Dexter: "Smokey and the Bandit" S06E03




Dexter cada vez mais Dexter. Nós agradecemos.

Se a série seguir essa fórmula, só teremos sempre episódios bons nessa 6ª temporada. Repararam que até o momento, mais pessoas estão passando na faca de Dexter do que na temporada passada? Essa é a linha que fez a série adquirir milhares de fãs, pois adoramos vê-lo realizando justiça com as próprias mãos.

"Smokey and the Bandit" foi um episódio diferente dos dois primeiros da temporada. Foi baseado muito mais na nova vítima de Dexter, um colega de profissão (Serial Killer) de seu passado. Amo esses casos de tiro curto. O crime acontece, ele investiga, vai a caça e mata. Esse é o meu Dexter.

Apesar de já ter passado dos 70, o assassino deu muito trabalho a Dexter, chegando até o surpreendê-lo, botando uma arma em sua cabeça. Todos nós imaginamos Dexter como infalível, mas isso ele não é. Walter Kenney o superou e quase estourou seus miolos, apesar de que já sabíamos que Dexter ia se desvencilhar daquela arma a qualquer momento. Acabou escolhendo jogar seu carro contra a grade. Ok, não foi uma super escapada, mas é o que tem pra hoje. O importante nessa trama foi a maneira que foi conduzida, não nos dando certeza de que Kenney era o Serial Killer até o momento de Dexter invadir a sua caixa de dentes.

Kenney fez Dexter repensar a sua vida, principalmente com a de Harrison. Ao contrário de sua vítima, ele nunca gostaria que seu filho soubesse quem ele foi. Mudou os planos e deu-a sua vítima uma morte "natural" poupando o desgosto de uma pessoa inocente. Genial!

Deb mais uma vez teve um bom destaque no episódio, porém mais apanhando do que batendo, é verdade. Essa não é a Deb que eu conheço. Abaixando pra Lagarta? Nem quando era Detetive ela abaixava, agora que é Tenente, não pode deixar ser humilhada desse jeito. Tudo bem que ainda está aprendendo, mas não pode deixar de manter a sua personalidade, seguindo sempre seu instinto. Deu até uma "peitadinha" na Lagarta para a escolha do novo Detetive, mas afinou quando foi alvo de puro preconceito. Tinha que mandar aquele crápula embora naquela hora e pegar o seu vôo de volta, Srta Debra!

A trama que imaginamos ser a principal da temporada foi pouco evoluída, porém deixou um baita cliffhanger. Travis e seu "mestre" Gellar torturaram mais uma vítima, com base em sua seita, religião, macumba ou sei lá o quê. Usam parte do evangelho, aguçando o perdão, mas misturam com outros segmentos até agora desconhecidos por nós. O que foi aquilo no final do episódio? Uma espécie de bonecos de marionetes humanos em desfile. A partir do próximo episódio, provavelmente Dexter colocará esse caso em primeiro lugar.

O irmão Sam só apareceu mesmo pra tentar mais uma vez converter Dexter a religião. Por enquanto está "enganando" direitinho, mas eu não sou louco de colocar a mão no fogo por ele. Está muito engraçado ver o "demônio" (Dexter) sendo catequizado.

Contudo, continuo gostando muito da nova temporada de Dexter. Nova em todos os sentidos porque não vemos nenhuma menção de assuntos deixados pendentes das temporada passadas. Falando nisso, foi bom vermos as provas arquivadas do caso do "Assassino do Caminhão de Gelo". Seria bom que inserissem algumas referências de casos passados da série. A nostalgia agradece.

Só Masuka mesmo pra cair no conto daquela vigarista. Nessas horas, nosso carequinha nunca pensa com a cabeça certa.


Dexter derrubou a sua caixa de "troféus"! OMG! Parecia que tinha morrido um ente querido. Acho que sofreu bem mais que a morte de Rita (Mentira). O fato é que a organização é fundamental para a sua vida e as lâminas desorganizadas e algumas quebradas podem mudar algo no seu interior.

Isso foi praga do Kenney.
Tecnologia do Blogger.