Pular para o conteúdo principal

Californication: 5x04 – “Waiting for the Miracle”



 
Finalmente um episódio digno de Californication! 

Sei que muita gente gosta da série por suas trapalhadas e cenas engraçadas (e eu as adoro também), mas o que me sempre me fez achar Californication diferenciada é o fato de ela girar em torno do relacionamento conturbado de Hank, Karen e Becca, fazendo com que a série tenha uma história consistente e possa até ser considerada uma “Dramédia”. 

Contudo, essa temporada sinceramente não estava me convencendo, porém os últimos momentos deste episódio, com um excelente diálogo entre Hank e Karen, deram-me esperanças que Californication voltará a seus rumos. 

Que Hank é um putanheiro ninguém duvida, afinal, ele já nos deu inúmeras provas disso ao longo de toda série. Porém, ele não é um putanheiro qualquer. O problema dele é e sempre foi Karen. Ele pega todas, simplesmente porque não consegue ter ao seu lado a única que deseja: a ex-esposa. 

E ele não desiste, recusa-se a seguir em frente. Esperará por Karen até o fim de sua vida se isso for necessário, pois nenhuma outra mulher interessa. E se isso já era claro antes, no final deste episódio ficou escancarado no diálogo entre os dois. Nas próprias palavras de Karen, Hank estaria "esperando por um  milagre”.

Só que Karen não acredita mais nos dois juntos, acha que não pode ter Hank, o homem que ama e diz que amará para sempre, e também ser feliz. Então, dentro da incrível “lógica” feminina, ela diz que escolheu ser feliz a ter Hank ao seu lado! Agora alguém pode desenhar pra mim, por favor, porque eu não consigo entender: Como é que pode alguém ser feliz sem estar junto à pessoa que ama, porra !?!?  

E agora o Hank tá nessa. A mulher que ele ama lhe disse que também o ama, mas que não quer ficar com ele. Como é que um cara sai de uma dessa? F – o – d – e –u ! O jeito é ir pegar de novo a mina do Samurai Apocalypse mesmo, afinal, ele não tem mais nada a perder, certo? 

Errado, Hank, ainda tem a Becca, que voltou a ter Tyler em seu pé. O cara parece que realmente está arrependido e que ouviu os conselhos de Hank, mas será que é isso mesmo? Ou ele está apenas fingindo seguir os conselhos do pai de Becca e não passa de um grande fdp? O jeito é esperar pra ver, mas a julgar pela resposta que deu à mãe, pelo jeito Becca está caindo na história dele. “Adivinha de quem eu puxei?” Genial, Becca! Puxou a mal criação do pai! 

O resto do episódio foi só diversão. Enquanto o jantar entre Hank, Stu, Marcy, Karen, Bates e a incendiária foi uma sucessão engraçadíssima de besteiróis sexuais sem tamanho, o que dizer então do encontro às cegas de Charlie (que a babá gostosa arrumou para ele) com a “virgem de 40 anos”? Coitada da mulher, tanto tempo esperando o príncipe encantado e foi perder a virgindade com o “gatilho” mais rápido da Califórnia! Bem disse a Marcy no jantar: “Depois de duas décadas com Charlie, qualquer coisa mais longa do que uma música dos Ramones já é sexo tântrico pra mim!”. Hehehe... a Little Smurf é foda também! 

Bom, em resumo, ótimo episódio de Californication, pra mim o melhor da temporada. Espero que os roteiristas mantenham a linha e que de agora em diante a série encontre seu rumo, que andava meio perdido. E pra mim isso depende diretamente de como eles irão aproveitar a própria falta de rumo de Hank. 

PS: A essa altura todos já sabem, mas Californication foi renovada pela Showtime para a 6ª temporada! Será a última?

Postagens mais visitadas deste blog

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

15 Séries que irão terminar em 2018

2018 já está aí, hora de despedir (ou não) daquela série que acompanhou por anos. Abaixo listo as 15 séries que irão terminar nesse ano, confira:

Este é um apresentação do Microsoft Office incorporado, da plataforma Office Online.

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

A Fantástica Última Temporada de The Killing

(Com spoilers)

Uma aula de como encerrar uma série.
The Killing recusava a nos deixar. Sofreu dois cancelamentos e foi resgatada duas vezes. Lutou contra os números de audiência, única coisa que interessava para o AMC, e conseguiu sobrevida graças à sua qualidade, prontamente reconhecida pelo Netflix. Ajudou na produção da terceira temporada e bancou sozinha a sua quarta, pois, felizmente, acreditou na série e não nos deixou órfãos, depois daquele excepcional cliffhanger.
Terminamos a terceira temporada presenciando Linden matar cruelmente (e merecidamente) Skinner, aos gritos de "NÃO" de Holder. Tempos depois fomos noticiados que não veríamos mais nada além daquilo, pois o AMC decidiu cancelar a série, fato que trouxe muita tristeza para o seu telespectador. É uma crueldade que fazem com o telespectador, mas é, infelizmente, uma prática comum na TV, pois não respeitam nada além de lucro, e deixam de contar uma história sem mais nem menos, se lixando para seus clientes. 
E a …