Pular para o conteúdo principal

Previously on Smash!



Obs: Texto referente aos episódios 1x02, 1x03 e 1x04.

Sabe quando você ouve uma nova música e diz: ''Essa música é boa''. Contudo, você ainda não está apaixonado por ela, até você ouvi-la outras vezes, chegando a um ponto onde se apaixona literalmente. É o caso de Smash. A série que veio com uma premissa musical, porém, em quatro episódios mostrou ser muito mais do que isso. Drama e comédia também estão misturados nessa excepcional série.

Não que não tenha gostado da série logo de cara. Gostei, como disse nas primeiras impressões da série, mas no momento eu estou apaixonado. Os últimos episódios foram um melhor do que o outro e a expectativa pelos seguintes é enorme. Já assimilamos os personagens, daí escolhendo os lados para torcer contra e a favor. As cenas não são mais estranhas e sim, peças de um quebra cabeça que tende a ser montado com perfeição, devido ao excelente roteiro, montado de forma esplêndida.

O segundo episódio (''The Callback'') marcou a decisão de quem protagonizará Marilyn. Para nosso desespero, porém, previsto, Ivy é a escolhida para ser a estrela do musical. Karen trabalha para agradar o diretor enquanto perseguem o papel dos seus sonhos, mas acaba sendo preterida. Os ''favores'' sexuais oferecidos talvez tenha sido preponderantes para escolha. Apesar de injusto, sabemos que isso acontece e muito no meio artístico. É o famoso ''teste do sofá''.

Por outro lado, começamos a conhecer a história de Julia e Frank, onde lutam com o processo de adoção. Também acompanhamos o início da saga de Eileen, a patrocinadora do musical em busca do dinheiro a base de muitas taças jogadas na cara de seu ex-marido.

Já em ''Enter Mr. DiMaggio'' (1x03), conhecemos o ator/personagem que assumira o papel de Joe DiMaggio. Detalhe que além de ser um excepcional artista, ele já teve um passado amoroso com Julia, apimentando a história de uma das roteiristas do musical. A situação piorou e muito quando iniciou os primeiros ensaios.

Karen separa um tempo para passar com a família. Vai para Iowa para um chá de bebê, descansa, descontrai com suas amigas, gerando números musicais improvisados fantásticos. Humildemente, nossa diva aceita o convite de participar do coral do musical, abrindo diversos problemas para Ivy - a invejosa. Daí vocês já sabem. Vão sair lascas de fogo.

Odeio a Ivy, mas é inegável o seu talento. Além de ser linda, é claro.

Agora foi em ''The Cost of Art'' (1x04) onde os melhores musicais foram apresentados. Considero o melhor até então, mas não devido à apenas as excepcionais apresentações, mas também devido ao desenvolvimento da trama, cada vez mais viciante.

Karen sofreu, coitada. Sua humildade é algo de dar dó, não é mesmo? O que Ivy tem de petulante, tem ótima atriz e cantora, como disse, e a apresentação musical exibida na festa dada por Derek foi algo mais do que sensacional. A celebridade da vez - Nick Jonas - rendeu-se a seu encanto, mas não conseguiu ir além disso, graças ao "empate" de Eileen, cujo aproveitou muito bem a festa e traçou uma estratégia infalível e conseguiu levantar fundos definitivos para o musical.

Não dá pra terminar esse post sem falar de Tom, não é mesmo? O músico/roteirista já destacou como um dos mais simpáticos da série. Seu encontro foi tão simples e romântico, sucumbido de muito amor nas entrelinhas.

Falando de amor, a tensão sexual da série é alta, mostrando diversas cenas de sexo, surpreendendo-me por se tratar de uma série em TV aberta. A série mais uma vez pisa na cara da sociedade viciada em série ao fazer/criar uma tensão dessas sem apelar para a nudez explicita e gratuita. Falar mais o quê? Faça um favor pra você mesmo e assista essa, que deve ver uma das melhores desse ano.

