House: Review "The Fix" 7x21

Por @Matheusdes

E agora, House!

Não posso negar que, tudo que eu disse sobre o episódio caiu por terra depois desse episódio que, de uma forma magnífica, encheu meu dia de alegria e renovou minhas esperanças nessa temporada!

Cheio de diálogos que fizeram meu coração disparar, esse episódio conseguiu me confundir umas duas vezes no mínimo, em relação às intenções de House, que volta aos poucos (pelo menos em minha opinião) a ser aquele House quebrado e infeliz que não se importa com nada além de definir fisicamente sua infelicidade!
Então nos foquemos em Gregory House:
Qualquer um que preste o mínimo de atenção nos episódios percebe que o House está cada vez mais despreocupado com sua aparência. De certa forma, ele saiu do padrão de despreocupação, que englobava roupas amassadas e cabelo bagunçado, e foi parar nas “Roupas Bagunçadas, cabelo bagunçado, barba malfeita, olhos inchados etc.”



Não acho que seja necessário passar muito tempo comentando a historinha paralela desse episódio, no caso, a aposta com Wilson e a tentativa desesperada de ganhar a aposta/salvar a vida de um cara com quem ele se identificou, salvando assim sua própria reputação.
Confesso que achei, por um momento, que ele tinha caído nas drogas pesadas. Quando ele olha pra Thirteen e diz: “A dor ficou mais forte, se eu aumentasse as doses de vicodin me daria mal” (ele não fala exatamente isso, mas não lembro exatamente da fala) eu quase dou um pulo da cadeira tipo: “Gzuis, o homi se danou”.

Mas então ele explica, que tudo não passa de uma droga experimental, para o desenvolvimento dos músculos (detalhe: só foi testada em ratos), e eu começo a ficar a ficar menos preocupado. Enquanto isso, Foreman está sendo o Foreman (já deu pra perceber que eu não gosto dele, né?) e dando um ar de “acho que vou ficar com a Thirteen de novo, Manolo”, Chase e Taub foram uma versão um pouco mais apagada deles mesmos, e Thirteen teve menos destaque que nos episódios anteriores.
Além disso, tivemos nosso amado Wilson cada vez mais presente na série, a partir de apostas bobas, mas nos dando esperança de que o personagem volte a ter a qualidade que tinha antes do final do “Out of The Chute”. Não posso deixar de assumir, porém, mesmo não gostando do Foreman, apreciei MUITO o diálogo que ele teve com a Cuddy. Gostei tanto, que preciso escrever aqui!

Foreman: “Ele está te evitando, e você o está evitando, e esta paciente vai morrer.
Cuddy: “Não se você fizer o SEU trabalho!” (PONTO PRA CUDDY)

Depois dessa frase da Cuddy, que eu acho que vou me lembrar por um bom tempo, eu dedico este ultimo parágrafo àquele final que deixou algumas pessoas de cabelo em pé. House recolhe o medicamento da lixeira, levando em consideração que houve um grande avanço em relação à sua perna, desde o início do “tratamento”. E, no momento seguinte, pra acabar com a esperança que todos criaram n”O Conserto” da perna de House e, teoricamente, no House inteiro, vemos o doutor que está fazendo a pesquisa dos músculos olhando para um dos ratos do experimento, morto na gaiola. Enfim, acho que todos que assistiram a esse episódio terminaram com o mesmo pensamento: “E agora, House!”
 
Tecnologia do Blogger.