Person of Interest: "Mission Creep" S01 E03




“O nome na caixa de evidências era Elias.”

O terceiro episódio de Person of Interest não manteve a mesma qualidade e ritmo dos anteriores e quase se comportou como um procedural puro e simples. Quase, pois dois fatos no episódio acrescentaram algo ou à trama de fundo ou então a uma possível nova subtrama e podem permitir à série manter-se diferenciada do modelo “caso da semana” clássico. 

Assim como o anterior, este episódio relacionou indiretamente o caso da semana a uma parte da trama de fundo, pois desta vez pudemos ver a situação da vida de Reese refletida na vida de Joey Durban, o dono do número do seguro social identificado pela máquina. Não tem como não compararmos a situação do passado de Reese que nos foi mostrada neste episódio (um encontro casual em 2006 entre ele e a mulher com quem o vimos no Piloto), com a de Durban, um ex-militar que trabalha como porteiro e que, para amparar a esposa de um colega que morreu ao ocupar seu lugar em uma missão no Afeganistão, envolve-se com uma quadrilha de assaltantes de bancos e cassinos.


Infiltrado na gangue, Reese passa o episódio tentando salvar a vida de Durban e convencê-lo a abandonar a vida dupla e ficar com sua namorada (que o esperou por 6 anos enquanto ele estava no Afeganistão), um conselho que vemos ser exatamente o oposto do que Reese fez após o 11 de setembro, quando desapareceu sem deixar vestígios e não deixou alternativa à sua namorada/amante que não fosse seguir com sua vida. 


No final do episódio, o flashback do encontro entre Reese e sua ex ainda mostra que ela estava disposta a abandonar seu noivado com outro cara e esperá-lo voltar, porém Reese não é corajoso o suficiente para pedi-la para esperar ou abandonar tudo para ficar com ela. Coragem essa que não falta a Durban que, procurado após a confusão e tiroteio no roubo das evidências guardadas pela polícia em Center Street, segue o conselho de Reese e foge com a namorada para outro lugar.

Com mais um pedaço do passado de Reese, as peças do quebra-cabeças envolvendo sua vida e os motivos pelos quais o vimos vivendo como mendigo no início da série vão se encaixando e já podemos supor que ele se culpa por não ter sido corajoso o suficiente para largar tudo pela mulher que amava e, consequentemente, não estar perto dela quando foi morta. 

 

Contudo, apesar do exposto acima, o mais interessante não foi sabermos mais do passado de Reese e sim o final do episódio. A investigação da Detetive Carter sobre a gangue conclui que a quadrilha nunca era descoberta porque os bandidos contratados por Sam Latimer, um outro ex-militar e responsável pelo planejamento dos roubos, eram mortos após aproximadamente 4 “serviços”. Latimer na verdade também não era o cabeça do grupo e recebia ordens de um homem misterioso,  que assassinou Latimer após este entregar a ele o envelope roubado em Center Street contendo as evidências de um crime de assassinato.


Com certeza Reese e Finch tentarão futuramente chegar ao cabeça da quadrilha partindo  do nome que constava na caixa de evidências, “Elias M.” Para mim, o fato do caso estar ligado a ex-militares e de o rosto do assassino não ser mostrado na imagem me faz acreditar que não só veremos mais crimes envolvendo ex-militares e o homem misterioso, como possivelmente seremos apresentados a alguma conspiração envolvendo as ações da quadrilha e o passado de Reese e/ou Finch. 
A opção “e”, aliás, é a mais provável em minha opinião, pois penso que os problemas de Finch devem estar ligados de alguma forma aos de Reese. Finch deve saber mais do que fala e creio que ainda descobriremos que ele não escolheu Reese apenas porque este era um ex-agente fodão que estava numa pior.

Para finalizar, devo dizer que a trama de fundo que envolve Finch, mais misteriosa, no momento é bem mais interessante que a de Reese, que tem se apresentado muito sentimental. Entretanto, se minhas suposições  acima estiverem corretas isso deve mudar, transformando a série em uma grande conspiração com bastante ação e vários mistérios interconectados. É esperar para ver.

PS 1: Será que em algum momento a Detetive Carter vai entrar para a turma de Finch e Reese? Ela é muito espertinha para ficar só na polícia. Além disso, o relacionamento entre ela e Reese está se estreitando e acho que senti na voz dela uma pequena ponta de admiração por ele...

PS 2: Gostei de ver Finch se arriscando para avisar Reese da armadilha de Latimer. Legal eles não deixarem Finch apenas plantado numa salinha e o colocarem para arriscar o pescoço!  

PS 3: Foi minha impressão ou Finch reconheceu o nome “Elias M.”?

2 comentários:

  1. Gostei desse episódio. Não sei se essa é a ideia mas o Reese ainda não me cativou na série. Apesar de aparecer bem menos, a Detetive Carter me cativou mais. Torço para que ela seja envolvida cada vez mais na trama.
    Também tive essa impressão quanto ao nome "Elias M.". Poderia aparecer algo sim envolvendo os militares e Finch, até mesmo um conflito político envolvendo essa tal máquina.

    Eles diminuíram com as câmeras nesse capítulo, mas em compensação continuam repetindo pelo menos 3 vezes de diversos ângulos um mesmo diálogo entre Reese e Jessica. Para mim, isso se torna entediante pois não revela quase nada!

    ResponderExcluir
  2. Pra quem estava na m... há 3 episódios, o Reese está se sentindo muito  bem. Acho que ele precisava ficar um pouquinho mais perturbado, incomodado e kamikaze. A idéia do episódio de relacionar a história do cara com a dele foi boa, mas poderia ter sido melhor aproveitada.

    Também gosto da Carter, ela é esperta demais.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.