A avalanche de séries ruins tem um culpado: Você




É incrível como de uns tempos pra cá, estão aparecendo mais e mais séries medíocres que chegam até a insultar a inteligência do espectador, vindas do mercado americano, onde verdadeiras obras primas já foram criadas. Não estou dizendo que não exista atualmente, porém, podemos contá-las nos dedos.

A indústria fonográfica americana, com raras exceções, está voltada a ganhar dinheiro. Buscam implantar em nossas casas, séries que baseiam um assunto popular com um tema chamativo e com um nome famoso por trás. Gastam milhões com propagandas (enganosas) mas esquecem do principal. Qualidade. Montam um elenco com atores fracos, roteiristas incapazes de honrar a profissão, enrolam a gente ao máximo com uma trama cansativa, desinteressante e sem base. Exemplos? Terra Nova e Falling Skies, com o famosíssimo Steven Spielberg por trás e Off The Map com produção (oi?) executiva de Shonda Rhimes (Grey's Anatomy).

Acontece que muitas dessas séries conseguem ter uma certa audiência e por incrível que pareça, muitas vezes são renovadas. Tudo isso porque existe um grande público intelectualmente burro (principalmente os americanos que vivem a base de Mc Donalds) que se prendem ao enredo e esquecem o resto. Esquecem atuações, esquecem furos no roteiro e aceitam qualquer tipo de resolução à trama prometida. 


Agora existem séries que mesmo com pequenas falhas na produção e com um elenco mediano, conseguem entreter o público com tramas e personagens interessantes, motivando-nos a continuar assistindo-as. É a série que te faz bem. Essas séries tem falhas, porém, não comprometem. Chamo-as de séries "assistíveis". Exemplo: The Vampire Diaries e Glee. Não são uma maravilha, mas não são lixos, como muitos dizem.

Por outro lado, há séries de altíssima produção, mas com uma trama chata, confusa e cansativa. Cito e sem medo, Game Of Thrones. Uma série de qualidade indiscutível, mas que exige um empenho (leia-se saco) muito grande para assisti-la. A unica temporada da série até então, começou bem, focando em um tema de sucesso, mas acabou caindo muito nos episódios seguintes. Diálogos longos, confusos, desinteressante, personagens pouco carísmáticos. Nudez gratuita, sem sentido. Fugiu do que mais o público queria ver. Guerra de espadas. Vinda dos livros, a série praticamente exige do espectador o aprofundamento na sua obra literária, principalmente para assimilarmos aqueles nomes esquisitos, tanto de personagens como de localidades. Claro que tem pontos positivos, mas os negativos são bem maiores.

Não adianta olhar torto pra mim não, Spielberg
Quanto as emissoras, elas não estão nem aí. O que elas querem é resultado. Renovam uma série ridícula por ter algum tipo de retorno e cancelam séries com qualidade reconhecida por críticos, mas que não tem aceitação da forma que esperavam do público. Exemplos não faltam. Só digo que duas das melhores séries da atualidade estão prestes a serem canceladas devido a isso. Community e Fringe.

Eles não sabem ganhar dinheiro com uma série de outra forma. Tudo tem a ver com a audiência. Deveriam buscar outras opções financeiras para manterem uma série de qualidade mesmo com baixa audiência. Como? Eles tem "profissionais" muito bem pagos para isso. Não é o papel do espectador. Nós pagamos canais especializados e compramos os produtos oficiais da série. Temos que cobrar. Nosso papel é esse.

Cabe também a nós sabermos diferenciar o que é bom e o que é ruim. Temos que filtrar o que realmente é bom e deixar de lado as séries "mais ou menos" que estão no ar. Temos que ser detalhistas. Quanto aos lixos? É lixo. Sem direito a reciclagem. Citem-os a vontade.
Tecnologia do Blogger.