Nikita: "Knightfall" s02e03




Mais um ótimo episódio de Nikita, bem superior ao s02e02. Espero que a série continue assim, evoluindo e que consiga aumentar a audiência. Sexta não é fácil...

Tudo começou com um atentado a um político em Quebec e a declaração de responsabilidade pelo ato por um assassino chamado Ramon. Tal crime foi sinalizado pelos programas de Birkhoff como relacionado à Division, uma vez que a organização já havia capturado Ramon. Esta missão foi executada, há seis anos, por Nikita, que teria de matar o assassino. Ele, porém, despertou na agente o desejo de liberdade, e Niki não teve coragem de eliminá-lo, capturando-o, mas depois descobriu que o alvo havia fugido. A partir dai, começam a executar o plano de encontrar Ramon, recapturá-lo e entregá-lo à polícia.

Gosto bastante quando Nikita, Michael e Birkhoff trabalham juntos, logo um dos motivos para a temporada me agradar são os planos e o humor inserido nas cenas dos três. O que foi a cena em que Birkhoff aconselhou Michael sobre a relação com Nikita? Morri de rir! Após conseguirem a localização do assassino, o casal seguiu para a Colômbia, a fim de invadir a casa. Contudo, lá descobriram que Ramon estava em uma cadeira de rodas, impossibilitando a autoria das execuções assumidas por ele. Mais um dedo da Division ai, a qual eliminava os alvos e o moço levava a “culpa”. Como é Nikita quem manda, os planos de resgate não foram alterados e logo ela alcançou Ramon, que já estava gravando um vídeo sobre um novo atentado. O contato entre os dois não foi dos melhores, e Nikita foi acusada de ter provocado tudo que aconteceu com ele nos últimos anos. Mais um flashback (adoro os flashbacks com missões antigas!) mostrou o que aconteceu depois da captura. Percy propôs ajuda para continuar com o “trabalho” de Ramon, em que este manteria o nome e a reputação, porém não seria o autor dos assassinatos, já que foi o ex-líder da Division que, com um tiro, paralisou as pernas do rapaz.

Ramon conseguiu escapar, mas Nikita o perseguiu até encurralá-lo. Michael, porém, acabou ficando preso em uma sala segura ao tentar escapar dos agentes da Division. Além disso, perdeu a comunicação com Birkhoff devido ao bloqueio de comunicação imposto por Amanda. Esta contatou Nikita e revelou que tinha Michael, pressionando a ex-agente a matar Ramon ou explodiria a casa. Mais uma vez, ela não conseguiu matá-lo, mesmo quando Ramon pediu para ser morto e não quis fornecer um número para Niki contatar o namorado. Muito boa a cena em que Ramon mostrou conhecer sobre o passado da moça, órfã, viciada, e que a acusou de transformar uma guerra importante em vingança. Nikita revidou, culpando-o por ter se acomodado sem lutar pela liberdade, e mandou ele mesmo se matar (não acreditei nem por um minuto que ela atiraria quando foi pressionada). Por fim, ela desistiu de conseguir o número e voltou à casa a fim de salvar Michael. Ao perceber o plano de Niki, Amanda ordena a explosão da casa. Ramon, contudo, ligou para Michael e o guiou através de uma passagem subterrânea. Claro que sabíamos que ele não ia morrer, mas mesmo assim, ver o choro de Nikita (e de Birkhoff também) ao pensar que não veria mais o namorado foi tocante.

Vamos para Alex? Mais uma vez, influenciar a garota é muito fácil. Amanda o faz ao enviá-la para uma missão em que o alvo seria a cara da Zetrov. Vimos então um Sean mais “gostável”, quando ele ajuda a russa a elaborar um plano menos arriscado. Realmente ele está me agradando mais e espero que consiga mais participação, principalmente em cenas com Alex. Esta deveria ir disfarçada de membro da imprensa e dar uma de sniper. A responsabilidade do assassinato iria então para Ramon, que já havia gravado o vídeo, como requisitado por Amanda. Já em posição para atirar, a garota foi ordenada a esperar, uma vez que Nikita estava atrapalhando a execução do plano, prestes a comprometer o “autor” do crime. Quando esta e Michael conseguiram sair ilesos e divulgar o vídeo antes da eliminação do russo, Amanda teve de abortar a missão de Alex, já que Ramon foi exposto. Tudo isso para a felicidade de Percy, que estava assistindo às notícias pela TV que conseguiu com as exigências. Mas Alex, finalmente, deixou de obedecer a todas as ordens e disparou o tiro, finalizando o episódio. Fim péssimo para quem é curiosa como eu, mas muito bom cliffhanger. Será que Alex matou Kochenko mesmo? E o que será dela por ter desobedecido a Amanda? Só semana que vem para descobrir...

Mais um episódio bem legal de Nikita, recheado de cenas de ação, as quais são muito bem feitas e coreografadas, em minha opinião. Um ponto que me agradou bastante foi o uso de flashbacks de Alexandra na Rússia, antes do pai ser assassinado. Neste, ficou claro que Kochenko facilitou o acesso para a equipe da Division. Adoro os flashbacks porque eles sempre têm o propósito de revelar mais detalhes das vidas de Nikita e Alex, não estão lá só para preencher espaço (e também porque gosto de ouvir o inglês com sotaque! Hahahaha).

Até o próximo episódio!
Tecnologia do Blogger.