Body Of Proof: 1x02 – “Letting Go”

Por: Tobias (@onlytobias)

Body Of Proof é ou não é a melhor estreia da temporada?

A consistência da narrativa da série é excelente. Eu particularmente não gosto de séries com tramas isoladas a cada episódio, mas com Body Od Proof, temos Megan Hunt interligando tudo. Aliás, Dana Delany se encaixa perfeitamente no papel, e faz com que nos percamos na complexidade da personagem. Engana-se quem diz que Megan é uma personagem simples. Vemos nela, uma mulher desesperada, que busca no trabalho uma fuga para o estresse. Sem amigos, ela vê nos mortos alguém que ela pode lutar por, e acaba fazendo deles seus companheiros. Sua busca incessante por justiça vem, na verdade, do desejo profundo de fazer justiça para si mesmo. Afinal, uma grande neurocirurgiã, que perde sua carreira, deve se sentir muito injustiçada. Megan é muito contraditória: consegue ser ácida, durona, linha dura e, ao mesmo tempo, doce, preocupada e insegura de si. Por isso que ela me encanta.


Nesse episódio, tivemos uma mulher que supostamente foi morta por um ex namorado que acabou se suicidando logo após. Só que na autopsia, Megan descobre que o suposto assassino tinha duas balas no crânio. Oras, ninguém pode atirar em si próprio duas vezes não é mesmo? Megan, então, brilhantemente, começa a elaborar suas teoriase numa reviravolta descobrimos que a vitima sofria de bulimia por cause de seu outro antigo namorado. Mas um outro namorado dela, pediu-a em casamento e ela aceitou. E, assim, graças a um detalhe, o de que o assassino tinha fechado os olhos da vitima descobrimos que o assassino era, na verdade, o pai da garota, que não queria vê-la com aquele rapaz. Ele atirou nela sem querer, e depois, com raiva, acabou matando o rapaz.

BOP é uma das séries que atualmente desperta mais minha ansiedade pelo próximo episódio (ansiedade que é inversamente proporcional à velocidade com que as legendas são liberadas, mas ok.). Sabe aquela série que você não vê a hora do próximo episódio? A próxima frase brilhante de Megan, a parte que ela vai deixar Curtis no chinelo... Mas também queremos ver a reconciliação dela com a filha, por que é tão difícil? Megan tenta de tudo, queremos que essa filha dela seja como uma filha logo, poxa! Não, na verdade não, por que essa contrariedade da personalidade de Megan, na busca por agradar a filha e seguir a carreira é um dos grandes atrativos. Carreira essa que, diferente da de neurocirurgiã, ela vem tentando conciliar com sua vida pessoal, sem que essa última sucumba pelo excesso de trabalho. O próprio titulo do episódio é uma metáfora da vida de Megan, deixei ir, dfeixe seguir, dê um tempo a sua filha, ela voltará para você quando estiver pronta.

Vamos lá, Drª Hunt, mostre o que você tem para nós, afinal, o corpo nunca mente!
Tecnologia do Blogger.