PS: Hoje (05/03) vai ao ar o 5º episódio da série. Ansiedade infinita sentida, e olha que isso está custando acontecer nas séries de hoje. Caso haja um retorno a esse post (leia-se, comentários) iniciaremos reviews dedicados a cada episódio. É com vocês!

Comentários

  1. GabrielaCeruttiZimmermann5 de março de 2012 19:46

    Smash surpreendeu mesmo. Não dá pra negar a qualidade.

    ResponderExcluir
  2. Não conheço ainda... é estilo musical?

    ResponderExcluir
  3. Rumour has it misturando adele e katherine ficou ótimo! Espero que vcs façam as reviews dos episodios

    ResponderExcluir
  4. para tudo e vá assistir rs. A base é musical, mas tem de tudo =D

    ResponderExcluir
  5. Felizmente uma das melhores surpresas desse ano!
    A série tem uma qualidade Inquestionável!
    Ótimo texto, Fábio!

    ResponderExcluir
  6. Smash é realmente perfeita.

    Tem como não se apaixonar pela Karen e toda a doçura dela!?
    Ela é tão maravilhosa que consegue ser sensual sem apelar (o que adoro), nem preciso dizer que não gosto nem um pouco da Ivy... Karen dá de 1000 a 0 nela.

    E o Derek apesar daquele jeito dele... ADOROOOOOOOOO!
    Série já me viciou!

    P.S: Como havia dito no twitter, vou ter uma overdose de reviews porque finalmente arrumei um tempinho e coloquei em dia. *-----*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

Especial: TOP 5 séries que você não deve assistir com a sua mãe

Olá, leitores! Hoje não é um dia qualquer, não é um simples domingo onde você, caro leitor, comerá um pedaço de pizza do sábado à noite no almoço, porque hoje é o dia das mulheres da vida de cada um de vocês, das mulheres que consideram sagradas. Hoje é dia das mães! O Viciado Em Série não poderia deixar de prestar sua homenagem, contudo, decidido a fazer algo diferente do bom e velho “TOP 5/10 Mães de Séries/Filmes”, segue o "TOP 5 Séries Que Você Não Deve Assistir Com a Sua Mãe".
5º Lugar - Game of Thrones

Uma série da HBO para maiores de 18 anos cheia de nudez, cenas de sexo, incesto, orgias, guerras, violência de todos os tipos, entre outras situações embaraçosas. Game of Thrones, definitivamente, não é o tipo de série para você assistir ao lado da sua querida e sagrada mãe, afinal, qual filho não fica constrangido diante uma cena de sexo em um filme aleatório sendo assistido junto dela? Agora imagina uma cena dessas entre dois irmãos... Pois é, MELHOR NÃO! 
4º Lugar – Tr…

A Fantástica Última Temporada de The Killing

(Com spoilers)

Uma aula de como encerrar uma série.
The Killing recusava a nos deixar. Sofreu dois cancelamentos e foi resgatada duas vezes. Lutou contra os números de audiência, única coisa que interessava para o AMC, e conseguiu sobrevida graças à sua qualidade, prontamente reconhecida pelo Netflix. Ajudou na produção da terceira temporada e bancou sozinha a sua quarta, pois, felizmente, acreditou na série e não nos deixou órfãos, depois daquele excepcional cliffhanger.
Terminamos a terceira temporada presenciando Linden matar cruelmente (e merecidamente) Skinner, aos gritos de "NÃO" de Holder. Tempos depois fomos noticiados que não veríamos mais nada além daquilo, pois o AMC decidiu cancelar a série, fato que trouxe muita tristeza para o seu telespectador. É uma crueldade que fazem com o telespectador, mas é, infelizmente, uma prática comum na TV, pois não respeitam nada além de lucro, e deixam de contar uma história sem mais nem menos, se lixando para seus clientes. 
E a …