Body Of Proof: 1x04 – “Talking Heads”


Por: Tobias (@onlytobias)

“Body is the proof”.

Muitas séries sobre autopsias e casos de assassinatos são exibidas pela TV. Mas Body Of Proof, consegue te fazer viajar, levar-nos ao mais profundo de nosso ser, nos colocarmos naquelas situações e imaginarmos o que faríamos, como agiríamos. Nos faz imaginarmos o desenrolar da história e nos surpreendermos a cada nova revelação.

E Body Of Proof consegue o que muitas outras séries tentam mas não conseguem: não cair na mesmice semana após semana, mesmo com uma premissa simples. Não sei as autopsias são realmente tão fascinante quanto na série, mas se for, UAU, acho que eu gostaria de tentar isso. Principalmente com todos aqueles monitores touch screen espalhados pelo escritório, mas enfim.

Enquanto partes de um corpo foram misteriosamente encontradas em um terreno baldio, Lacey precisa fazer um trabalho da escola, visitando o trabalho de um de seus pais. Ela escolheu passar o dia com a mãe, já que o trabalho de legista é muito mais interessante. Megan, com seu jeito dominador, e querendo estar sempre no controle, acaba preparando cronogramas, planilhas, roteiros e etc., o que tornaria tudo muito sem graça. Mas, Lacey, consegue dobrá-la, e conhecemos então toda a profundidade de Megan Hunt. Como eu já disse em reviews passadas, a Drª Hunt é como um cubo, com múltiplas facetas. Em “Talking Heads”, ela conseguiu nos fazer pensarmos em nossas atitudes, na importância da vida e em como fazemos nossa historia, em uma simples metáfora sobre a mão, enquanto conversava com sua filha. Ou será que fui só eu que me peguei olhando para minha mão e imaginando tudo enquanto ela falava?

No caso da semana, um trabalhador da construção civil, foi encontrado morto e desmembrado. Com o desenrolar da história, descobrimos que, após ganhar muito dinheiro jogando em um cassino, ele pretendia dar o dinheiro para a sua filha. Ele contava com uma enfermeira, que se tornou muito amiga dele e ele estava ajudando-a a trazer seu filho para os Estados Unidos. Descobrimos que a enfermeira, Irina, encontrou o corpo de Call na banheira, e como ela precisava de mais uma carta de seu amigo para o serviço de imigração, acabou picotando-o e escondendo seus restos no freezer, para que houvesse tempo dela executar seu plano. Em uma conversa de doutora para enfermeira, com Megan, ela acaba revelando os detalhes do acontecido e contando onde estava a cabeça, parte que faltava no quebra-cabeça. Graças também a Lacey, Megan conseguiu entender o ocorrido, pois encontrou vestígios de tecido cerebral na artéria pulmonar, ao analisarem o apartamento onde o assassinato ocorreu, perceberam a marca na parede descobriram que o golpe foi dado na com um martelo. Na cabeça, foram encontrados vestígios de um material usado para isolamento acústico, assim, ao conversarem com os vizinhos chegaram a uma conclusão. O assassino era o dono do prédio, que tentava adquirir o apartamento de Call, já que ele ainda pagava aluguel.

No trabalho de Megan, Lacey conseguiu tudo o que queria dos outros funcionários, burlando as regras impostas por sua mãe. E num choque de realidade, Peter mostrou a Megan a quão errada ela estava com relação a sua filha, fazendo com que a mãe abrisse o coração e deixasse a todos nós emocionados. Destaque para Megan e Kate trabalhando juntas, elas tem uma excelente química e funcionam muito bem juntos, é um plot que pode ser explorado com o decorrer da temporada. O final do episódio também foi brilhante, com o vídeo de Lacey falando o quão importante era o trabalho da mãe e mostrando os seus sentimentos por ela, levando a durona Drª Hunt às lágrimas.

E que Body Of Proof continue assim, nos emocionando ao mesmo tempo em que nos diverte. Fazendo-nos pensar ao mesmo tempo que nos faz rir. Entretendo-nos enquanto nos leva a refletirmos sobre nossas atitudes.
Tecnologia do Blogger.