Supernatural - Quinta Temporada




A quinta temporada! Como já disse ontem, ela divide meu coração com a quarta, são as duas melhores na minha opinião. Recapitulado, no fim da quarta temporada Sam matou Lilith e libertou Lúcifer do inferno.

Uma forte luz branca sai do altar onde Lilith morreu e os garotos ficam sem saber o que fazer, principalmente quando em um piscar de olhos eles não estão mais na sala onde estavam e agora estão dentro de um avião, sem entender muito bem o que aconteceu, eles olham pela janela a tempo de ver a luz branca que libertou Lúcifer. Quem os tirou de lá? Depois de muitas teorias e suposições, estou tentada a dizer que foi Deus quem os salvou.
O que Lúcifer veio fazer na terra? Ele veio trazer o apocalipse e agora a luta é para impedir que ele aconteça. Lembra que disse que Sam era o escolhido do inferno e Dean dos céus? Pois é, Sam é o receptáculo do diabo (ou, como disse Dean: Lucifer vai vesti-lo para ir ao baile) e Dean é o de Michael. Esse mesmo, o Arcanjo Michael, aquele da bíblia. Por que Lulu e Mike simplesmente não possuem os dois como fazem os demônios comuns? Bem, os anjos não podem simplesmente entrar e tomar conta do corpo, eles precisam de permissão. Logo, Sam e Dean deveriam dizer SIM para entregar seus corpos a eles, não se esqueçam que embora Lúcifer seja o comandante do inferno ele também é um arcanjo. Já que Sam não dirá sim para Lucifer, ele vai atrás de outro corpo, a segunda opção, um homem que perdeu a família toda e agora não tem mais nada a perder.
Há vários episódios ótimos, por exemplo, o episódio em que Dean volta ao passado (ele já havia voltado na quarta temporada e descoberto que a mãe era uma caçadora e fez um pacto com Azazel, foi mal deixar isso de fora no outro post) junto com Sam para impedir que Ana (Ana é uma anja caída, ela tornou-se humana, mas quando o apocalipse começa ela enlouquece, pois começa a ouvir a voz dos anjos falando sobre Sam e Dean) mate seus pais. A teoria de Ana é simples: matando John e Mary, Sam e Dean nunca nascem, sem eles, Lucifer não é libertado.
Deixei escapar um outro personagem importante e que eu simpatizo bastante: Crowley, o demônio rebelde que não quer que Lúcifer traga o apocalipse para a terra, por isso ele ajuda os irmãos sempre que possível.  Não significa que ele será bonzinho pra sempre, na próxima temporada ele dá muita dor de cabeça.
Depois de muitos acontecimentos, descobrimos que os anjos não são tão contra o apocalipse assim. Na verdade querem que ele aconteça para livrar a terra os humanos, já que nós, os humanos, somos responsáveis pela dor de cabeça dos anjos e temos tudo o que eles não tem: o amor incondicional de Deus e o livre arbítrio, além do mais, somos imperfeitos e  subdesenvolvidos.
Essa temporada apresenta os cavaleiros do apocalipse: Fome, Guerra, Peste e Morte. A Morte é bem legal, alias. Dean descobre que os anéis dos 4 cavaleiros são a chave para a jaula de lúcifer. Dean diz não a Michael, mas ele arruma outro receptáculo: Adam (Também pulei o Adam, ele é meio irmão de Sam e Dean, fillho de John com alguma aventura que ele arrumou em uma de suas caçadas). Já Sam tem um plano totalmente sem sentido: dirá sim a Lúcifer, tentará tomar conta do seu próprio corpo enquanto estiver possuído e se jogará na jaula. Ele ficará preso junto com  Luci, mas salvará o resto da humanidade. Agora a luta dos homens contra céu e inferno, com a ajuda de Castiel, que se apega aos irmãos de tal forma que abandona sua família (os outros anjos) para lutar ao lado dos Winchesters.
No ultimo episódio, Michael já está possuindo Adam e Sam está com Lúcifer no corpo, eles marcam uma batalha, só não contavam que Dean, Bobby e Cass iria impedi-la de acontecer. Sam, que dizer, Lúcifer fica transtornado com a intromissão e se livra de Cass, mata Bobby e dá uma surra em Dean, que implora por sua vida chamando por Sam. Aparentemente isso funciona, Sam olha para um reflexo no carro (o Impalla, um dos mais importantes personagens) e vê um soldadinho de chumbo que ele e Dean colocaram ali quando crianças, então uma série de recordações vem a sua mente e Sam retoma seu corpo, a tempo de se jogar na jaula e puxar Michael com ele.  O ultimo episódio é quase todo focado no carro, conta a história desde o dia de sua fabricação, seus antigos donos, até o dia em que John o compra. Chuck, o profeta, narra o episódio. Mas será que ele é apenas um profeta mesmo? Chuck, vestido de branco narra todo o episódio e com um sorriso misterioso no rosto desaparece em com um estalo de dedos. Dizem por aí que ele era Deus, ajudando os irmãos o tempo todo. E você, o que acha?
Essa temporada mostra Sam e Dean como os adultos que eles se tornaram, afinal passaram-se cinco longos anos desde que os dois saíram em busca do pai desaparecido. A simbologia também é ótima, Dean representando o céu e Sam o inferno. Dean é o receptáculo de Michael e Sam de Lucifer. Ainda não fizeram a conexão? Quem era o filho obediente, que seguia as ordens do pai sem questionar, como um bom soldado e quem era o filho desobediente que batia de frente com o pai, questionava suas ordens até ser expulso de casa? Não, não estou falando de Dean e Sam, estou falando de Michael e Lúcifer. Agora entenderam, não é? Desde crianças os dois irmãos estavam predestinados a serem os receptáculos dos arcanjos, mas graças ao livre arbítrio que todo ser humano tem direito, eles mudaram o próprio destino.
Amanhã é a estréia da sétima temporada e o último post dessa maratona de Supernatural. Ansiosos? Eu estou!
Tecnologia do Blogger.