Pular para o conteúdo principal

House: Review "After Hours" S07E22


É fácil saber quando um episódio de House vai ser bom ou melhor ainda antes mesmo de começar a abertura.

É essa a verdade, sobre a série. Se o episódio começar com um caso normal, de alguém desconhecido que não tem sequer ligação com os personagens da série, você pode esperar um episódio normal, como a maioria dos episódios de uma série nesse estilo.

Mas, se o episódio começa com alguém relacionado a alguém da serie, mesmo que você só perceba isso quando a pessoa bate na casa da Thirteen pedindo ajuda, você pode esperar um ótimo episódio, que vai focar mais nas pessoas que trabalham no hospital, do que nos casos aleatórios. Agora, se um episódio começa com uma cena do próprio Gregory House em uma situação “Hóusica”, você pode esperar um episódio no mínimo épico.

Esse era o meu pensamento, até o momento em que eu comecei a ver o episódio e, a cada segundo, percebia que deveria rever meus conceitos em relação às coisas que se deve esperar do episódio. Se eu fosse dar uma classificação pra esse episódio, eu diria que foi um episódio no nível dos episódios que começam com o próprio House em uma situação “Hóusica”.

“Unhappy people do reckless things” – Gregory House

Concentremo-nos na cena da banheira, no show de atuação que Hugh Laurie nos proporcionou mais uma vez, e nas ironias em relação a isso. Não sei se você que está lendo agora sabe, mas foi em um banheiro que Hugh Laurie gravou seu vídeo-teste para o papel de Gregory House.

Mais interessante que o fato anterior, é lembrar que essa banheira já foi palco pro Hugh na pele do próprio House, vide fim de sua saga autodestrutiva na sexta temporada numa cena que, no meu ponto de vista, foi uma das mais emocionantes de toda a temporada, onde House está pronto pra se afogar novamente em Vicodin após ter perdido uma paciente e o “amor de sua vida”, e Cuddy chega dizendo que só quer saber se “Huddy” pode funcionar!

Mas não acaba por aí. Caso não seja clara essa lembrança, essa banheira foi também o palco de suas alucinações no Season Finale da quinta temporada, num episódio não menos magnífico que os outros e, pelo menos pra mim, um episódio que deve ter entrado no “Top 5 Season Finales de House” da maioria dos fãs. Repare na ironia novamente, pois, nesses dois episódios a pessoa que esteve lá por aquele House destruído na banheira foi Lisa Cuddy, assim como no episódio dessa semana, que tivemos a honra de contemplar.

Como se não bastasse todo aquele momento com Cuddy, todos se perguntam “E onde estaria Wilson, num momento tão importante pra série como esse?”. Confesso que fiquei um pouco triste no decorrer do episódio pela ausência dele, mas que fiquei totalmente despreocupado na cena em que ele aparece no quarto com House, servindo de muleta pra ele, num momento cheio de emoção, no qual eu parei e disse: “Essa cena valeu mais do que se ele tivesse aparecido o episódio todo!”

Mas nem só Gregory House brilhou esse episódio, apesar de as cenas dele terem ofuscado totalmente as ótimas cenas em que seus empregados aparecem. Então falemos sobre elas. Quatro empregados, duas cenas interessantes. Thirteen e Chase em uma cena nada simples, e Foreman e Taub em uma cena digna dos dois.

Acho que a maioria das pessoas que lêem minhas reviews sabe que o personagem que eu menos gosto naquela série é o Foreman, e o segundo é o Taub. Não se pode negar que a cena deles foi, de certa forma, interessante. Mas não foi algo que você pare e pense, pois não há nada a pensar ali. Houve certo sentimentalismo da parte do Taub, lembrando de um paciente enquanto conversava com a futura mãe do seu filho, mas não passou disso!


Já com Chase e Thirteen, as coisas foram bem diferentes! Uma história interessante que, de certa forma, aproximou os dois personagens pela tragédia. Quando Thirteen assume que eutanasiou o irmão e foi preciso fazer aquilo, aposto que você se lembrou de Dibala, da season 06 (sim, o ditador que Chase eutanasiou) e percebeu que nesse momento, ele entendeu que ela fez o que devia ser feito. Além disso, o momento de superioridade suprema de Thirteen, em não se importar após ter salvado a vida de uma conhecida e ser odiada pela mesma, mostrando estar mais preocupada com a vida de um paciente do que com a simpatia deste te lembrou alguém?

Por fim, gostaria de considerar algumas coisas neste episódio:

- Quando todos esperam por um cliffhanger foda, pra abrir o season finale de forma intensa, a série nos surpreende de novo. Nesses momentos, você percebe que a série não é feita pra ter simplesmente audiência, mas sim, a simpatia e (por que não?) idolatria da parte dos fãs.

- Ainda falando sobre a audiência, algumas pessoas ainda discordam desse ponto. Mas, se a série realmente se importasse simplesmente sobre a audiência, ela deixaria o ponto mais intenso do episódio bem no meio? Não seria mais “audiente” deixar pro final?

- Outra coisa importante pra esse episódio e, acredito que pro final da temporada, é a relação entre House e Rachel. Acho que essa relação entre os dois personagens vai ser totalmente explorada nessa season finale, seja para o bem ou para o mal!

E Você? Gostou do episódio? Acha que faltou algo na review? Comente, e nos dê ânimo pra continuar escrevendo pra você!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

Especial: TOP 5 séries que você não deve assistir com a sua mãe

Olá, leitores! Hoje não é um dia qualquer, não é um simples domingo onde você, caro leitor, comerá um pedaço de pizza do sábado à noite no almoço, porque hoje é o dia das mulheres da vida de cada um de vocês, das mulheres que consideram sagradas. Hoje é dia das mães! O Viciado Em Série não poderia deixar de prestar sua homenagem, contudo, decidido a fazer algo diferente do bom e velho “TOP 5/10 Mães de Séries/Filmes”, segue o "TOP 5 Séries Que Você Não Deve Assistir Com a Sua Mãe".
5º Lugar - Game of Thrones

Uma série da HBO para maiores de 18 anos cheia de nudez, cenas de sexo, incesto, orgias, guerras, violência de todos os tipos, entre outras situações embaraçosas. Game of Thrones, definitivamente, não é o tipo de série para você assistir ao lado da sua querida e sagrada mãe, afinal, qual filho não fica constrangido diante uma cena de sexo em um filme aleatório sendo assistido junto dela? Agora imagina uma cena dessas entre dois irmãos... Pois é, MELHOR NÃO! 
4º Lugar – Tr…

A Fantástica Última Temporada de The Killing

(Com spoilers)

Uma aula de como encerrar uma série.
The Killing recusava a nos deixar. Sofreu dois cancelamentos e foi resgatada duas vezes. Lutou contra os números de audiência, única coisa que interessava para o AMC, e conseguiu sobrevida graças à sua qualidade, prontamente reconhecida pelo Netflix. Ajudou na produção da terceira temporada e bancou sozinha a sua quarta, pois, felizmente, acreditou na série e não nos deixou órfãos, depois daquele excepcional cliffhanger.
Terminamos a terceira temporada presenciando Linden matar cruelmente (e merecidamente) Skinner, aos gritos de "NÃO" de Holder. Tempos depois fomos noticiados que não veríamos mais nada além daquilo, pois o AMC decidiu cancelar a série, fato que trouxe muita tristeza para o seu telespectador. É uma crueldade que fazem com o telespectador, mas é, infelizmente, uma prática comum na TV, pois não respeitam nada além de lucro, e deixam de contar uma história sem mais nem menos, se lixando para seus clientes. 
E a …

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…