Glee "Michael" 3x11




Acho que os fãs de Michael Jackson e os fãs de Glee ficaram satisfeitos com esse episódio, porém, esperava mais. Não pelas canções - que foram ótimas - mas pela trama escolhida para esse episódio.

O episódio foi uma espécie de homenagem à Michael, entrelaçada aos assuntos recorrentes dessa temporada acrescentado de um plot iniciado e prontamente terminado.

New Direction x Warblers. Esse plot que incomodou-me. Achei um pouco forçado, sem graça e desnecessário. Tudo bem que precisaram adicioná-lo para que servisse de gancho para as canções apresentadas, porém, esperava que viesse em uma melhor forma, ou então, que focassem apenas nos outros plots apresentados.

Ao todo foram 9 canções. Ótimo. Adoro as canções de Glee, porém, estava curiosos pra saber como iriam encaixar esse monte de canções em 40 e poucos minutos, fora a trama. Em alguns momentos conseguiram, mas em outros, forçaram um pouco a barra. Homenagem mesmo foi quando apresentaram Scream - praticamente reproduzindo o clipe do cantor - e na canção final, Black or White, inserindo o efeito de transição de rostos, marcante na carreira do cantor. Sensacional. Adorei.


Smooth Criminal foi de longe a canção melhor executada, mas também, a que mais forçou a barra, em se tratando de encaixe à trama.

Mais esse pequeno mimimi não foi suficiente para estragar o episódio. O outro lado da trama mostrou o final feliz de Rachel e Finn. Acompanhamos o casal durante três anos. Foi um vai e volta até certo ponto entediante. Adorei que os produtores resolveram avançar com esse assunto, praticamente dando uma resolução. Rachel não está mais entre Finn, Puck e o New Directions. Rachel estava entre Finn e seu futuro. De certa forma emocionante, Rachel aceita seu pedido de casamento, mas o "felizes para sempre" ainda não está definido, devido ao cliffhanger deixado.

Notei que não estão tentando arrastar as sub-tramas. Isso é ótimo. Sam e Mercedes se resolveram; Quinn se abrindo a Rachel - mas o mais importante, para si mesma - dando tom de despedida da série; Rachel e Kurt foram aceitos em NYADA, sub-entendendo-se que os personagens dedicarão com unhas e dentes a esse propósito, ao desenrolar da temporada.

Enfim, Glee veio com um especial que não conseguiu ser o meu especial favorito, mas que entreteve, emocionou e que garantiu mais dinheiro (com boa audiência e garantia de um CD especial). O nível da 3ª temporada está ótimo. Após essa pausa, aguardo ansiosamente os próximos episódios.


PS: Dois fatos que considero imperdoáveis nesse episódio:

Britany participou do episódios? Totalmente figurante. Lamentável, por si tratar de uma das melhores (se não a melhor) dançarinas do elenco. Cabia uma musiquinha pra ela, tio Ryan!

Sue Sylvester participou do episódio? Nem como figurante. Mais uma vez lamentável, por si tratar de Sue, porque Sue Sylvester é Sue Sylvester e ponto final. Como gostaria de vê-la cantando ou dançando alguma canção de Michael. Ficou só na vontade.
Tecnologia do Blogger.