Fringe: ''Back to Where You’ve Never Been'' 4x08




Primeiramente gostaria de mencionar a satisfação que tenho de voltar a escrever sobre essa maravilhosa série. Mas vamos ao que interessa, porque ''Back To Where You've Never Been'' chutou bundas e muito bem chutadas''.

Se a carapuça serviu pra você eu não sei, mas pra mim serviu direitinho. Estava achando essa temporada morna, fugindo dos assuntos principais, baseando excessivamente nos casos Fringe. Ainda continuo com essa opinião, porém, felizmente, a volta de Fringe não poderia ter sido melhor. As minhas preces foram ouvidas e enfim, vieram com um episódio completamente voltado a trama principal, trazendo-nos resoluções e acrescentando pulgas e mais pulgas atrás de nossas orelhas.

Desenvolvimento nota 10! Peter foi a luta! Imparcial e sem deixar-se envolver com os sentimentos adquiridos na sua linha de tempo, tenta de todas as formas alcançar seu objetivo, mesmo que pra isso, tenha que entrar na jaula do Walternativo (primeira aparição na temporada). Usando de sua perspicácia já conhecida, Peter acaba nos mostrando, mesmo que sem querer, a verdadeira guerra que está por trás dessa luta entre os universos. Inimigos ocultos estão aparecendo. O que parece ser, está longe de ser o que é, até que provem o contrário.

Episódio tenso, daqueles que não nos deixa piscar os olhos, fazendo-nos pausar a todo momento a busca por detalhes detalhes. Cliffhangers a altura da série, cheia de mistérios e indagações, trazendo-nos espanto ao descobrir ou apenas imaginar o que pode vir pela frente. Broyles (possível transmorfo) traindo o Walternativo. Fábrica de transmorfos a todo vapor. Recado simples e objetivo do Observador. Você tem que morrer, Olívia! Para tudo! Onde isso vai dar? Isso é Fringe. Onde isso vai levar eu não sei, só sei, que vou estar lá.

É a última vez que escreverei sobre os números da audiência em reviews. Todo mundo sabe que tá péssima, o risco de cancelamento é iminente, os americanos são idiotas em não dar o valor que a série merece, e por aí vai. Não adianta. A audiência de Fringe vai ficar por aí mesmo. Temos que aproveitar ao máximo os episódios que vem pela frente, pois, se ficarmos surtando com os números, deixaremos de aproveitar essa que é disparado uma das melhores séries da atualidade.

Claro que não custa nada um #SaveFringe. Temos que morrer atirando.

Os Glyph Codes da semana formou a palavra JONES, cujo já traçamos um paralelo com o cientista David Robert Jones, completando o Glyph Codes exibido no episódio Wallflower. Não é que o maldito deve ser o principal vilão da temporada?!


E o observador ein? Ficou bem visível dessa vez e com uma bala no peito, e ainda trazendo uma bomba. Olívia, tadinha, não entendeu nada. Mas nós, sim.

Tecnologia do Blogger.