Primeiras impressões de "Wilfred"




É estranho mas é interessante.

Confesso que dei algumas risadas com a nova série de comédia do FX, Wifred. Quando você vê nos promos um homem barbado fantasiado de cachorro, você pensa: "Onde diabos vai levar isso?!" Mas ao assistir o piloto, ficou claro que apenas os espectadores e Ryan que vêm o cachorro daquela forma. Para todos é um cachorro normal, e que apronta suas travessuras.


Ryan (Elijah Wood) é um cara introvertido, com problemas pessoais cujo resulta em tentativa de suicídio. Ele luta para encontrar a felicidade tanto na sua vida pessoal como na financeira. Sua irmã o ajuda, mas em vão.

Então conhece Wilfred (Jason Gann), o cachorro de sua vizinha Jenna (Fiona Gubelmann). A linda loira usa seu charme para deixar o seu "cãozinho" com Ryan. Como o mundo vê Wilfred como um simples cachorro e nós, juntamente com Ryan, vemos daquela forma esquisita e hilária, as cenas onde aprontam, se tornam bem engraçadas. Sensacional a vingança proposta por Wilfred. Invadiu a casa daquele brutamontes folgado, roubou sua maconha e ainda cagou (desculpe o termo) literalmente em suas botas. Infelizmente não vimos a cena de Ryan fazendo a sua parte no evento. Fail do episódio.

Estou curioso pra saber como essa história vai se desenrolar, agora que Ryan desistiu do suicídio e pretende viver a vida loucamente com seu novo e único amigo Wilfred. Até o próximo episódio então.

2 comentários:

  1. Ok, o primeiro episodio foi bom, não foi excelente, mais deixou claro que a serie tem potencial.
    A idéia é realmente muito bizarra, mas é ao mesmo tempo genial. Fazer a introspecção do personagem por Wilfred foi uma idéia fantástica. Agora só espero que esse potencial não seja desperdiçado, afinal já ficou claro que usar recursos incomuns e ousados para a dramedia podem da muito certo (lembrando como Allan Ball usou a morte na fantástica e icônica Six Feet Under para fazer a mesma coisa).
    Continuarei vendo, e espero que o potencial da serie seja desenvolvido, afinal é exatamente essa bizarrice que pode ser o grande triunfo da serie. Já que a maioria peca em ser “normalzinha” (previsivel) demais...

    ResponderExcluir
  2. Ok, o primeiro episodio foi bom, não foi excelente, mais deixou claro que a serie tem potencial.
    A idéia é realmente muito bizarra, mas é ao mesmo tempo genial. Fazer a introspecção do personagem por Wilfred foi uma idéia fantástica. Agora só espero que esse potencial não seja desperdiçado, afinal já ficou claro que usar recursos incomuns e ousados para a dramedia podem da muito certo (lembrando como Allan Ball usou a morte na fantástica e icônica Six Feet Under para fazer a mesma coisa).
    Continuarei vendo, e espero que o potencial da serie seja desenvolvido, afinal é exatamente essa bizarrice que pode ser o grande triunfo da serie. Já que a maioria peca em ser “normalzinha” (previsivel) demais...

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.