American Idol Auditions 2012




Alegria, emoção, raiva, tristeza,... depois de 11 anos, todos os sentimentos estão de volta envolvidos nesse que é o melhor reality show musical de todos os tempos. Sai jurado entra jurado e a qualidade continua a mesma. Excepcional. Todos já sabem o que vem pela frente, porém nesse caso, mantemos sempre os mesmos sentimentos como se estivéssemos assistindo pela primeira vez, simplesmente porque é a primeira vez. O material humano americano é fantástico. Sei lá, parece que brota em árvore. A estrutura é a mesma, porém o programa consegue eliminar aquele sentimento enjoativo. Contudo, a maior virtude do American Idol é poder selecionar os participantes, tanto para emocionarmos, quanto para matarmos-nos de rir. São cerca de 10 a 20 mil inscritos por cidade, e com esse material humano, os produtores destacam alguns candidatos que, de um jeito ou de outro, entram em nossas casas, tornando parte de nossa família.

O que difere American Idol dos outros realities musicais é a excepcional edição. Muitas vezes, eles transformam sapos em príncipes. Pegam um candidato - que muitas vezes não tem uma história tão relevante assim - e montam na edição, um personagem, ilustrando o candidato. Os jurados também são uma ótima matéria prima para a edição. Realçam os seus lados engraçados, escondem seus defeitos, fazendo-nos amá-los mais e mais.

Foi o que aconteceu nas audições para a 11ª temporada de American Idol. St.Louis, Portland, Galveston, Aspen, San Diego, Pittsburgh e Savannah foram palcos ocupados por milhares de pessoas - de todo tipo - esperançosos pelo reconhecimento ou não. Ou não porquê, como de costume, muitos não vão lá com o objetivo de ser o novo American Idol, mas sim, de aparecer, zoar, entre outros.


Sinto os jurados mais seguros. Com o carisma de sempre. JLO e Steven, fazem-nos amá-los ainda mais a cada comentário. Notei que eles parecem que alargaram o filtro e estão passando mais candidatos "meia boca". Acho que esse carisma mencionado serviu pra contagiar Randy. Nessa temporada, nosso anfitrião está muito mais amável, escondendo aquele lado carrancudo e até grosseiro exibido em outras edições.

Tem gente pra todos os gostos. Existem aqueles que são bons por dom, chegam e arrebentam. Existe outros que são péssimos e vão mesmo pra zoar, brincar e aparecer. Mas a turma que mais me dá pena, é aquela que vai - como se fosse os maiores cantores do mundo - e protagonizam aquele desastre, e o pior, se sentem ofendidos. Separei três situações que destacam esse parágrafo.

Sou foda:


Não tenho mais o que fazer da vida:


Sonho acordada:


Essa noite (8/2) começa a primeira noite Hollywood, onde as coisas ficarão tensas para os competidores e o menor vacilo, custará a sua volta para a casa, e é claro que iremos acompanhar esse, que é o melhor reality show musical ever.

PS: Dois candidatos ilustres passaram para a próxima fase.


Emily Vasques - conhecida por sua participação em The Glee Project - reality show musical da emissora americana Oxygen, cujo objetivo é classificar novos personagens para a série Glee. No reality, Emily saiu precocemente. Não chegamos a ouvi-la cantando em American Idol. Vimos-a de relance no último dia de audições e espero mais destaque para a cantora, pois, considerava uma das melhores da competição do Oxygen.


Outra grata surpresa do programa desse ano foi a aprovação da filha de Jim Carrey, Jane Carrey. A garota mostrou que tem talento e foi aprovada merecidamente para Hollywood, sem nenhum tipo de favorecimento. Destaque para a excelente edição, ilustrando a história da garota famosa por seu pai atrás de seu sonho. Confira:

Tecnologia do Blogger.