?) Camila Geraldi, que escreve sobre as séries de Terror. Somos um casal viciado em seriados e coisas nerds em geral e eu em particular, sou extremamente apaixonado por Game of Thrones (ou As Crônicas de Gelo e Fogo no título original), tanto que ela não agüenta mais me ouvir falando das coisas de Westeros. Então, ela sugeriu que eu escrevesse aqui no site sobre a série (quem sabe assim eu paro de encher a cabeça da coitada? hehehehe), mas até que é uma boa idéia, trabalho com imagens e não sou lá muito bom escritor mas vou fazer o meu melhor!

Antes de começar a falar da premiere de GOT, quero pontuar algumas coisinhas. Estou no terceiro (e grandioso, nos dois sentidos) livro da série, comecei a lê-los após assistir a série 2 vezes e gostei disso, pois acredito que a série tornou os livros muito mais visuais, servindo como "template" para imaginar aquilo que ainda não estava nas telintas. Além disso, acredito que isso me preparou para entender as diferenças nas linguagens de ambos. Os livros são de uma sutileza absurda, pequenos pontos que tornam-se importantes ao decorrer da história, porém na TV não temos tanto tempo assim para mostrar essas "sutilezas", ia ficar muito monótono e chato. Acompanhando os dois mundo, vou fazer de tudo para escrever sob uma linha tênue entre os dois meios, respeitando, elogiando e criticando pontos do livro e da série e se achar necessário, colocarei (devidamente sinalizado como ÁREA DE SPOILER SOMENTE PARA QUEM LEU) um parágrafo com observações de fatos futuros dos livros, isso porque estou muito preocupado com o ritmo que a série apresentará com apenas 10 episódios contando as histórias do livro 2 (A Fúria dos Reis, maior que o primeiro) e acrescentando coisas já do terceiro livro (A Tormenta das Espadas), por um lado pode ficar corrido demais, porém por outro pode trazer a cada episódio um trecho importante e impactante, enfim vamos falar da premiere da segunda temporada de Game of Thrones.

Outra coisa importante para falar é a complexidade (e não estou me vangloriando de ter encarado o desafio) de escrever sobre a série, nesse primeiro capítulo eles condensaram mais ou menos umas 150 páginas do livro, ou seja, o episódio tem 50 min e a cada 3 ou 4 temos uma mudança total de cena, personagens e contexto. Por isso torna-se inviável falar de todos os momentos e detalhar cenas que vocês possivelmente já viram, afinal acredito que este seja um espaço para comentarmos o que achamos sobre o que acabamos de assistir.

Bom vamos lá, caminhando, caindo e levantando.

Após aquela recapitulação básica da temporada passada entra a abertura da série e aí começam as maravilhas da multiplicação de idéias através dos meios, os lugares descobertos em um dos livros são adicionados no mapa do livro seguinte, e a HBO seguiu acrescentando a Pedra do Dragão na abertura, lindo, perfeito, mostrando o quanto eles estão respeitando os leitores, ponto pra eles.

Logo após a cena em que os lordes menores do norte estão levando suas reclamações para o seu suserano, o lorde de Winterfell que no caso é o Bran, houve um corte extremamente seco pulando para a "visão de um lobo" que se revela como um sonho do garoto Stark. Achei muito desesperado esse corte, achei realmente um indício de desespero cortar assim, poderiam ter jogado uma cena que acabava mais devagar para então entrar esta. Já os cortes focando o cometa foram animais, aproveitaram a introdução dele para linkar a cena de Bran na floresta, da Daenerys no deserto e a da Patrulha da Noite chegando na aldeia do Craster.

Então vemos um dos dragões na cena da Khalessi, estão tão bem feitos quanto no fim da primeira temporada, mudaram a empresa de efeitos especiais mas a qualidade, por enquanto continua perfeita.
Chega então a hora de conhecermos novos personagens: Melisandre, Davos, Meistre Cressen e Stannis Baratheon. Está é a cena da qual saíram as primeiras fotos, Stannis entrega as estatuas dos sete deuses em sacrifício ao Deus da Luz queimando-as na praia sob a orientação de Melisandre. Eu gostei muito do Davos, Lian Cunninghan encaixou perfeitamente nele, um homem com aspecto de forte e inteligente, porém humilde que sabe de sua descendência, Stannis também está bem representado com seu ar de orgulhoso e arrogante, porém perdido cego, vejo Stannis como um cavalo que só consegue olhar para frente e o ator Stephen Dillane deu esta cara para ele. Já Melisandre eu esperava alguém mais sedutora, algo como a bruxa/prefeita de Once Upon a Time, alguém com mais olhares ela está muita mais sacerdote do que Melisandre, sempre vi a personagem com um ar mais sexo.

Chegamos no diálogo mais espetacular do episódio, onde Robb vai ao encontro de Jaime na cela, o Regicida ataca com seu sarcasmo peculiar porém fica manso com a chegada do lobo gigante, e bota gigante nisso!! Adorei ele e como aparentou selvagem e obediente ao mesmo tempo, volto a falar os efeitos estão espetaculares.

Mais um diálogo e cena que se destaca no episódio é a da Cercei com Mindinho, um show de interpretação e clímax, ali realmente vemos "o jogo".
Gendry, vamos esperar pelo segundo capítulo… que por sinal já vazou! PARA NOSSAAAAA ALEGRIA! :D

No geral a premiere foi muito boa, assim como a série vinha sendo trabalhada. Porém achei muito, muito rápida e desesperada. É difícil adaptar tão bem um livro tão grande, acho que este vai ser o ritmo daqui pra frente, por um lado muitos irão gostar por trazer os principais acontecimentos rapidamente, mas por outro lado a série perde em muito o drama, por exemplo: a dor de Catelyn que perdeu o marido e teme pelo seu filho que está guerreando e "suas filhas" prisioneiras e o cansaço dos homens da patrulha da noite que para chegar no Craster andaram muito, na série pareceu que foram na esquina.

Bom, este é o começo, vamos ver o que vai acontecer daqui a diante.
Espero que tenham gostado, um abraço a todos!
Tecnologia do Blogger.