The Big C: Review “Cats and Dogs” S02E05




Sempre manter o nível, este é o lema de The Big C, aumentando a qualidade a cada episódio, e te salvando do tédio.

Esta semana tivemos um episódio gostoso de assistir, muito simpático. Não teve cenas de família reunida, mas mostrou o que cada um fez para passar o tempo. Senti falta de alguns personagens, mas tudo bem.

Adam com atitudes idiotas, como sempre, na sua insaciável sede por sexo, pagou uma prostituta/dominatrix para matar a vontade, não sei que fogo é esse que ele tem, depois de receber o presente daquela menina drogada no porão, e depois pegar/iludir a menina do colégio, ele está bem safado, ainda bem que tudo se resolveu com um vazo.

Sean impagável como sempre, segurando aquela coisa, nem sei dizer com o que parece, queria segurar um bebê com aquilo, nem que pra isso ele precise pegar a boneca de uma menina. Depois que começou a tomar seu remédio, ele mudou, mas ainda continua daquele jeito, só que menos paranóico.

Paul desempregado gerou problemas financeiros, e Cathy teve que vender suas jóias, e de acordo com Lee, parecem de uma idosa de gosto duvidoso. Depois de todo aquele discurso, que não queria um emprego médio, era vice-presidente e precisava de um emprego de verdade, ver ele de avental na loja de eletrônicos foi muito engraçado, com direito a identificação [Em Treinamento].

A melhor parte do episódio ficou por conta das conversas de Cathy e Lee, muito esquisitas por sinal, falar sobre morte é o que há entre as pessoas com câncer. Papo vai, papo vem e depois de várias taças de vinho, o clima esquenta na cama de Lee, pelo menos para Cathy, que ficou paranóica. Nessa hora Lee dá um tapa na cara da sociedade de fãs da série, o que ninguém esperava, ele é gay.

Senti muita falta de Andrea, essa linda não apareceu neste episódio, e pelo visto no próximo também não. Rebecca apesar de toda sua cretinice faz parte da vida de Sean, e os dois juntos tem ótimos momentos.

Agora que Cathy tem um novo amigo, vejo que no futuro isto pode render boas situações, ou não. Isso é que me faz feliz, uma série onde não tem episódio ruim, todos te agradam. Contando segundos, para a volta de Marlene. #marlenesualinda


Obs: A cena do assalto, foi muito boa, ri alto na hora.

Tecnologia do Blogger.