Glee: "I am Unicorn' s03e02




O episódio “I am Unicorn” foi bem melhor que o anterior, não acham? E a razão dessa melhora foi a volta de Shelby. Ainda bem que a trouxeram de volta, já que, em minha opinião, faltava algo para terminar a trama da personagem na 1ª temporada.

O episódio foi bem focado em Kurt, o que não me agrada tanto, mas tudo bem. Começou com Brittany querendo ajudá-lo na campanha para presidente, por ele ser um unicórnio, alguém mágico que não tem medo de se mostrar ao mundo. Claro que as cenas mais engraçadas envolveram Brit, né? O melhor foi a capital de Ohio. Entretanto, Kurt não ficou tão satisfeito com os cartazes criados por ela, o que rendeu a única cena de Santana no episódio. Pelo menos a cena foi com Brittany, ou seja, bonitinha. Dessa forma, Kurt arranjou uma nova concorrente. Também quero ver o debate. Hehehe

Finalmente alguém percebeu que falta dança nas apresentações no Glee (aquele subir e descer da escadinha não conta), e Will resolveu prepará-los melhor com ensaios extras para os mais necessitados. Por isso, não será possível dirigir o musical West Side Story, tarefa delegada a Beiste, Emma e Artie. Tenho de abrir um parêntese aqui, que raio de figurino é esse que deram para Blaine? Os testes então são iniciados, em que Rachel tenta o papel de Maria; Kurt, o protagonista, Tony; e Blaine, que desistiu de Tony por o namorado não gostar da competição, tenta um coadjuvante. Mercedes também quer ser Maria, mas a audição dela ficou para o próximo episódio. As apresentações musicais de I am Unicorn foram todas durante as audições, logo apenas canções de musicais. Nada contra esse tipo de música, mas sinto falta daquelas mais populares, sabe? Praticamente não conheço musicais e tudo que Kurt canta parece igual.

Já que entrei nesse tema, em relação aos números musicais, meu preferido foi Somewhere, que, mais uma vez, uniu as vozes de Idina Menzel e Lea Michele. Não precisa falar mais nada, né? A apresentação de Kurt não foi ruim, ele fez algo diferente de balançar no fundo, mas concordo com os jurados que não dava para conseguir o papel de Tony (segundo características descritas por Beiste). Já Blaine foi bem também, mas nada tão especial. Esta última apresentação finalizou o episódio, deixando a pergunta de Artie sem resposta. Blaine aceita fazer o teste para o papel de Tony e competir com Kurt? Acredito que ele vai aceitar.


Agora o melhor do episódio: Shelby está de volta! Ela aceitou o emprego no McKinley para ensaiar um novo Glee club, totalmente patrocinado pelo pai de Sugar. Voltou a Lima para consertar seus erros, reaproximar-se da filha e inserir Puck e Quinn na vida de Beth. Em relação a Rachel, achei muito fácil. Bastou dar um palpite sobre a canção a ser cantada no teste para Maria e a garota já convidou a mãe até para cantar junto. O outro objetivo não deve ser tão fácil. Para deixar Quinn ver Beth, Shelby exigiu primeiro uma mudança de comportamento da garota. Foi o primeiro sermão que a ex-Cheerio ouviu no episódio. O segundo veio de Will e foi melhor ainda. Quinn precisa ouvir tudo isso mesmo. Mas não valeu de nada, uma vez que ela só voltou ao Glee e ao normal porque quer tomar Beth da mãe. Sobre isso, em um momento a garota diz a Puck que eles não foram feitos para serem pais e, depois, já quer o bebê de volta? Volúvel, não? Já o pai biológico de Beth tentou logo conseguir a aprovação de Shelby para ver a filha. A cena de Puck conhecendo o bebê foi bem bonitinha. O melhor de tudo isso é que Puck e Quinn têm uma trama e não vou só ficar de figurantes nessa temporada.

Quem recebeu pouca atenção mais uma vez foi Finn, que está trabalhando para Burt na oficina e não planeja muito mais para a vida. Mas acredito que isso vai ser mais desenvolvido nos episódios seguintes. Por fim, a campanha de Sue está indo perfeitamente bem, porém Will pretende se intrometer e encontrar um candidato forte para combatê-la.

Mais uma vez, gostei do episódio, principalmente porque estão dando mais atenção a personagens negligenciados (Mike e Mercedes também vão ser mais desenvolvidos) e por reintroduzirem uma trama não finalizada anteriormente. Contudo, quero mais músicas que não são de musicais e quero menos Kurt. Acho que já deu isso dele se aceitar. Não foi o que ele fez temporada passada? Creio que meu pedido vai ser atendido em Asian F, pelo menos em relação às músicas. Então é isso. Até o próximo episódio e fiquem à vontade para comentar.
Tecnologia do Blogger.